Nos 20 anos sem Moreira Campos, Secult divulga novidades da Bienal do Livro

8 de maio de 2014

A última quarta-feira (07), marca os 20 anos de falecimento de um dos maiores escritores brasileiros de todos os tempos: o cearense Moreira Campos. A Secretaria da Cultura do Governo do Estado presta homenagem ao autor e divulga uma série de atividades relacionadas à vida e à obra do grande contista, que serão realizadas na programação da Bienal do Livro do Ceará 2014, marcada para 5 a 14 de dezembro, no Centro de Eventos do Ceará, com realização do Governo do Estado, por meio da Secult e de secretarias e instituições parceiras.

 

O autor de “Dizem que os cães veem coisas” será o homenageado especial da Bienal, contando com uma série de ações e lançamentos, em sua memória. Começando pela republicação, em dois volumes, da obra completa de Moreira Campos e pelo lançamento de uma obra inédita, “A Gota Delirante”. E pela presença de referências a Moreira Campos, a seu tempo e a seus personagens, na ambientação de toda a Bienal. Incluindo uma reprodução do Bosque Moreira Campos, espaço da Universidade Federal do Ceará (UFC), que será recriado cenicamente no Centro de Eventos.

 

O autor também será celebrado através de uma das mais ricas manifestações da arte e da cultura nordestinas, a literatura de cordel. O renomado cordelista Klévisson Viana produzirá um “romance” especial sobre Moreira Campos, a ser lançado na Bienal do Livro e distribuído para os alunos das escolas da rede estadual de educação.

 

A Bienal também contará com um grande seminário sobre a obra de Moreira Campos, a construção de seus personagens, as especificidades da tessitura de sua prosa, os recursos de estilo e as várias referências presentes, além da repercussão de seu trabalho, nos planos local, nacional e internacional.

 

A homenagem a Moreira Campos na Bienal do Livro incluirá ainda duas exposições. “Uma delas será de capas de seus livros, e outra será uma grande exposição de seu acervo e de sua memória”, destaca Glícia Gadelha, coordenadora de Ação Cultural da Secult e integrante da comissão de curadoria e organização da Bienal do Livro 2014. “Haverá ainda exibição de filmes produzidos a partir da obra de Moreira Campos “, destaca Glícia.

 

Do debate à exposição

 

O Secretário da Cultura do Governo do Estado, Paulo Mamede, aponta que as atividades especiais em tributo a Moreira Campos e a presença do autor como principal homenageado da Bienal do Livro vão dos debates à difusão, sempre com o objetivo de ressaltar a importância do escritor e de colocar sua obra cada vez mais próxima do público.

 

“Teremos desde as reflexões e discussões do seminário, que certamente serão muito ricas e contribuirão para novas leituras possíveis da obra de Moreira Campos, até a publicação dos livros e as atividades de abordagem mais direta para um público mais amplo, como as exposições e exibições de filmes”, afirma o secretário.

 

“Além das referências a Moreira Campos no próprio espaço da Bienal, inclusive com o Bosque, que se tornou um espaço importante não só para a Universidade, mas para toda a cidade”, enfatiza Paulo Mamede. “Ao mesmo tempo em que teremos autores nacionais e internacionais, integrados em um mesmo evento com os escritores do nosso Estado, todos os cearenses estão convidados a comemorar o centenário de nascimento de Moreira Campos em uma Bienal em que pretendemos garantir um maior acesso popular, uma maior proximidade das pessoas com o livro e a leitura, como caminho para a cidadania cultural”, complementa o secretário.

 

A Bienal 2014

 

A Bienal do Livro do Ceará 2014 será um evento de grandes dimensões, contemplando diferentes segmentos da cena literária, do infantil ao acadêmico, do juvenil às biografias, dos estreantes aos veteranos, dos livros para públicos mais específicos às publicações de maior apelo e resposta de público. “A ideia é contemplar, com destaque e visibilidade, tanto autores, editoras e livreiros locais quanto nomes e empresas consagrados no cenário nacional, além de escritores internacionais”, destaca a secretária adjunta da Secult, Ana Márcia Diógenes.

 

“Trabalhamos para construir uma Bienal capaz de mobilizar e seduzir diferentes públicos, com variadas interfaces (feira de livros, lançamentos, debates, oficinas, apresentações artísticas), primando pela qualidade. Como objetivo geral, fomentar a cena local, estimular a leitura e aproximar leitores e autores”, aponta Ana Márcia.

 

Outra diretriz da Bienal é a integração com as ações das políticas de educação e de livro e leitura do Ceará, com a presença de estudantes e professores das escolas da rede estadual, de representantes da rede estadual de bibliotecas, a participação dos agentes de Leitura e ações para visibilidade a livros de autores cearenses, publicados com apoio da Secretaria da Cultura através dos editais do Mecenato e de Incentivo às Artes.

 

08.05.2014

Assessoria de Imprensa da Secult

Sonara Capaverde (85 9608.5822)