Programa de Automonitoramento da Semace indica avanço no controle ambiental

20 de Fevereiro de 2013

O Programa de Automonitoramento desenvolvido pela Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace), por meio da Gerência de Análise e Monitoramento (Geamo), conseguiu em 2012 quase que dobrar o número de relatórios técnicos emitidos levando-se em consideração o ano anterior. Em 2011 foram 778 relatórios. Já no ano passado, esse número saltou para 1.401, que dá uma média de 117 por mês.

 

No decorrer de 2012, 70 empresas foram inspecionadas pela equipe do programa, nove a mais que em 2011. Em 28 dessas foram feitas coletas de efluentes líquidos com a finalidade de serem analisadas nos laboratórios da Superintendência para saber se estavam dentro dos padrões estabelecidos pela legislação. Pode-se constatar, também, que houve uma baixa na quantidade de empresas que deixaram de encaminhar o automonitoramento para a Semace. Apenas 20 foram denunciadas à Diretoria de Fiscalização da autarquia, 14 a menos que em 2011.

 

Segundo a gerente da Geamo, Magda Kokay, “o automonitoramento é um instrumento de controle ambiental, que consta como condicionante das licenças de operação. Com ele, as empresas licenciadas devem apresentar à Semace periodicamente relatórios de monitoramento de suas fontes poluidoras, como emissões atmosféricas, sonoras, efluentes líquidos e gerenciamento dos resíduos sólidos. Após análise técnica, são emitidos relatórios que informam às empresas as conformidades e/ou desconformidades”. Kokay informou, ainda, que fazem parte do programa indústrias e empreendimentos de carcinicultura e piscicultura.

 

20.02.2013

Assessoria de Comunicação da Semace

Fhilipe Augusto (comunicacao@semace.ce.gov.br / 85 3101.5554)

Twitter: @Semace

Facebook: semace.gov