Teatro Carlos Câmara apresenta o Recital Sarau Imperial neste sábado (17)

16 de maio de 2014

Um grupo de 78 jovens artistas da orquestra da Fundação Raimundo Fagner, sendo 41 de Canto Coral e 37 instrumentistas, sobe neste sábado (17), às 17 horas, no palco do Teatro Carlos Câmara com entrada franca, em Fortaleza, para mostrar o resultado de amplos estudos sobre a música no império brasileiro, que resultou no espetáculo “Sarau Imperial”. O recital traz canções de compositores brasileiros de um dos períodos mais efusivos da história da música brasileiras. No período do império no Brasil. O repertório da apresentação traz obras dos principais compositores da época, como Padre José Maurício Nunes Garcia (1767–1830) e Marcos Portugal (1762–1830).

 

O espetáculo faz um resgate à revolução provocada no ambiente musical carioca depois da chegada da corte portuguesa. Com base no projeto D. João VI no Brasil, Música para o Príncipe! Os alunos da Fundação Raimundo Fagner, bem como o público presente ao espetáculo poderá ter um panorama daquele que foi um dos períodos mais efusivos da história da música brasileira. O repertório da apresentação trará obras dos principais compositores do período abordado, a exemplo do Pe. José Maurício Nunes Garcia (1767 – 1830) e de Marcos Portugal (1762 – 1830).

 

O Recital é resultado do trabalho do projeto Aprendendo com Arte, que atende cerca de 400 crianças e adolescentes de Fortaleza e Orós No projeto, eles participam de grupos de flautas, grupos vocais e grupos de violão que estudam a música brasileira, com direção musical do maestro David Castelo e orientados pelo maestro Ezequiel Moreira e Raimundo Nonato.

 

A Fundação Raimundo Fagner

Contribuindo com o desenvolvimento humano e social das famílias do município de Orós, sua cidade natal, o cantor Raimundo Fagner criou, em 3 de abril de 2000, a Fundação Social Raimundo Fagner, investindo em educação complementar para o desenvolvimento de crianças e adolescentes na faixa etária de 7 a 17 anos. São em geral vindos de famílias de renda inferior a um salário mínimo, em situação de risco social e matriculadas na rede pública de ensino.

 

A Fundação Raimundo Fagner desenvolve suas ações por meio do Projeto Aprendendo com Arte, uma proposta de educação em arte que visa promover o desenvolvimento humano, o pensamento artístico e a percepção estética, com oficinas de sensibilização nas diversas áreas artísticas, principalmente na música. São 400 alunos recebendo programas que trabalham o incentivo à educação, com aulas de literatura e informática, capoeira e esporte, atividades orientadas para o desenvolvimento da criatividade e relacionamento grupal, integração de atividades pedagógicas às ações de saúde, ações de cidadania e de fortalecimento das relações familiares.

 

Projeto Aprendendo com Arte

O projeto Aprender com Arte oferece a 400 alunos programas que trabalham no incentivo à educação, à leitura, aulas de literatura e informática, capoeira e esporte, atividades orientadas para o desenvolvimento da criatividade e relacionamento grupal, integração de atividades pedagógicas às ações de saúde, ações de cidadania e de fortalecimento das relações familiares.

 

Nas oficinas de música são desenvolvidas aulas de teoria musical, instrumentos musicais e de história da arte, visando compartilhar este conhecimento para crianças e adolescentes, usando como temas de estudos os seguintes períodos musicais: ‘Momento Histórico: Renascença, Barroco, Clássico, Romântico, Moderno e Contemporâneo’; ‘Desafio: Conhecer o modo como os artistas, na sua época, criavam sua arte’.

 

Lá eles participam de atividades desenvolvidas nos grupos de flautas, grupos vocais e grupos de violão, grupos de capoeira e percussão. Deles, originaram os espetáculos: Bumba-Meu-Boi, da Fundação; Romeu e Julieta, de William Shakespeare; e o Recital trabalhado neste período, “Os Jesuítas e sua Música para a Catequese”.

 

Serviço
Data: 17 de maio

 

Local: Teatro Carlos Câmara, Rua Senador Pompeu 454, Centro de Fortaleza
Entrada Franca
Informações: (85) 3274.3726.

 

 

16.05.2014

Assessoria de Imprensa da Secult