Banco Mundial destaca Projeto de Gerenciamento Integrado de Recursos Hídricos

11 de Abril de 2013

O Projeto de Gerenciamento Integrado de Recursos Hídricos do Estado do Ceará (Progerirh), criado pelo Governo do Estado em 1997, em parceria com o Banco Mundial, com o intuito de ampliar a infraestrutura hídrica e fornecer um aparato técnico, operacional e institucional no gerenciamento dos recursos hídricos capazes de dar suporte não só ao abastecimento humano, mas também ao desenvolvimento econômico, lidando principalmente com o problema da escassez dos recursos hídricos, ganhou destaque no site da instituição financeira internacional.

 

A matéria, publicada pela jornalista da instituição financeira, Mariana Ceratti, destaca os resultados obtidos pelo Progerirh entre os anos de 2000 e 2011 e a construção e operação do Eixão das Águas, infraestrutura hídrica financiada pelo projeto que assegura à Região Metropolitana de Fortaleza o abastecimento de água nos períodos de seca, beneficiando uma população de cerca de 3,6 milhões de habitantes.

 

Progerirh

 

Quando da sua concepção, o Projeto de Gerenciamento Integrado de Recursos Hídricos do Estado do Ceará (Progerirh) buscava diversos objetivos. Entre os objetivos traçados estavam o aumento dos suprimentos sustentáveis de água para usos múltiplos, a melhoraria da eficiência do sistema integrado de gestão de recursos hídricos, a redução da vulnerabilidade das populações de baixa renda à seca cíclica, a recuperação e a construção  de uma nova infraestrutura hidráulica destinada à gestão integrada de bacias fluviais, a integração das políticas ambientais às políticas de gestão de recursos hídricos, a implementação e a divulgação de tecnologias mais eficazes de uso e gestão de recursos hídricos, a promoção de uma gestão melhorada do solo e da vegetação das bacias hidrográficas a fim de aumentar a conservação da água, minimizar a erosão e maximizar os mecanismos naturais de armazenamento da água e a promoção de uma gestão adequada de microbacias críticas e recursos de águas subterrâneas aumentando a área coberta por vegetação e o controle do escoamento e da erosão, bem como o desenvolvendo da gestão de aquíferos e planos para a zona de reabastecimento.

 

Para atingir todos esses objetivos, o Banco Mundial realizou um empréstimo original de US$ 136 milhões. Em 2009, o Banco Mundial proporcionou financiamento adicional de US$ 103 milhões para expandir as atividades, elevando o total do empréstimo para US$ 239 milhões. O empréstimo do banco foi complementado com US$ 492,8 milhões de fundos de contrapartida do estado do Ceará, elevando o custo total do projeto para US$ 730 milhões no período de 2000 a 2011.
Após anos de investimentos, o Projeto de Gerenciamento Integrado de Recursos Hídricos do Estado do Ceará (Progerirh) conquistou uma série de resultados positivos. No abastecimento de água, o projeto aumentou a oferta de água garantida de 10,4 milhões de m³ em 2000 para 1,7 bilhões de m3 em 2011, volume armazenado nos oito reservatórios construídos pelo projeto. No que diz respeito à segurança hídrica, o projeto aumentou o volume de água para consumo humano na Região Metropolitana de Fortaleza de 6,6 m3/seg. em 2000, para 13,2 m3/seg. em 2011, por meio de três novos reservatórios e um canal de integração de bacias fluviais, infraestrutura hídrica que garante a segurança da água para a Região Metropolitana de Fortaleza, a qual, no período do projeto, aumentou de 1 milhão para 3,6 milhões de habitantes.

 

Além desses resultados, o projeto proporcionou sustentabilidade financeira, melhorando a operação e a recuperação dos custos de manutenção, e uma gestão inovadora, implementando novas ferramentas de gestão, fortalecendo o sistema de gestão dos recursos hídricos do estado, por meio de políticas de tarifas de água em todos os setores, do estabelecimento de comitês nas bacias fluviais, do fornecimento de dados em tempo real para operações dos reservatórios, da implementação de normas e de procedimentos sobre segurança de represas, do desenvolvimento de planos de gestão das águas subterrâneas, da recuperação de 523 hectares de área degradada, do reflorestamento de 2.949 hectares e da  recuperação e preservação de 1.803 hectares de vegetação ribeirinha em quatro microbacias hidrográficas almejados pelo projeto-piloto de gestão de bacias hidrográficas no âmbito do Progerirh.

 

Cerca de 7 milhões de pessoas foram beneficiadas com o projeto, divididas entre a população rural e urbana. Na zona rural a população foi beneficiada com os reservatórios construídos e com o aumento da área coberta de vegetação e controle do escoamento e erosão nas microbacias críticas. Já na Região Metropolitana de Fortaleza, 3,6 milhões de pessoas foram beneficiadas com a ampliação do sistema de abastecimento de água e com o aumento da confiabilidade do abastecimento.

 

Atualmente o estado do Ceará tem um dos sistemas de gestão de recursos hídricos mais robustos do Brasil, considerado pioneiro e exemplo para os demais estados do país. E para avançar ainda mais o Governo do Estado do Ceará já trabalha no desenho do Cinturão das Águas, um sistema de transporte de água por gravidade com aproximadamente 1.300 km de extensão e uma vazão de 30 m3/seg, projeto que deverá atender à 100% da demanda de água para consumo humano, para a indústria e para a irrigação até 2040.

*Com informações do Banco Mundial

 

11.04.2013

Assessoria de Comunicação da Cogerh

Leonardo Meireles E. de Souza (ascom@cogerh.com.br / 85 3218.7024 – 3218.7025)

Twitter: @Cogerh_ce