Vacina contra hepatite A já está disponível nos postos de saúde

9 de julho de 2014

A partir deste mês de julho, a vacina contra a hepatite A passa a fazer parte do calendário básico de vacinação e está disponível nos postos de vacinação e unidades básicas de saúde de todos os municípios do Ceará, de acordo com a Coordenação Estadual de Imunização, da Secretaria da Saúde do Estado. Devem ser vacinadas crianças de 1 a menores de 2 anos de idade. Estudo feito pelo Ministério da Saúde mostra que a vacina tem impacto importante na epidemiologia da doença, com a redução de 64% nos casos em fase aguda, diminuição de 59% na quantidade de óbitos e a atenuação 62% dos anos de vida perdidos em decorrência da doença. A nova vacina está sendo introduzida no Calendário Nacional de Vacinação e passa a fazer parte da rotina de vacinação com o objetivo de prevenir e controlar a hepatite A na fase adulta.

 

O Brasil é considerado um país com áreas de risco para a doença. A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) estima que ocorram no Brasil 130 novos casos/ano por 100 mil habitantes e que mais de 90% da população maior de 20 anos tenha tido exposição ao vírus. A hepatite A é uma doença infecciosa aguda, causada pelo vírus da hepatite A, que produz inflamação e necrose do fígado. A transmissão do vírus é fecal-oral, através da ingestão de água e alimentos contaminados ou diretamente de uma pessoa para outra. Uma pessoa infectada com o vírus pode ou não desenvolver a doença. Durante o período de incubação, que leva em média de duas a seis semanas, os sintomas não se manifestam, mas a pessoa infectada já é capaz de transmitir o vírus.

 

Geralmente, é na infância que se entra em contato com o vírus. Por isso, as crianças constituem grupo de risco importante.

 

A hepatite A é uma doença de curso benigno, mas potencialmente grave. Embora não sejam frequentes, complicações podem surgir. Uma delas, a hepatite fulminante, é um quadro que se caracteriza pela necrose maciça e morte das células hepáticas nas primeiras seis a oito semanas da infecção. São raros os casos de pacientes com mais de 50 anos que sobrevivem a essa forma da doença. A hepatite A pode ser evitada através das medidas de prevenção contra doenças transmitidas por água e alimentos, além da vacinação. As medidas de proteção contra doenças transmitidas por contaminação de água e alimentos, incluem a utilização de água clorada ou fervida e o consumo de alimentos cozidos, preparados na hora do consumo. Deve-se lavar criteriosamente as mãos com água e sabão antes das refeições e evitar o consumo de bebidas e qualquer tipo de alimento de procedência suspeita.

 

09.07.2014

 

Assessoria de Comunicação da Sesa

Selma Oliveira / Marcus Sá

selma.oliveira@saude.ce.gov.br / 85 3101.5220 / 3101.5221

Twitter: @SaudeCeara

www.facebook.com/SaudeCeara