Artigo: A importância do BRICS

23 de Janeiro de 2014

O Ceará tem disso sim

 

BRICS. O acrônimo foi criado pelo professor Jim O’neil, chefe de pesquisa em economia global do grupo financeiro Goldman Sachs, para aludir ao fenômeno danova reconfiguração geopolítica mundial, em que Brasil, Rússia, China, Índia e África do Sul despontam no concerto das nações como grandes potências econômicas, prenunciando a era do multilateralismo ou, como querem alguns, das multipolaridades.

 

O esforço de articulação e identificação de convergências e possibilidades de cooperação entre os estados e povos que formam os BRICS, irmanados na busca permanente pelo desenvolvimento sustentável, apossibilidade mesma de fundação das bases de uma nova ordem política mundial, são todas iniciativas que se tem processado no âmbito das chamadas “Cúpulas dos BRICS”, tendo a primeira destas cimeiras acontecido em Ecaterimburgo, Rússia, no ano de 2009.

 

Além do processo de conhecimento recíproco,aproximação entre países e povos com tantas singularidades e a elaboração de agendas comuns de desenvolvimento, outro grande desafio que se coloca aoshomens políticos, aos ideólogos, estrategistas e executores de política externa destes estados, quer-nos parecer, é a perspectiva de construção de uma nova institucionalidade e regras que pautem as ações e objetivos destes novos “gigantes” da cena política mundial, refletindo a nova correlação de forças que se desenha.

 

A criação de novos organismos internacionais adequados à promoção do desenvolvimento com justiça esustentabilidade ecológica, a superação dos modelos impostos pelo contexto político-econômico do pós-segunda guerra mundial, quando a bipolaridade Estados-Unidos x União das Repúblicas Socialistas Soviéticas e ostensos anos de Guerra-Fria davam ao mundo os contornos de seus interesses e medos, têm sido objeto de estudo e reflexão de tantos quantos se detém seriamente sobre o tema.   

 

A perenidade dessa articulação, que bem reflete o novo balanço de forças políticas e econômicas do planeta e prenuncia as novas hegemonias, dependerá certamente do êxito da empreitada. 

 

Por decisão pessoal da presidenta Dilma Roussef, vivamente impressionada com a grandeza, funcionalidadee excelência do nosso Centro de Eventos, obra do governo Cid Gomes, o Estado do Ceará foi escolhido para sediar a “VI Cúpula dos BRICS”, que contará com a presença de pelo menos cinco chefes de estado e suas comitivas, além de uma legião de jornalistas estrangeiros.

 

Após sediar eventos como a Copa das Confederações e a Copa do Mundo de Futebol, ter entre nós evento dessa magnitude, de imensa importância para o Brasil e para o mundo, é sinal inequívoco de que o Ceará entrou definitivamente na rota dos grandes eventos internacionais, para o incremento da indústria do turismo que tanto gera emprego e renda, além dos ganhos de visibilidade internacional.

 

Trabalhemos para o sucesso do evento!       

 

Hélio Leitão é advogado e assessor para assuntos internacionais do governo  do estado do Ceará.