Sobrado Dr. José Lourenço abre exposição do fotógrafo Luiz Achutti

11 de Abril de 2014

As mais de três décadas de carreira do fotógrafo e professor porto-alegrense Luiz Eduardo Robinson Achutti serão retratados em Fortaleza a partir deste sábado (12), no Sobrado Dr. José Lourenço (rua Major Facundo,154, Centro). O mote da exposição Percurso do Artista – Achutti 35 anos de fotografia é apresentar um panorama da farta produção do pesquisador: flagrantes cotidianos e registros fotográficos feitos em viagens a países como Nicarágua, Cuba, França e Alemanha. Boa parte das imagens traz à luz o interesse político e social de Achutti que, além de artista, é antropólogo. Atualmente, ele é professor do programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) – que serviu de palco para a primeira edição do projeto, em 2011. No Ceará, a exposição será gratuita e foi organizada pelo Instituto da Fotografia (IFOTO), UFRGS e Sobrado Dr. José Lourenço.

 

O artista apresentou importantes exposições individuais e coletivas no Brasil e no mundo. Fotografou grandes personagens da política e da arte. No mestrado em Antropologia Social, criou o conceito de “fotoetnografia”, no qual a fotografia se torna uma ferramenta para a narrativa etnográfica. O trabalho do fotógrafo realizado com catadores de lixo em Porto Alegre, por exemplo, mostra este olhar inesperado, espontâneo e humano.

 

Inaugurada em abril de 2011, a primeira edição da exposição teve sua data de encerramento adiada duas vezes, pois a forma de trabalhar didaticamente os elementos da cultura sob a forma do olhar alcançou sucesso de público, entre eles estudantes e professores do ensino fundamental, médio e superior. Em Fortaleza, as 73 fotografias de Achutti devem permanecer expostas por mais de um mês – até o dia 18 de maio. Na abertura da exposição, dia 12 de abril, haverá o “Café com o Zé” – atividade fixa mantida pelo Sobrado em que autores e público participam de um bate-papo aberto, com início às 10 horas.

 

No catálogo que apresentou a primeira edição da exposição, está reunida parte dos 35 anos de fotografias do autor. O livro contém textos de Millôr Fernandes, Ferreira Gullar, Donaldo Schüler e Mauro Koury, além de uma série de textos do próprio Achutti. Millôr Fernandes se refere às fotos como “um mosaico de terras e gentes, (…) a humanidade com suas caras assustadas, seus guerrilheiros sem futuro, crianças que não sabem o que as espera”.

 

No mesmo livro, Ferreira Gullar poetiza a obra, apontando imagens que “já não têm peso/ nem espessura/ são só magia:/ imagem pura:/ arruelas pregos/ lixos do ofício/ metal tornado/ beleza pura:/ fotografia”. Ainda no catálogo, o antropólogo Mauro Koury aponta o “passeio no cotidiano emocional e sentimental de Achutti”.Para Koury, as imagens captadas por Achutti revelam “cada momento de expressão intensa de ternura, de compromisso, de ideologia, de beleza, de arte, de solidão, de esvaziamento, de preenchimento”.

 

A exposição

 

A exposição Percurso do artista – Achutti 35 anos de fotografia é composta de 73 imagens, sendo 62 imagens no formato 80x80cm, nove no formato 150x110cm e duas sequências de fotos no tamanho 131x31cm. Impressas em jato de tinta sob papel enhanced matte, as imagens foram captadas através de tecnologia analógica e digital, PB e coloridas. A exposição faz parte do projeto Itinerância – 80 anos da UFRGS.

 

A curadoria da exposição foi do também fotógrafo, historiador e doutor em Ciências pela Escola de Sociologia e Política de São Paulo, Boris Kossoy. A exposição pode ser dividida em duas esferas: uma levada para um lado mais artístico e outra de cunho social-político.

 

Exposição paralela e os 10 anos do IFOTO

 

Paralelamente à exposição Percurso do artista – Achutti 35 anos de fotografia, o Sobrado Dr. José Lourenço abrigará “Caminhos (CE)”, uma mostra de oito fotógrafos cearenses. A ideia é criar um canal de diálogo entre o autor convidado e a produção local. Na mostra coletiva, o público poderá apreciar os trabalhos de Gentil Barreira, Silas de Paula, Sérgio Carvalho, Celso Oliveira, Sheila Oliveira, Henrique Torres, Galba Sandras e Chico Gomes. Os fotógrafos exibirão trabalhos representativos de seu percurso fotográfico.

 

A vinda de Luiz Achutti e a mostra paralela dão sequência à programação comemorativa dos 10 anos de existência do Instituto da Fotografia (IFOTO). A instituição, sem fins lucrativos, vem fomentando no Ceará discussões sobre fotografia, organizando exposições e debates, projetando a produção fotográfica no estado e mantendo diálogo com o que se produz em âmbito nacional. A exposição de Achutti também comemora os 80 anos da UFRGS.

 

Quem é Achutti

 

Nascido em Porto Alegre (RS) em 1959, Luiz Eduardo Robinson Achutti seguiu os passos de seu avô, de nome Bortolo Achutti, que também era fotógrafo. Começou na fotografia em 1975 no Curso de Foto Cine Clube Gaúcho. Como jornalista, começou na Cooperativa dos Jornalistas de Porto Alegre (Coojornal). Trabalhou depois para Jornal do Brasil, Revista Isto É, Folha de São Paulo, entre outros.

 

Graduou-se em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) em 1985, e concluiu mestrado em Antropologia Social pela mesma instituição (1996). No ano de 1998, Achutti recebeu bolsa de doutorado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e foi estudar na França, onde fez estudos etnológicos na Bibliothèque Nationale de France (Biblioteca Nacional da França). Concluiu doutorado em 2002 em Antropologia na Universidade de Paris 7 Denis – Diderot.

 

Achutti é professor do Instituto de Artes e do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da UFRGS e pesquisador associado à Phanie Centre de l’ethnologie et de l’image em Paris. Em Porto Alegre, desenvolve pesquisas na área de antropologia e em técnicas fotográficas antigas de sensibilização de papéis de desenho. Achutti presta também eventuais trabalhos de consultoria além de atuar fortemente no campo da fotografia documental. Em 1987, criou uma agência de fotografia própria chamada Photon/Fotografia e Notícia. É colaborador eventual do jornal Folha de São Paulo desde 1987.

 

Dr. José Lourenço – um sobrado

 

Construído na segunda metade do século XIX, o sobrado da rua da Palma – atual Major Facundo – é testemunha de épocas distintas da história do Ceará. Primeira edificação de três andares construída no Estado, o Sobrado José Lourenço, como hoje é chamado e reconhecido, já teve múltiplos usos. Foi moradia, consultório médico, oficina de marcenaria, repartição pública, bordel.

 

Tombado pela Secretaria da Cultura do Ceará (Secult), foi restaurado em 2006 pelo Governo do Estado, através da Lei Rouanet. A restauração teve o auxílio dos alunos da Escola de Artes e Ofícios Thomaz Pompeu Sobrinho, que preservaram detalhes originais e revelaram fragmentos de pinturas ocultas, ao longo dos anos, por sucessivas camadas de tinta e histórias. O equipamento cultural foi inaugurado em 31 de julho de 2007, quando abriu as portas ao público com nova destinação: ser um espaço de convivência das artes visuais do Ceará.

 

SERVIÇO

Local: Sobrado José Lourenço – rua Major Facundo,154, Centro – (85) 3101.8826 / 3101-8827

Horários de visitação: terça-feira a sábado, das 9h às 19h | domingo, das 10h às 14h

Abertura: 12 de abril de 2014, às 10h

Encerramento: 18 de maio de 2014

Realização: Instituto da Fotografia (IFOTO), Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e Sobrado Dr. José Lourenço.

Entrada gratuita

 

ENTREVISTAS/MAIS INFORMAÇÕES:

(85) 9917-8148 Rubens Venâncio – diretor do IFOTO

(85) 9985-6990 Fernando Jorge – diretor do IFOTO

(85) 3101.8826 Dodora Guimarães – diretora do Sobrado Dr. José Lourenço

ifotomailing@gmail.com

www.achutti.com.br

www.achutti.wordpress.com

 

11.04.2014

Assessoria de Imprensa da Secult

Dawlton Moura / Sonara Capaverde (85 3101.6761)