Exportações cearenses crescem 66,14% em 10 anos

25 de Abril de 2013

As exportações cearenses passaram de US$ 762,60 milhões em 2003 para US$ 1,26 bilhão em 2012, representando um crescimento da ordem de 66,14%. No mesmo período, as importações tiveram um incremento de 429,54%, passando de U$$ 540,8 milhões em 2003 para US$ 2,86 bilhões no ano passado. É o que revela o estudo Ipece – Informe nº 58 (abril de 2013). O Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece) é um órgão vinculado à Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag) do Governo do Estado.

 

Um total de sete dos 15 principais produtos da pauta de exportações do Ceará foi responsável por 79,9% de tudo o Estado exportou em 2012. O principal produto exportado pelo Ceará desde 2003 é o calçado que, juntamente com couros e peles e castanha de caju, forma o grupo dos produtos mais exportados no ano passado. Frutas, produtos alimentícios diversos e ceras vegetais ganharam participação na pauta de exportação do Ceará ao longo do período analisado, apresentando um crescimento expressivo no valor exportado entre os anos de 2003 e 2012.

 

Embora o segmento de Calçados e suas partes seja o principal produto da pauta de exportação cearense, com uma participação, em 2012, de 56,73%  (US$ 338,64 milhões) – crescimento de 102,13% quando comparado 2012 com 2003 (US$ 167,54 milhões), foi o setor de Produtos Alimentícios Diversos que apresentou maior desempenho no período, passado de US$ 6,66 milhões em 2003 para US$ 71,20 milhões no ano passado, ou seja, elevação de 968,06%.

 

Outro que apresentou grande desempenho nas exportações foi Ceras e vegetais, com crescimento de 536,52%, passando de US$ 10,50 milhões para US$ 66,84 milhões. Em terceiro lugar ficou máquinas, equipamentos e materiais elétricos, com desempenho de 430,45% (de US$ 5,36 milhões para US$ 28,43 milhões). As exportações de frutas subiram 402,67%, passando de US$ 21,56 milhões em 2003 para US$ 108,39 milhões em 2012.

 

Já os Artefatos Têxteis perderam importância na pauta de exportações cearense, registrando decréscimo de 41,9% no valor exportado, reduzindo sua participação de 16,44% em 2003 (US$ 125,38 milhões), para 5,75% (US$ 72,85 milhões) em 2012. Também foram registradas quedas, no mesmo período, nas exportações de Lagostas, com decréscimo de 5,59%, já que em 2003 as exportações somaram US$ 30,75 milhões e no ano passado US$ 29,03 milhões. No item Demais produtos, a involução foi de 49,77%, passando de US$ 122,44 milhões para US$ 61,50 milhões.

 

O diretor Geral do Ipece, professor Flávio Ataliba, observa que, no geral, os principais produtos que compõem a pauta de exportações do Ceará permaneceram em destaque ao longo desta década, ocorrendo apenas algumas modificações nas suas participações dentro da pauta, ou seja, ganhando, ou perdendo posição no ranking. Com isso, nesses dez anos, de 2003 a 2012, a composição da pauta dos principais produtos exportados do Ceará manteve-se praticamente inalterada.

 

Ele destaca surgimento de minério de ferro (US$ 19,56 milhões em 2012) que, mesmo com pequena participação, desponta como um produto de grande potencial. “É fato que não se muda uma pauta de exportações de um dia para o outro, mas com o dinamismo que a economia mundial vem vivendo, é necessário sejam implementadas políticas que, no médio prazo, proporcionem mudanças na pauta de exportações locais, tanto pela diversificação de novos e importantes produtos, quanto pela melhor qualificação dos já existentes”, destaca. O estudo completo pode ser acessado na página www.ipece.ce.gov.br

 

25.04.2013

Assessoria de Imprensa do Ipece

Pádua Martins (padua.martins@ipece.ce.gov.br / 85 3101.3508)