Estudo do Ipece mostra que maioria dos municípios cearenses depende do FPM

18 de Fevereiro de 2013

A maior parte dos municípios cearenses, em 2010 e 2000, encontrava-se com um valor abaixo de 0,5, indicando que, para cada R$ 1 oriundo da base econômica do município, ele recebia mais de R$ 2 do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), de acordo com o Indicador de Desenvolvimento Tributário e Econômico (IDTE). Desses, a grande maioria é composta de municípios com uma população abaixo de 100 mil habitantes, revelando que tal resultado é causado pela baixa atividade econômica e, por consequência, pela pouca capacidade para gerar receitas tributárias.

 

A constatação está no Ipece/Informe nº 53, que tem como título Situação Fiscal dos Municípios Cearenses em 2000 e 2010, que vai ser divulgado nesta terça-feira (19), às 9 horas, pelo Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece), órgão vinculado à Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag) do Governo do Estado. O trabalho, elaborado por Paulo Araújo Pontes e Nicolino Trompieri, ambos do Ipece, mostra também que houve uma sensível redução no número de municípios com IDTE abaixo de 0,50, já que o número foi reduzido de 146 em 2000 para 124 em 2010. O estudo vai disponibilizado, a partir das 10 horas, na página www.ipece.ce.gov.br.

 

18.02.2013

Assessoria de Imprensa do Ipece

Pádua Martins (padua.martins@ipece.ce.gov.br / 85 3101.3508)