Cid Gomes recebe deputados e destaca ações de combate aos efeitos da estiagem

5 de Fevereiro de 2013

Com o objetivo de expor ações de combate os efeitos da seca e desejar um bom início de trabalhos, o governador Cid Gomes recebeu nesta terça-feira (05), no Palácio da Abolição, os deputados estaduais que reiniciaram as atividades na Assembleia Legislativa. Ao lado do presidente da Mesa Diretora, José Albuquerque, Cid Gomes destacou os problemas relativos à estiagem, porém ressaltou as soluções de convivência implantados pelo Estado nos últimos anos e que serão ampliados este ano.

 

“Ano passado tivemos uma das piores quadras invernosas dos últimos 30 anos e recentemente a Funceme, trabalhando em parceria com diversos órgãos que tratam de metereologia no Brasil, fez um prognóstico preocupante. Quarenta e cinco por cento desse estudo indica que as chuvas neste ano serão abaixo da média. Portanto, isso traz grandes preocupações, obrigações, ações emergenciais e outras que irão efetivamente permitir ao cearense conviver melhor com isso que é um fenômeno que irá se repetir”, disse o Governador.

 

Cid Gomes destacou os programas Garantia Safra, o Bolsa Estiagem e o Água para Todos para os que sofrem com seca desde o ano passado. Sobre os investimentos em recursos hídricos, que vão amenizar, definitivamente, os problemas em épocas de estiagem, o Governador explicou aos Deputados que já são R$ 5,6 bilhões em ações estruturantes. Cid explicou a construção da primeira etapa do Cinturão das Águas do Ceará (CAC), que tem investimento de R$ 1,6 bilhão. Essa etapa compreende 155 quilômetros de extensão e vai interligar o município de Jati a Cariús, na região Centro Sul, transpondo águas do Rio São Francisco através de um conjunto de canais e adutoras. O objetivo é levar água a todas as bacias hidrográficas do Ceará e para população mais isolada. Na área de segurança hídrica o Governador também explicou aos Deputados Estaduais a conclusão do trecho 5 do Eixão das Águas, com investimento de R$ 333,2 milhões.

 

Cinturão das Águas

O CAC será formado por um canal principal que vai margear a Chapada do Cariri, no sentido leste-oeste, para, em seguida, com direção sul-norte, atravessar as bacias do Alto Jaguaribe e Poti-Parnaíba, atingindo a bacia do Rio Acaraú. De acordo com a SRH, a previsão é de que a integração disponibilize 45 mil metros cúbios de água por segundo para o Ceará.

 

O Cinturão se constitui de um grande sistema gravitário de canais para a condução das águas do São Francisco para a 93% do território cearense, inclusive para as regiões mais secas do Estado, bem como para aquelas de potencial turístico e econômico. Após a conclusão da primeira parte, o Governo do Estado prevê a construção de uma segunda etapa. O investimento total para todo o projeto é de R$ 7 bilhões.

 

Eixão das Águas

O Eixão é um conjunto de obras composto por uma estação de bombeamento, canais, adutoras, sifões, e túnel que realiza a transposição das águas do Açude Castanhão para a Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), reforçando o abastecimento, numa extensão de 255 km, inclusive na RMF e Complexo Industrial do Pecém, fazendo a integração das bacias hidrográficas do Vale do Jaguaribe e da Região Metropolitana, beneficiando uma população de aproximadamente quatro milhões de habitantes. O último trecho dá garantia hídrica  por 30 anos para a RMF e os empreendimentos localizados no Complexo Industrial e Portuário do Pecém (CIPP).

 

05.02.2013

 

Coordenadoria de Imprensa do Governo do Estado
Casa Civil
comunicacao@casacivil.ce.gov.br – 85  – 3466.4898