Diretor do Arquivo Público do Ceará integrará Comitê Nacional

24 de outubro de 2013

O Diretor do Arquivo Público do Estado do Ceará, Márcio Porto, integrará o Comitê Nacional do Brasil para o programa Memória do Mundo, da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), destinado a proteger acervos documentais e bibliográficos de interesse para a história da humanidade. O Arquivo Público do Estado do Ceará, equipamento da Secretaria de Cultura do Governo do Estado, ganha destaque com a participação do gestor, que representará no Comitê todos os Arquivos Públicos estaduais, conforme portaria publicada no Diário Oficial da União pela ministra da Cultura, Marta Suplicy.

 

“É uma responsabilidade muito grande, representar os Arquivos Públicos estaduais no Comitê Nacional do Brasil para o programa Memória do Mundo, da Unesco. Ficamos honrados em representar uma instituição arquivística do Nordeste, num comitê nacional que vai, entre outras coisas, sugerir procedimentos de preservação, de proteção ao patrimônio documental e bibliográfico e dar parecer sobre acervos de interesse especial para a história universal”, afirma Márcio Porto.

 

Os integrantes do Comitê realizarão na próxima terça-feira (29) no Arquivo Nacional, no Rio de Janeiro, uma primeira reunião de avaliação de propostas de nominação (registro) de acervos. “As instituições públicas detentoras de acervos documentais ou bibliográficos que os considerem importantes para a memória do mundo apresentam as proposições de nominação ao Comitê. Essas candidaturas são distribuídas com os membros do Comitê, que vão avaliar cada proposição, para receber ou não a nominação do Registro Memória do Mundo”, detalha Márcio, sobre o procedimento de avaliação de acervos documentais e bibliográficos, por parte do Comitê.

 

Desde 2007, já foram reconhecidos pelo Comitê importantes acervos, como o Arquivo do Comitê de Defesa dos Direitos Humanos para os países do Cone Sul (Clamor), o Arquivo Getúlio Vargas, o Arquivo Guimarães Rosa, da Universidade de São Paulo, e o Arquivo Machado de Assis, da Academia Brasileira de Letras. Os Autos de Devassa da Inconfidência Mineira, do Arquivo Nacional, são outro exemplo de acervo documental que já conta com o reconhecimento do Comitê Memória do Mundo.

 

O Comitê

 

Criado pelo Ministério da Cultura em 2004, o Comitê Nacional do Brasil para o programa Memória do Mundo da Unesco é formado por representante do Brasil no Comitê Regional da América Latina e Caribe e pelas Instituições e segmentos seguintes: Arquivo Nacional, Comissão Nacional da Unesco – IBECC/MRE, Conselho Nacional de Arquivos (Conarq), Fundação Biblioteca Nacional, Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Ipahn), Ministério da Cultura, Arquivos audiovisuais, Arquivos eclesiásticos, Arquivos militares, Arquivos Públicos estaduais/municipais, Arquivos privados e Associações de ensino e pesquisa. O trabalho no Comitê é totalmente voluntário, não sendo recebida nenhuma remuneração pela participação do profissional.

 

24.10.2013

Coordenadoria de Comunicação da Secult

Dalwton Moura (85 8878.8805 – 9608.5822)