Hospital de Messejana completa 80 anos e é referência em cardiologia e pneumologia

2 de maio de 2013

Neste mês de maio, o Hospital de Messejana Dr. Carlos Alberto Studart Gomes completa 80 anos de história. Inaugurado em 1933, como instituição de caráter privado, atendia, na época, portadores de tuberculose. Hoje, é referência no país nas áreas da cardiologia e pneumologia e oferece aos pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) tratamentos de ponta e procedimentos de alta complexidade, ainda não disponíveis no Norte e Nordeste e até em outras regiões do Brasil.

 

O transplante de pulmão e o Projeto Coração Artificial, por exemplo, só são encontrados nas regiões Norte e Nordeste no Hospital de Messejana. Já o Sistema de Mapeamento Eletroanatômico Tridimensional, que realiza o mapeamento de arritmias complexas, é exclusividade do HM na rede SUS, em todo o país. Na área de ensino e pesquisa, o Hospital também parte na frente sendo o primeiro do Norte, Nordeste e Centro-Oeste do Brasil a ter o Doutorado em Cardiologia.

 

Referência nacional no tratamento de doenças cardíacas e pulmonares, o Hospital de Messejana faz a diferença na rede pública de saúde, com um índice de mais de 90% dos pacientes satisfeitos com o atendimento recebido na Instituição. Por ser Hospital de Ensino e Pesquisa, reconhecido pelos Mistérios da Saúde e Educação, o HM também exerce papel fundamental na formação de profissionais da área da saúde.

 

O diretor geral do Hospital de Messejana, Ernani Ximenes, revela que ser pioneiro em serviços de alta complexidade é consequência de uma história de trabalho de 80 anos de sucesso e compromisso, em benefício dos pacientes do Ceará e de outras regiões do Norte e Nordeste. “A qualificação do corpo clínico e das equipes multidisciplinares fazem a diferença no atendimento oferecido ao público atendido na Instituição”, ressaltou.

 

Transplante de Pulmão

 

O primeiro transplante de pulmão das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste do país foi realizado pela equipe do Hospital de Messejana Dr. Carlos Alberto Studart Gomes, coordenada pelo cirurgião torácico Antero Gomes Neto. Ele ressaltou que a primeira cirurgia foi um grande marco para o atendimento aos pacientes com graves problemas respiratórios. “Antes, esses pacientes não tinham alternativa de tratamento, agora têm a disposição um serviço de alta qualidade para o tratamento”, disse Antero. Dez pacientes já foram transplantados. O último é do estado de Pernambuco.

 

Sistema de Mapeamento de Eletroanatômico Tridimensional

 

Os pacientes portadores de arritmias graves encontram no Hospital de Messejana o Sistema de Mapeamento Eletroanatômico Tridimensional. O HM é a única unidade pública do país a disponibilizar o serviço, que realiza o mapeamento de circuito nas arritmias complexas (fibrilação atrial e ventriculares), com definição mais precisa, proporcionando uma maior taxa de sucesso da ablação dos focos de arritmias, com diminuição do tempo do procedimento, e, consequentemente, da incidência de complicações.

 

Projeto Coração Artificial

 

O Hospital de Messejana também é pioneiro no Norte e Nordeste do país, em implante de Coração Artificial. O estudo inclui a utilização de dispositivos de assistência ventricular (coração artificial) como suporte circulatório mecânico em pacientes da lista de espera por um transplante cardíaco, que se encontram em grave estado de saúde, a ponto de não poderem aguardar o transplante. Coordenado pelo cirurgião cardíaco Juan Mejia.

 

Doutorado em Cardiologia

 

O primeiro doutorado em cardiologia das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste do país teve início no Hospital de Messejana, em julho de 2011. A iniciativa visa promover a pesquisa científica e formar novos pesquisadores. Com 4 anos de duração, a pós-graduação contempla 15 alunos, sendo 11 profissionais do HM. A promoção é do Ministério da Educação, através da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

 

02.05.2013

 

Assessoria de Comunicação do Hospital de Messejana

Stella Magalhães (85) 3101-4092 / 9998-7464