AESP realiza instrução coletiva de Tiro Policial Defensivo para candidatos do CFP/PMCE

23 de agosto de 2013

A Academia Estadual de Segurança Pública do Ceará (AESP/CE) realizará, na tarde desta sexta-feira (23), última instrução coletiva de Tiro Policial Defensivo para os candidatos do Curso de Formação Profissional para o Cargo de Soldado da Carreira de Praças da Polícia Militar do Ceará (CFP/PMCE), que fazem parte da II Turma, realizado pela Academia.

 

A instrução para os candidatos do CFP/PMCE terá início a partir das 14h, será realizada no Clube de Tiro, Gun House, localizado no Ancuri, terá como cenário a pista de aplicação de tiro dinâmica, a ser acompanhada pelo Diretor-Geral da AESP/CE, Cel PM Roosevelt Alencar, a Coordenadora Geral de Ensino e Instrução, Del PC Jeovânia Holanda, e ministrada pelos policiais: 1º Ten PM Alan Cardeck Barbosa, Ten PM Fábio Rios, EPC Necy Parente e o SD PM Sérgio Ricardo Nunes.

 

Os candidatos que estão sendo formados desde o dia 05 de abril, pela Academia, para o cargo de soldado da PMCE, segundo o Cel PM Alencar, Diretor-Geral da Instituição, estão cumprindo a grade elaborada de acordo com a Matriz Curricular Nacional elaborada pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), órgão vinculado ao Ministério da Justiça, contendo teoria e prática, englobando a carga-horária de 1.020h/a.

 

As disciplinas estão voltadas para as questões sociais, a resolução de conflitos, os diversos ramos do Direito, a dignidade da pessoa humana, a cidadania, a ética, a moral, a diversidade sexual e os conhecimentos técnicos-científicos, a exemplo da disciplina de Armas e Munições Letais e Menos Letais e Equipamentos, além de aliar a teoria à prática, inclusive com análise de ocorrências operacionais, essenciais para o desempenho eficiente da função policial militar nas ruas.

 

A partir dessa instrução coletiva os candidatos poderão praticar os conceitos básicos de Tiro Policial Defensivo que enquadram regras de segurança com o armamento, fundamentos do Tiro Policial Defensivo e as posições de tiro, além de gerar uma integração entre os 35 grupos, que estão chegando à reta final do processo de formação.

 

Segundo o Supervisor da Instrução de Tiro Policial Defensivo, Ten Cel Francisco Furtado, e o Orientador da Célula de Práticas Educacionais da Academia, Ten Cel PM Rogério Nascimento, os objetivos do treinamento que está sendo realizado com os candidatos do CFP/PMCE na disciplina de Tiro Policial Defensivo, tendo como cenário a pista de aplicação de tiro dinâmica, vão desde levá-los a aplicar as técnicas assimiladas em situações dinâmicas, bem como fazê-los com que observem as normas de segurança de manuseio da arma em situações diversas, utilização adequada dos abrigos disponíveis no momento de uma ação policial, a aplicação da “verbalização” adequada à situação, distinguir agressores de transeuntes, saber controlar a munição efetuando troca de carregador no momento oportuno, sem perder o controle do ambiente, além de efetuar disparos rápidos e precisos e manter o controle emocional na presença de fatores perturbadores, como o estresse.

 

Descrição da Pista de Aplicação

 

Constituição: Posição de espera; linha de partida; 03 postos de tiro; 05 alvos NRA (agressores) e 03 alvos NRA (transeuntes);
Distância de tiro: 5m;
Tempo: 30 segundos contados do início da agressão armada;
Início: Policial em pé na linha de partida, arma carregada (05 cartuchos) e travada no coldre. Carregador reserva com 05 cartuchos. 

 

O Diretor-Geral da AESP/CE, Cel PM Roosevelt Alencar, ressalta que a importância das instruções de práticas de tiro se deve à possibilidade do policial poder entender melhor os mecanismos das diversas armas de fogo, utilizadas pela Polícia Militar. “Dessa maneira, eles adquirem confiança para o manuseio das armas de fogo e para efetuar os disparos de maneira responsável e segura em via pública, além de cultivarem o zelo pelo material. Porém, o principal objetivo da instrução é fazer os candidatos perceberem que o uso da arma de fogo deve ser o último recurso de defesa no escalonamento do uso diferenciado da força, somente devendo fazer a utilização da arma de fogo para salvar vidas, além de melhorarem o equilíbrio emocional diante de uma situação operacional real”, afirma o Diretor.

 

Alencar ressalta ainda que “o investimento estadual em aquisição de munições de treinamento nos calibres .40, .38 e 12/70, destinados a pistolas, revólveres, metralhadoras e carabinas, foi de R$ 2.708.940,00 (dois milhões, setecentos e oito mil, novecentos e quarenta reais), no total de 1.444.000,00 (um milhão, quatrocentos e quarenta e quatro mil) cartuchos, visando atender aos cursos em execução e previstos ainda para este ano e aos cursos de habilitação ou ascensão profissional já realizados no ano de 2012”.

 

23.08.2013

 

Assessora de Comunicação da AESP
Nádia Juvêncio – (85) 8774.6894 | 9695.7834