Linha Leste: assinatura de convênio será no dia 21

4 de março de 2013

O ano de 2013 será de consolidação dos grandes investimentos e de avanço das obras. A definição  é do governador Cid Gomes que reuniu todo o secretariado e diretores de órgãos vinculados nesta segunda-feira (04), na Residência Oficial, para avaliação do Monitoramento de Ações e Programas Prioritários (Mapp). A reunião prosseguirá nesta Terça-feira (05), às 13h30min, também na Residência Oficial. A estimativa de recursos a serem investidos em programas do Mapp para 2013 é entre R$ 4 e R$ 5 bilhões.

 

Durante a reunião, Cid Gomes disse que no próximo dia 21, durante a vinda da presidenta Dilma Rousseff ao Ceará, será assinado o convênio entre Estado e União para as obras da Linha Leste do Metrô de Fortaleza. O valor total da obra é de R$ 3,3 bilhões e será o maior investimento em obra da história do Ceará. Dessa total, R$ 1,1 bilhão é oriundo do Orçamento Geral da União, R$ 1 bilhão em financiamento do FGTS e o restante, R$ 1,2 bilhão do Estado por meio de PPP ou consórcio por um período de 15 a 20 anos.

 

A Linha Leste compreende 13 quilômetros de extensão e será todo subterrâneo. Ela sairá do Centro de Fortaleza, integrando com a Linha Oeste (vem de Caucaia  e do Conjunto Ceará) e com a Linha Sul (vem de Pacatuba, Maracanaú e Parangaba) e integrará ainda com o VLT Parangaba-Mucuripe, seguindo até o Bairro Edson Queiroz. Serão 11 estações, a primeira  sairá próxima à Leste-Oeste, percorrerá o Centro (terá uma estação na Praça da Sé), pegando o eixo da Av. Santos Dumont, seguindo o terminal de ônibus do Papicu. Depois haverá uma curva indo à Cidade 2000, passando por baixo do rio Cocó e finalizando com a última estação em frente ao Fórum/Unifor.

 

O Governador também solicitou celeridade para o início das obras de construção do Cinturão das Águas do Ceará (CAC). Na ultima sexta-feira (01), foram entregues as propostas para a construção da primeira etapa, em que cinco consórcios apresentaram proposta e no prazo de 15 dias serão divulgadas as empresas habilitadas para o certame. A partir daí abrem-se prazos para recursos. Obedecendo os prazos legais, a expectativa é que a ordem de serviço para o CAC seja assinada em junho.

 

O CAC será formado por um canal principal que vai margear a Chapada do Cariri, no sentido leste-oeste, para, em seguida, com direção sul-norte, atravessar as bacias do Alto Jaguaribe e Poti-Parnaíba, atingindo a bacia do Rio Acaraú. A previsão é de que a integração disponibilize 45 mil metros cúbicos  de água por segundo para o Ceará.  

 

O Cinturão se constitui de um grande sistema gravitário de canais para a condução das águas do São Francisco para 93% do território cearense, inclusive para as regiões mais secas do Estado, bem como para aquelas de potencial turístico e econômico. Após a conclusão da primeira parte, o Governo do Estado prevê a construção de uma segunda etapa. O investimento total para todo o projeto é de R$ 7 bilhões.

 

Ainda durante a reunião do Mapp, Cid Gomes liberou R$ 150 milhões para a Cagece destinados a melhoria no abastecimento de água.  Ele anunciou ainda a liberação de recursos por parte do Governo Federal para a Ponte Estaiada, no Bairro Edson Queiroz e a construção do Centro de Formação Olímpica, que será construído próximo ao Castelão.

 

04.03.2013

Coordenadoria de Imprensa do Governo do Estado
Casa Civil
comunicacao@casacivil.ce.gov.br – 85 3466.4898