Nota técnica alerta sobre febre chikungunya e confirma caso importado

17 de julho de 2014

A Secretaria da Saúde do Estado divulgou nota técnica em que confirma a ocorrência de caso importado de febre chikungunya no Ceará, no município de Brejo Santo, no início deste mês. O paciente do sexo masculino, de 25 anos, residente em Pernambuco, viajou em junho para a República Dominicana, retornando ao Brasil em 1º de julho. No mesmo dia viajou de ônibus para Brejo Santo, para visitar familiares. No dia seguinte apareceram os sintomas da doença, que são semelhantes ao da dengue. Em 3 de junho, o médico que atendeu o paciente suspeitou de chikungunya e determinou o isolamento por dez dias, para evitar a transmissão autóctone. A Secretaria Municipal de Saúde e a Secretaria da Saúde do Estado realizaram todos os procedimentos de investigação epidemiológica e controle vetorial para evitar a disseminação da doença. O paciente já se recuperou e, na quarta-feira, 16 de julho, retornou ao Recife, onde mora.

 

A febre chikungunya é uma doença causada pelo vírus CHIKV, transmitido pelos mosquitos Aedes aegypti, o mesmo da dengue, e Aedes albopicus. É caracterizada por febre de início súbito e dor articular intensa. A maioria dos pacientes melhora depois de sete a dez dias. A doença tem transmissão autóctone na África, Ásia e, a partir do final de 2013, em países do Caribe, como a República Dominicana, e, ainda, Haiti, Guiana, Guiana Francesa e Porto Rico.  No Brasil há registro somente de casos importados, no total de 20, até o dia 8 de julho.

Veja a íntegra da Nota Técnica Alerta sobre febre chikungunya

 

Assessoria de Comunicação da Sesa
Selma Oliveira / Marcus Sá /  (  selma.oliveira@saude.ce.gov.br / 85 3101.5220 / 3101.5221)