ZPE CEARÁ faz balanço de suas ações em 2013

3 de Janeiro de 2014

Alfandegamento, inauguração e o título de primeira ZPE em operação do Brasil. Essas foram algumas conquistas alcançadas em 2013 e comemoradas pela Companhia Administradora da Zona de Processamento de Exportação do Ceará (ZPE CEARÁ). “Em março tivemos o alfandegamento dado pela Receita Federal e desde então começamos a operar plenamente, recebendo equipamentos e estruturas para a construção da CSP (Companhia Siderúrgica do Pecém). Essa experiência nos fez case de sucesso para diversas outras ZPEs em instalação no País”, disse Cesar Ribeiro, presidente da ZPE CEARÁ.

 

A eficiência operacional da ZPE CEARÁ no recebimento de materiais e estruturas metálicas para a construção da CSP também foi destaque em 2013, uma vez que saltou de 30 caminhões/dia em Junho para 70/80 caminhões/dia em Novembro. “Já estamos também recebendo estruturas que serão utilizadas para a construção da Vale Pecém, segunda empresa a se instalar na ZPE. Além disso, alguns processos administrativos, fundamentais para a bom andamento da Zona de Processamento, foram executados e aprovados”, explica Ribeiro.

 

De acordo com o presidente da ZPE CEARÁ, 2014 será um divisor de águas, uma vez que poderá ser aprovado o projeto de Lei 5957/2013, que propõe a redução de 80% para 60% do volume destinado à exportação para as empresas que se instalarem em ZPEs no País. “Isso significa que, reduzindo o volume destinado à exportação, mais empresas poderão vir a se instalar nas ZPEs, garantindo mais desenvolvimento econômico e social para o Ceará”, informou Cesar Ribeiro. O projeto de lei foi aprovado em novembro de 2013 por unanimidade na Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio (CDEIC) da Câmara dos Deputados e segue para mais duas comissões este ano.

 

O Case ZPE CEARÁ

 

Durante todo o ano de 2013, a ZPE CEARÁ recebeu visitas de empresários de diversos países como Itália, Coréia, Cabo Verde (e demais países africanos) e Portugal, que conheceram in loco o funcionamento da primeira ZPE em operação do País. A ZPE CEARÁ também foi mostrada como exemplo de experiência bem-sucedida em eventos como a Conferência Zonas de Livre Comércio das Américas, em Porto Rico; Encontros de Comércio Exterior – Encomex, no Ceará e I Encontro de Negócios da ZPE Parnaíba, no Piauí. A Companhia também foi apresentada a grupos como Associação dos Jovens Empresários do Ceará (AJE), Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças (Ibef), Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec), Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae),além de palestras para alunos do curso de Comércio Exterior das Universidades Christus e Faculdade 7 de Setembro.

 

Saiba um pouco mais sobre a ZPE CEARÁ

 

A Companhia Administradora da Zona de Processamento de Exportação do Ceará (ZPE CEARÁ) é responsável por implantar, administrar e desenvolver a Zona de Processamento de Exportação do Ceará. A Receita Federal autoriza o funcionamento da ZPE, bem como outorga à ZPE CEARÁ a gestão da zona primária. A ZPE está instalada inicialmente em uma área 572 hectares, sendo a área total de 4.271,41 hectares, no município de São Gonçalo do Amarante, no Complexo Industrial e Portuário do Pecém – CIPP, a cerca de 60 km de Fortaleza.

 

As duas empresas em processo de instalação na ZPE do Ceará são a Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP) e a Vale Pecém. Primeira empresa brasileira a operar em regime de ZPE, a CSP está orçada em US$ 8,1 bilhões, sendo US$ 5,1 bilhões destinados à implantação da primeira fase. Com uma área total de 989 hectares , a CSP tem como acionistas a Vale, Dongkuk e Posco. Em termos de geração de empregos, estão previstos 15 mil empregos diretos e 8 mil indiretos apenas na fase de construção e 4 mil empregos diretos e 10 mil indiretos quando em operação total. A produção estimada de placas de aço é de 3 milhões de toneladas ao ano até 2015 (quando da conclusão da primeira fase) e 6 milhões de toneladas ao ano até 2018 (quando da conclusão da segunda fase). A Vale Pecém é a segunda empresa se instalar na ZPE do Pecém e está voltada para o fornecimento de minério de Ferro à CSP. É autorizada a operar o pátio de minério de Ferro e pelotas, fornecendo à CSP, e ao beneficiamento de matéria-prima. Serão investidos US$ 96,7 milhões na implantação da Vale Pecém, com expectativa de gerar 180 empregos diretos e de início das operações em 2015.

 

03.01.2014

Assessoria de Comunicação da ZPE CEARÁ

Helaine Oliveira (helaine.oliveira@zpeceara.ce.gov.br / 85 8603.1819)