Hospital de Messejana é referência estadual no tratamento da Tuberculose Multirresistente

21 de Março de 2014

            Na próxima segunda-feira, 24 de março, é comemorado o Dia Mundial de Combate à Tuberculose. A doença vem sendo reconhecida pela Organização Mundial de Saúde como uma emergência global. O Brasil ocupa o 16º lugar entre os 22 países responsáveis por 80% do total dos casos de tuberculose no mundo. Estima-se 111 mil casos novos, cerca de 6 mil óbitos ocorrendo anualmente em todo o país. Em Fortaleza, dados da Secretaria Municipal de Saúde revelam que em 2013 foram diagnosticados 1.513 casos com 96 óbitos.

 
                Este ano o slogan da campanha mundial é: “Tuberculose existe e tem cura”, chamando atenção para o aumento dos números de casos no mundo. A campanha propõe a ideia do pensamento na doença, pois muitas vidas ainda são perdidas no mundo inteiro. “A falta de informação, a discriminação e o abandono do tratamento são os vilões para esse crescimento”, explica Tânia Brígido, pneumologista e coordenadora do Ambulatório de Controle da Tuberculose do Hospital de Messejana.

                Referência estadual no atendimento a pacientes com Tuberculose, o Hospital de Messejana Dr. Carlos Alberto Studart Gomes dispõe do Ambulatório de Tuberculose Multirresistente, específico para o atendimento de pacientes com a doença. Atualmente, 152 pessoas estão inscritas. “A maioria, 82 pacientes, é portadora da Tuberculose Multiresistente. Grande parte dos casos que estão fora desse perfil deveria ser conduzida por unidades de atenção secundária, conforme orientação do Programa Nacional de Controle da Tuberculose, do Ministério da Saúde, mas como em Fortaleza ainda não existe uma rede hierarquizada, os pacientes são encaminhados para o Ambulatório de TBMR do Hospital de Messejana”, revelou Tânia Brígido, coordenadora do ambulatório e da Pneumologia do Hospital de Messejana.

 
                Os pacientes inscritos no ambulatório são atendidos por uma equipe multiprofissional formada por duas pneumologistas, duas enfermeiras, uma assistente social, uma farmacêutica e uma técnica de enfermagem. Recebem incentivos como vale-transporte e cesta básica, já que a condição sócio-econômica da maioria é precária, muitos vivem abaixo da linha da pobreza.  As cestas são doadas pela Associação Hebert de Sousa, instituição filantrópica ligada ao Hospital de Messejana.

 
Dia Mundial de Combate à Tuberculose (24 de março)
 
                O Dia Mundial de Combate à Tuberculose foi lançado, em 1982, pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e pela União Internacional Contra Tuberculose e Doenças Pulmonares.

A data foi uma homenagem aos 100 anos do anúncio do descobrimento do bacilo causador da tuberculose, em 24 de março de 1882, pelo médico Robert Koch. Este foi um grande passo na luta pelo controle e eliminação da doença que, na época, vitimou grande parcela da população mundial e hoje persiste com 8 milhões de doentes e 3 milhões de mortes anuais.

 
O que é a Tuberculose?
Doença infecto-contagiosa causada pelo “bacilo de Koch”, cujo nome científico é Mycobacterium tuberculosis.

 
Transmissão
Ocorre por meio das secreções respiratórias. Doentes não tratados costumam eliminar grande quantidade de bactérias no ambiente, ao tossir, falar ou espirrar. Esses microorganismos podem ser inspirados por pessoas saudáveis e provocar o adoecimento.

 
Principais Sintomas:
Tosse (por mais de três semanas seguidas);
Febre (mais comum ao entardecer);
Falta de apetite;
Perda de peso e cansaço
Suores noturnos

 
Tratamento:
Ao apresentar esses sintomas, a pessoa deve procurar o posto de  saúde mais próximo de onde mora, para ser examinada pelo médico.
A tuberculose tem cura. Para obter sucesso no tratamento é necessário tomar os medicamentos corretamente durante seis meses, sem interrupção.

 
Serviço:
Ambulatório de Tuberculose Multirresistente do Hospital de Messejana:
Contato: (85) 3101-7813

 

21.03.2014

Assessoria de Imprensa do Hospital de Messejana
Stella Magalhães – Mtb CE01714JP
Contato: (85) 3101-4092