Alunos de EEEP de Beberibe desenvolvem projeto para aproveitamento de óleo de cozinha

2 de Janeiro de 2014

Em Beberibe (CE), município localizado no litoral leste do Ceará, alunos da Escola Estadual de Educação Profissional Pedro de Queiroz Lima participaram de um projeto voltado à estruturação de uma rede de coleta de óleo e gordura residencial com o objetivo de fortalecer a cadeia produtiva do biodiesel cearense. Apoiado pela Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funcap) por ter sido selecionado no edital 09/2012 – Programa de Bolsas de Iniciação Científica Júnior – Educação Profissional – Áreas Estratégicas, o projeto contou com a participação de 10 estudantes, sendo 8 de Agronegócio, 1 de Hospedagem e 1 de Eletrotécnica, orientados pelo coordenador do projeto, o professor Felipe Muniz Gadelha Sales.

 

O projeto

 

Com início em fevereiro desse ano, o primeiro passo foi sensibilizar e orientar a comunidade escolar sobre o impacto ocasionado pelo descarte do Óleo e Gordura Residual (OGR) no meio ambiente ou na rede coletora de esgotamento sanitário. Para isso, a Petrobras Biocombustível realizou uma palestra na EEEP.

 

Ex-bolsista da Funcap durante o mestrado em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal do Ceará (UFC), o professor Felipe Muniz já vinha trabalhando na área de pesquisa com energia alternativa e meio ambiente. A temática da pesquisa era “Reuso de Água em Oleaginosas com fins para o Biodiesel”. “Percebi a necessidade de implementar ações de coleta de óleo de frituras iniciando pela cozinha da própria escola, haja vista estarmos com problemas frequentes de entupimento na rede de esgoto. Umas das causas era o descarte incorreto do resíduo de óleo de fritura diretamente na rede de esgoto”, explica.

 

A EEEP Pedro de Queiroz Lima conta com mais de 500 alunos e, diariamente, fornece três refeições, sendo dois lanches (manhã e tarde) e um almoço. Por semana, são utilizados na cozinha aproximadamente 20 litros de óleo vegetal. “Existe uma sobra considerável de resíduo de óleo de cozinha sendo descartada. Também existem muitas pessoas e empresas querendo descartar o óleo residual de uma forma correta, mas precisam de uma estrutura organizada que apóiem estas ações”, afirma.

 

Mais de 150 litros de OGR já foram coletados para a realização da entrega voluntária à Rede de Catadores de Resíduos Sólidos Recicláveis do Estado do Ceará, em Fortaleza, para serem tratados na Estação de Tratamento Primário de OGR. A unidade da Estação tem capacidade de filtrar 30 mil litros de óleo de cozinha por mês. Além da coleta realizada na cozinha da escola, barracas de praia de Beberibe também ajudaram. Os locais foram demarcados com o aparelho GPS adquirido com recursos do projeto. De acordo com o orientador do projeto, a comunidade escolar abraçou o projeto como um trabalho de responsabilidade social e ambiental que deve ser realizado no dia a dia. “Várias ações foram sugeridas e, com o caminhar das atividades, temos optado por aquelas que têm mais potencial de alcançarem os resultados, que é o de coletar uma maior quantidade de óleo residual de fritura possível em nossa região de atuação” explica Felipe.

 

De acordo com o coordenador, as ações do projeto serão continuadas e ampliadas já neste fim de 2013. O objetivo é tornar-se prática recomendada pelas Credes em todas as Escolas de Educação Profissional do Estado do Ceará. Sobre os editais específicos de pesquisa e extensão tecnológica para as EEEP do Ceará, o professor afirma que “é, sem sombra de dúvidas, uma ação de apoio e incentivo que visa qualificar o projeto pedagógico das EEEP, com o objetivo de preparar o jovem para enfrentar os problemas da vida cotidiana, através de uma formação global que dê conta das demandas e das transformações contínuas que passam a sociedade, a economia e o mundo do trabalho”.

 

Para Felipe, outras instituições, como Banco do Nordeste, por meio do Fundo de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Fundeci), e Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), deveriam lançar editais que incentivem o corpo docente das escolas estaduais a participar com projetos de pesquisa, extensão, difusão e inovação de tecnologias. “Haja vista muitas vezes serem limitados para instituições de ensino superior”, complementa.

 

Novo edital

 

O edital nº 14/2013 – Bolsas de Iniciação Científica Júnior – Educação Profissional – Áreas Estratégicas recebe propostas até 6 de janeiro de 2014. A iniciativa contempla alunos da Rede Estadual de Escolas de Educação Profissional do Estado do Ceará, de cursos profissionalizantes preferencialmente nas áreas da saúde, metal-mecânico e energias renováveis, que apresentem bom rendimento acadêmico.

 

Podem apresentar propostas professores com o título mínimo de especialista ou perfil científico equivalente, vinculados formalmente às Escolas Estaduais de Educação Profissional localizadas no Ceará, conforme critérios estabelecidos no Edital. Além da Bolsa de Tutoria, será concedido ao professor um auxílio à pesquisa para as despesas correntes do projeto a ser desenvolvido.

 

Confira o edital: http://montenegro.funcap.ce.gov.br/sugba/edital/194.pdf

 

Com informações do blog da EEEP Pedro de Queiroz Lima

 

02.01.2014

Assessoria de Comunicação da Funcap

Rafael Ayala (85 3275.9629)