Hospital César Cals atinge marca de 10 mil registros

14 de fevereiro de 2014

A quinta-feira (13) começou especial para a família de Antônio Querciano de Lima e Mychelle Marçal de Lima Pereira, moradores do bairro Presidente Kennedy, em Fortaleza. Eles são pais de Micaely Marçal de Lima Pereira e Querciely Marçal de Lima Pereira, gêmeas que nasceram no Hospital Geral Dr. César Cals, unidade da rede estadual de saúde, no dia 11 de fevereiro. Elas saem do hospital, numa manhã de chuva, acompanhadas pelo pai e avó, já com o registro civil. Os pais não sabiam, mas o registro de Micaely é o de número 10 mil, alcançado na tarde desta quarta-feira, 12.

 

O registro de nascimento começou a ser disponibilizado no Hospital César Cals em 7 de agosto de 2008, o primeiro hospital da rede pública do Ceará a realizar esse serviço. De lá para cá, 10 mil crianças já foram registradas, saindo da maternidade com as consultas de retorno marcadas, exames do olhinho, da orelhinha e do pezinho realizados, vacinas tomadas, além do primeiro documento.

 

O incentivo ao registro civil já começa nas consultas de pré-natal, no ambulatório. O Serviço Social é responsável pela mobilização, esclarecimento e encaminhamento a partir da conscientização das gestantes e familiares sobre a importância do registro de nascimento. Celi Barbosa, coordenadora do serviço, afirma que as informações e orientações são transmitidas diariamente. Algumas mães já chegam ao hospital sabendo desse serviço, como é o caso de Mychelle Marçal. “Eu já cheguei ao hospital sabendo que poderia registrar minhas filhas e isso facilitou muito, principalmente pelo apoio recebido pelos profissionais”, conta feliz a mãe.

 

O pioneirismo garantiu ao Hospital César Cals a participação na rede de unidades interligadas, que congrega hospitais e cartórios de todo Brasil por meio de um sistema informatizado interligado.  Essa denominação foi implantada pelo Provimento nº 13, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que dispõe sobre a emissão de certidão de nascimento nos estabelecimentos de saúde com maternidade. Atualmente, cerca de 10 a 15 registros são realizados por dia.

 

A Unidade Interligada de Registro Civil fica numa sala própria, bem no centro do hospital, e de fácil acesso às pacientes das enfermarias da maternidade. Antes da alta hospitalar, a mãe, o pai e outros familiares podem comparecer ao posto e juntos registrar os filhos. Essa é mais uma ação humanizada do HGCC que facilita a vida dos pais e contribui para erradicação do sub-registro no Ceará e garante o primeiro documento da vida do brasileiro, essencial para o acesso a serviços básicos como, saúde, educação, moradia e outros direitos. A unidade Interligada do HGCC funciona de segunda-feira a sexta-feira, de 13h às 15h.

 

Conheça o que é necessário para registrar:

PAIS CASADOS: Apenas é necessária a presença de um dos pais com os seguintes documentos:
 – RG original do declarante ( mãe e pai );
 – Declaração de Nascido Vivo (DNV): fornecido pelo hospital onde a criança nasceu;
 – Certidão de Casamento.

PAIS NÃO CASADOS: Comparecer juntos para declarar o nascimento, apresentando os seguintes documentos:
 – RG do Pai e da Mãe;
 – Declaração de Nascido Vivo (DNV): fornecido pelo hospital onde a criança nasceu;
 Observação: quando o pai não quiser dar o seu nome à criança, a mãe poderá fazer o registro sozinha.

PAIS MENORES DE IDADE: Pais com menos de 16 anos somente podem registrar seus filhos acompanhados pelos responsáveis (Pai e Mãe).
 – Documentos já mencionados para pais casados ou não casados;
 – Documentos de identificação dos responsáveis ( Pai e Mãe).

 

14.02.2014

 

Assessoria de Comunicação do HGCC
 Wescley Jorge ( ascom@hgcc.ce.gov.br / 85 3101.5323 – 8828.7463)
 Twitter: @Hosp_CesarCals
 Facebook.com/HospitalGeralCesarCals