Cagece tem rigoroso controle de qualidade da água

28 de outubro de 2014

A Cagece garante o controle da qualidade dos seus produtos, com um processo rigoroso de aferição que obedece à Portaria 2914/2011 do Ministério da Saúde. Esse rigoroso controle acontece em todas as etapas de produção de água potável, mas tendo como referência o Laboratório Central da Companhia, situado em Fortaleza. Desta forma, a Companhia realiza esse monitoramento desde a captação de água bruta no manancial, até os pontos de distribuição da água na rede. Ao todo, por mês são efetuadas em torno de 220 mil análises.

 

Entre os principais parâmetros aferidos estão turbidez, cor e análises bacteriológicas, até parâmetros como metais pesados, agrotóxicos, substâncias orgânicas, e outras que representam risco à saúde. Ao todo, são mais de 100 parâmetros, entre microbiológicos, inorgânicos, orgânicos, agrotóxicos, hidrobiológicos e desinfetantes.

 

Todos os sistemas produtores de água da Cagece com Estação de Tratamento de Água (ETA) dispõem de um pequeno laboratório, onde a cada duas horas são colhidas amostras da água bruta e tratada para análise. Isso permite ajustar o processo de tratamento para adequar as características físicas, químicas e bacteriológicas da água bruta ao padrão de potabilidade.

 

Saindo das ETAs a qualidade da água é monitorada pelos laboratórios regionais, os quais são responsáveis por aferir a qualidade da água nos reservatórios e redes, em quantidade e freqüência de análises exigidas pela Portaria 2914/2011.

 

Desta forma, cada Unidade de Negócio do interior conta com um laboratório regional de médio porte que dá o suporte de controle de qualidade aos sistemas sob sua responsabilidade. Neles, a água da saída das estações é monitorada semanalmente, através de análises mais completas; e diariamente, de acordo com a população abastecida, é realizado um número variável de análises de amostras da água coletada na rede de distribuição desses sistemas.

 

Além dos 196 laboratórios operacionais, localizados nas ETAs, e dos 8 laboratórios regionais, a Cagece possui o Laboratório Central o qual é responsável por monitorar diariamente a qualidade da água distribuída por toda a rede de distribuição da região de Fortaleza, Caucaia e Maracanaú. O Laboratório Central também é responsável pelas análises completas da ETA Gavião; além do monitoramento hidrobiológico de todos os mananciais superficiais utilizados pela Cagece.

 

Além disso, o Laboratório Central da Cagece possui Certificação ISO 9001: 2000 para o sistema de gestão de Qualidade implantado no Laboratório Central, desde 2006. Os benefícios são, entre outros, permitir o rastreamento de todas as etapas do processo, permitir a uniformidade analítica dos procedimentos, garantir a confiabilidade dos resultados das análises.

 

Para garantir a qualidade da água até a torneira de casa, a caixa d’água precisa ser limpa periodicamente. Estas são as etapas da lavagem da caixa d’ água:

 

– Feche o registro geral ou prenda a bóia de entrada de água na caixa e, para evitar desperdício, utilize a água armazenada para limpezas diversas, como banheiros, pisos, jardim, até restar apenas cerca de um palmo de água na caixa.

– Tampe a boca do cano de saída da água com um tampão de madeira ou um pedaço de pano, para que a sujeira não entre no encanamento da casa.

– Com uma escova ou vassoura de nylon nova, lave e esfregue as paredes e o fundo da caixa com a água restante. Não use sabão.

– Abra o registro de descarga da caixa ou faça um sifão com uma mangueira para esgotar toda água suja usada na limpeza.

– Depois de bem limpa a caixa-d’água, retire o tampão da boca do cano de saída, abara o registro geral de entrada da água ou solte a bóia para encher a caixa. Adicione 1 (um) litro de água sanitária para cada 500 (quinhentos) litros de água na caixa e mexa para obter uma boa mistura.

– Espere 12 horas e não utilize essa água para consumo humano. Se não puder esperar 12 horas, coloque 2 (dois) litros de água sanitária (pura, sem aditivos químicos) para cada 500 (quinhentos) litros de água e espere 8 horas. Ou coloque 4 (quatro) litros de água sanitária e espere 4 horas. Obedeça rigorosamente o tempo proposto.

– Feche novamente a entrada de água, ou prenda a bóia e esvazie a caixa-d’água, abrindo todas as torneiras e dando descarga no banheiro.

– Feche a caixa, verificando se a tampa ficou bem vedada, para evitar a entrada de materiais indesejáveis, pequenos animais e insetos, insetos, inclusive o mosquito transmissor da dengue.

– Abra o registro de entrada de água ou solte a bóia, passando a usar novamente a água da caixa. Este procedimento deve ser usado para caixas-d’água de até 2.000 (dói mil) litros de capacidade. Para reservatórios maiores, contrate uma firma especializada ou entre em contato com a Cagece para outros esclarecimentos.

 

28.10.2014

 

Assessoria de Comunicação e Relacionamentos da Cagece
Sabrina Lemos – 85 3101 1826 /  3101 1828/ 8878 8932