Linha Leste: Estação Nunes Valente ganhará área verde

13 de maio de 2013

O Governo do Estado, a Secretaria da Infraestrutura e o Metrofor conheceram nesta segunda-feira (13) a proposta dos três proprietários do terreno onde será instalada a estação Nunes Valente,  da Linha Leste do Metrô de Fortaleza. A área fica na confluência de três importantes vias da capital: Avenida Santos Dumont e ruas  Tibúrcio Cavalcante e Nunes Valente. A estação será subterrânea e na  área remanescente será levantado um edifício garagem/comercial. “Isso significa que o Estado vai poder usar a área sem a necessidade de gastar com desapropriação”, observou o secretário da  Infraestrutura, Adail Fontenele. Essa é uma experiência inédita no Brasil, mas uma solução tecnológica muito usual em países como Estados Unidos, Inglaterra, Espanha e Dinamarca.

 

O projeto vai obedecer o Plano Diretor de Fortaleza e beneficiará a  população com uma extensa área verde, hoje inexistente naquela região. O próximo passo é aprimorar a concepção e esperar o resultado da empresa vencedora da licitação do próximo dia 21 de maio, já que ela  será responsável pelo projeto executivo do empreendimento. De acordo com Adail Fontenele, “a ideia é viável e pode servir de exemplos para outras estações da Linha Leste do Metrô de Fortaleza.”

 

Qualidade e segurança no transporte público de Fortaleza

 

A obra da Linha Leste do Metrô de Fortaleza está orçada em cerca de R$  3,5 bilhões de reais e deve começar no segundo semestre desse ano  (2013). “Marcada para o dia 21 de maio a licitação da maior obra que o  Estado do Ceará vai promover. Dificilmente acontecerá uma desse porte  nos tempos próximos. A grande condição é que a construtora que vencer  a licitação comece a trabalhar de imediato”, declarou o secretário da  Infraestrutura, Adail Fontenele.

 

A Linha Leste prevê a construção das estações: Estação da Sé, Luiza  Távora, Colégio Militar, Nunes Valente, Leonardo Mota, Papicu, HGF,  Cidade 2.000, Bárbara de Alencar, CEC e Edson Queiroz. Além dessas,  haverá integração com as linhas Oeste e Sul na estação central Chico da Silva, totalizando 12 estações. Serão 12,4 km de extensão.

 

A linha será operada com trens elétricos que transportarão cerca de  400 mil pessoas diariamente. O projeto se integrará ainda às linhas  Sul, já em fase de conclusão, à Oeste, remodelada, ao ramal  Parangaba-Mucuripe, também em obras, e aos terminais de ônibus. A  linha subterrânea seguirá em boa parte o trajeto da avenida Santos  Dumont.

 

A Linha Leste, fará parte do Programa “Mobilidade Grandes Cidades”, do  Governo Federal. O secretário  Adail Fontenele destaca que estão garantidos R$ 2 bilhões em recursos federais para o projeto, sendo R$  1 bilhão do Orçamento Geral da União e R$ 1 bilhão financiados pela  Caixa Econômica Federal. A contra partida do Governo do Estado do Ceará é de pouco mais de R$ 1 bilhão (1,034). Os recursos estaduais serão usados para a Parceria Pública Privada, que vai contemplar todo o material rodante e sistemas e a operação dos 4 sistemas metroviários  de Fortaleza. Esses recursos estaduais também serão usados para projetos, administração de obra, desapropriações e remoção de interferências.

 

Máquinas tuneladoras

 

O Governo do Estado, por meio da Seinfra, adquiriu quatro máquinas  tuneladoras destinadas à construção dos túneis da Linha Leste do Metrô  de Fortaleza. Os equipamentos estão sendo fabricados pela empresa  norte-americana The Robbins Company, vencedora da licitação ocorrida  em maio de 2012, ao preço de R$ 128.224.258,52. A expectativa é que as  primeiras duas tuneladoras cheguem ao porto do Pecém em julho. Cada  equipamento leva dois meses para montagem nas duas frentes de serviços  a serem abertas.

 

13.05.2013

 

Assessoria de Comunicação da Seinfra
Marco da Escóssia – (85) 3216.3764 (85) 8898.4318
@seinfrace
facebook.com/seinfraCE