Ceará supera própria meta na avaliação do Ideb

22 de Abril de 2014

A aprendizagem dos alunos das escolas públicas cearenses tem melhorado nos últimos anos. O fato pode ser constatado pelo Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), instrumento de medida criado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Os dados mostram que o Ceará atingiu e, em alguns casos, ultrapassou as metas projetadas para 2011. O Ideb alcançado em todo Estado foi de 4,9, quando a média prevista para esse ano era 4,0. Somente em 2017, a expectativa projetada era chegar a 4,8.

 

Com os resultados, o Ceará deixou a 20ª posição, em 2005, para o 4º lugar, em 2011, num comparativo entre os estados brasileiros. A informação é relativa aos anos iniciais do ensino fundamental. A mudança de cenário é atribuída por especialistas a diversas estratégias colocadas em prática nas escolas nos últimos sete anos, envolvendo gestores, professores pais e alunos. As ações chegam aos mais distantes lugares do Ceará, por meio do Programa Alfabetização na Idade Certa, implantado como política pública, a partir de um pacto de cooperação com os 184 municípios, pela atual gestão.

 

Com a meta de alfabetizar todas as crianças de 6 a 7 anos de idade, o Paic está focado em cinco eixos fundamentais: educação infantil, gestão pedagógica da alfabetização, formação do leitor, gestão municipal de educação e avaliação externa. Em 2011, foi ampliado para atender até o 5º ano de escolaridade, por intermédio do Programa Aprendizagem na Idade Certa – PAIC+5. O Paic também contribuiu para a estruturação do Pacto Nacional Alfabetização na Idade Certa (Pnaic).

 

Conforme Lucidalva Bacelar, coordenadora de Cooperação com os Municípios da Secretaria da Educação (Seduc), em 2007, apenas 39,8% dos alunos chegavam alfabetizados ao final do 2º ano do ensino fundamental. Em 2012, esse número subiu para 76,7%. Os dados foram apurados pelo Sistema Permanente de Avaliação da Educação Básica do Ceará (Spaece-Alfa) que também demonstra a queda de 47,5% para 8,7% do percentual de alunos não alfabetizados nessa etapa escolar.

 

No artigo ” O que fazem as boas escolas?”, elaborado pelos professores Joan Edesson de Oliveira e Jocelaine Regina Duarte Rossi, doutor e mestre em Educação Brasileira pela UFC, respectivamente, o Paic é apontado como principal responsável pelo desempenho dos municípios. Conforme os autores, o programa ajudou a trazer à tona a discussão central sobre o processo de ensino e aprendizagem.

 

Cada município tem buscado seu caminho para dar certo na educação. Um desses exemplos vem de Sobral, localizado na região Norte do Estado. Para melhorar a aprendizagem, definiram ações de redução do abandono escolar, de formação dos profissionais e estreitaram contatos entre família e escola. O município ficou em 1º lugar no Ideb entre municípios com mais de 100 mil habitantes. Saiu do Ideb de 4,9, em 2007, para 7,3 , em 2011, quando a média esperada para esse ano era de 4,8.

 

22.04.2014

Assessoria de Imprensa da Seduc

Jacqueline Cavalcante (jacquelinec@seduc.ce.gov.br / 85 3101.3972)