Limpeza nos reservatórios de água é fundamental para combate à dengue

21 de março de 2013

Qual a última vez que depósitos e reservatórios de água foram lavados em sua casa? Pois saiba que o Aedes aegypti, mosquito que transmite a dengue, vive principalmente no ambiente domiciliar. Os focos são encontrados, na grande maioria, dentro de casa e nos quintais. A única maneira de evitar a dengue é não deixar o mosquito nascer. Para isso, é necessário acabar com os “criadouros”, lugares de nascimento e desenvolvimento do mosquito. A fêmea do Aedes aegypti deposita os ovos nas bordas de reservatórios de água limpa, geralmente encontrados dentro das residências. Com o contato com a água, o ovo eclode, vira larva, pupa e em apenas 8 dias já é  mosquito adulto, que sai voando por aí e ameaça a saúde da população.

 

O poder de reprodução do mosquito é enorme. O ovo do mosquito da dengue consegue sobreviver por mais de um ano, mesmo se o local onde foi depositado estiver seco. Por isso, para a prevenção da dengue, é fundamental evitar o acúmulo de água parada que não pode ser protegida. A orientação da Secretaria da Saúde do Estado é de que pelo menos uma vez por semana as famílias façam a limpeza rigorosa em todos os depósitos que acumulam água e até eliminem os reservatórios de água limpa e parada. Importantes medidas devem ser observadas: telar caixas d’água, manter tampados tonéis e reservatórios de água, desentupir ralos que possam acumular água, jogar fora pneus velhos, evitar deixar garrafas e recipientes que possam acumular água da chuva em área descoberta e virá-los de cabeça para baixo, e eliminar pratinhos com água embaixo dos vasos de planta.

 

Levantamento de Índice Rápido de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa) divulgado pelo Ministério da Saúde em fevereiro mostrou que, em janeiro deste ano, 267 municípios brasileiros estavam em situação de risco para dengue; 487 em situação de alerta e 238 em situação satisfatória. A pesquisa, que serve para identificar onde estão concentrados os focos de reprodução do mosquito transmissor da dengue, foi realizada em 983 municípios. Por região, a maior concentração das larvas do mosquito em reservatórios de água ocorreu no Nordeste, com 76,2%. O levantamento apontou no Ceará seis municípios em alerta e três em risco de dengue.

 

21.03.2013

Assessoria de Comunicação da Sesa

Selma Oliveira/ Marcus Sá (selma.oliveira@saude.ce.gov.br / 85 3101.5220 – 3101.5221 – 8733.8213)

Twitter: @SaudeCeara

Facebook: www.facebook.com/saudeceara