Programação do Dragão do Mar reúne música, dança e debates culturais em novembro

3 de novembro de 2014

? Ciclo de conversas GOLPE DE VISTA [fotografia]

 

O Programa de Educação Tutorial (PET) Pedagogia/UFC e o Laboratório de Pesquisa Digitais e Imagéticas da Faculdade de Educação/UFC iniciam as atividades do “Golpe de Vista”, no próximo dia 4, no Auditório do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura.

 

Trata-se de encontros mensais em que convidados e público trocam experiências sobre imagem e artes visuais com ênfase na fotografia e seus desdobramentos. A iniciativa objetiva aprimorar os conhecimentos fotográficos de forma coletiva e fomentar fotopasseios mensais e intervenções no formato fotoclubista.

 

Na terça, dia 4 de novembro, às 19h, será realizado o primeiro ciclo de conversa, sob o tema “Fotografia de Rua”. Os convidados são: Mika Holanda, Deivyson Teixeira e André Bessa. O evento é uma parceria com o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura.

CONVIDADOS

 

André Bessa // Empresário e fotógrafo. Seu trabalho é focado na fotografia de rua, observando o cotidiano das cidades e das pessoas. Participou do Festival Encontros de Agosto de 2013 e Exposição Coletiva Lines – Londres 2014.

 

Mika Holanda // Mika Holanda, estudante de jornalismo, 27 anos. Iniciou na fotografia em 2011 e de lá pra cá desenvolve trabalhos com perspectivas urbanas. Trabalhou como fotografo documentarista na OSUECE (Orquestra Sinfônica da UECE), já expôs na Feira da Fotografia e no Shopping Benfica, além da SEMACOM 2014, no Centro Universitário Estácio FIC. Participou do festival de fotografia de Dubai, sendo classificado em duas categorias, Geral e Preto e Branco. Esse ano, ganhou o concurso Cultural Sua Foto, da Revista National Geographic Brasil. Atualmente participa de projetos fotográficos documentais junto à fotógrafos renomados da cidade, coordena um grupo de fotografia de rua com alunos universitários e atua como freelancer para jornais.

 

Luiz Alves // Luiz Alves de Lima Júnior nasceu em Tabuleiro do Norte em 1979. Hoje residente em Fortaleza, onde iniciou seus estudos com a fotografia em novembro de 2013, ingressando no percurso fotográfico do Porto Iracema das Artes. Participou na cobertura de alguns eventos culturais, e atualmente desenvolve alguns projetos autorais, com destaque para a fotografia de rua. Apaixonado pela fotografia, escolheu seguir carreira nessa área pela inquietude de querer descobrir o mundo nos seus mínimos detalhes, revelando-o e revelando-se nesse processo transformador que é a o da construção de um fotógrafo.

+ Dia 4, às 19h, no Auditório. Acesso gratuito.

Contato: Eden Barbosa (Produção) 85.99040014 / barbosa.eden@gmail.com

 

 

? DIA DA CULTURA: Dragão do Mar traz renomados profissionais e pesquisadores para discutir a importância cultural do Nordeste. Com shows de Mestre Zé Pio e Descendentes da Índia Piaba.

 

Quarta-feira, dia 5 de novembro, é o Dia Nacional da Cultura Brasileira. Num momento em que estão aflorados (e inflamados) os debates em torno dos “papéis” de cada região deste País, o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura aproveita a data e o contexto para promover o debate “Nordeste: matriz cultural do Brasil”, nesta quarta-feira (5), às 19h30, no Teatro Dragão do Mar. Vão compor a mesa: o ator e diretor Sérgio Mamberti, o historiador Frederico Pernambucano de Mello, o fotógrafo Tiago Santana e o presidente do Instituto Dragão, Paulo Linhares. O debate terá mediação do jornalista e diretor institucional do Grupo de Comunicação O POVO, Plínio Bortolotti.

 

A ideia do debate é fortalecer os discursos sobre a importância do Nordeste para o Brasil. A partir da experiência e dos estudos que grandes nomes da cultura trarão à mesa, o público poderá entender um pouco do por que a cultura nordestina é tão original e forte em diferentes linguagens da arte e da cultura: música, cinema, dança, teatro, literatura, artes visuais etc. De onde vem essa força?

 

Os convidados trazem diversidade ao debate. Enquanto o antropólogo cearense Paulo Linhares apresenta o recorte do sertão do gado na antropologia cultural do Nordeste, o historiador recifense Frederico Pernambucano de Mello fala da cultura surgida a partir do cangaço e do açúcar, em Pernambuco. O fotógrafo Tiago Santana, autor da recém-lançada publicação “Céu de Luiz” – em que traz as imagens do sertão que inspirou Luiz Gonzaga – apresenta ao público a força da imagem e da paisagem na construção do imaginário do Brasil.

 

Já Sérgio Mamberti, hoje um dos mais engajados nomes no fomento de políticas públicas culturais no País, deve fazer um panorama atual da cultura nordestina dentro da cultura brasileira. No período de 2003 a 2013, Mamberti atuou no Ministério da Cultura como Secretário da Identidade e da Diversidade Cultural, Presidente da Fundação Nacional de Artes e Secretário de Políticas Culturais.

 

Apresentações culturais

 

Após o debate, atrações tipicamente nordestinas vão embalar o Dia Nacional da Cultura Brasileira, no Centro Dragão do Mar. É uma das atrações: Mestre Zé Pio, que foi diplomado como Mestre da Cultura no ano de 2005 pela Secretaria da Cultura do Estado do Ceará por fazer um importante trabalho social, educativo e cultural. Mestre Zé Pio traz a brincadeira de bumba meu boi, com vaqueiros, capitão índias, reis, rainhas. Sem contar a percussão bem nordestina de tambores, tarol, caixa, pandeiro, violão e as respostas das rimas improvisadas pelo Mestre.

 

Outra atração da noite é a banda Descendentes da Índia Piaba. Fortementes influenciados pelo carimbo elétrico de Pinduca, Pim, Alípio Martins e pela guitarrada de Vieira e Aldo Sena, ritmos que fizeram grande sucesso na Fortaleza dos anos setenta e oitenta, os Descendentes tocam seus tambores ancestrais e revivem a selvagem guerreira através do estranho ritual da pajelança, misturando Pará e do Ceará com a energia do Carimbó Punk.

 

+ Dia 5, às 19h30, no Teatro Dragão do Mar. Acesso gratuito (sujeito à lotação). Shows na Arena Dragão do Mar, às 21h30. Acesso gratuito.

 

SOBRE OS PARTICIPANTES

 

Paulo Linhares // É pós-graduado em Antropologia Social pela Universidade René Descartes – Paris V e Doutor em Sociologia pela Universidade Federal do Ceará. Foi Secretário da Cultura do Estado do Ceará de 1993 a 1998. Criou o Instituto Dragão do Mar, o Centro Cultural Dragão do Mar, a Bienal do Livro, a Orquestra Eleazar de Carvalho e a Escola de Artes e Ofícios Thomaz Pompeu Sobrinho.

 

Foi presidente da Comissão Especial do Ensino Superior, na Assembleia Legislativa do Ceará, do Instituto de Estudos e Pesquisas para o Desenvolvimento do Estado do Ceará – INESP/Assembleia Legislativa do Ceará e da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Audiovisual do Brasil.

 

Atualmente, é Professor do Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal do Ceará – UFC e Presidente do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura.

 

Sérgio Mamberti // Responsável pela direção artística do projeto “Teatro Crowne Plaza”. Ator, diretor, artista plástico e produtor. Natural de Santos/SP, 75 anos. Iniciou sua carreira em 1956 com a peça “Revellation” de Tristarn Bernarn. Formado pela Escola de Arte Dramática em 1961, tem participado ao longo de 40 anos de carreira de alguns dos mais significativos e polêmicos momentos do teatro brasileiro, como a peça “Navalha na Carne” de Plínio Marcos e “O Balcão“ de Jean Genet. Ao todo são quase 70 peças teatrais, 25 longas – metragens e 16 telenovelas, além de inúmeras participações especiais em programas de televisão. Como Zorra Total Armação Ilimitada. Assinou ainda a direção de 5 peças de teatro, além de ter atuado como produtor em outros 6 eventos. Durante este período tem sido reconhecido como um dos mais ostensivos defensores da cultura nacional, colocando-se sempre à frente das mais diversas manifestações dos meios artísticos e intelectuais. Foi também membro da Coordenação do Comitê de Cultura da Frente Brasil Popular para Cidadania.

 

No período de 2003 a 2013, esteve atuando no Ministério da Cultura, como Secretario da Identidade e da Diversidade Cultural, Presidente da Fundação Nacional de Artes e Secretário de Políticas Culturais.

 

Foi coordenador do programa de Governo para a Cultura, do candidato Alexandre Padilha ao Governo de São Paulo.

 

Frederico Pernambucano de Mello // Nasceu no Recife, em 2 de setembro de 1947. Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais, pela Faculdade de Direito do Recife, sua especialização profissional abrange, além do Direito, Administração de Assuntos Culturais: Política e Gerência.

 

Em 1988, foi eleito para a Academia Pernambucana de Letras (APL); é membro do Instituto Arqueológico, Histórico e Geográfico Pernambucano, e superintendente do Instituto de Documentação da Fundação Joaquim Nabuco (FJN).

 

Publicou: Rota Batida – Escritos de Lazer e de Ofício; Guerreiros do Sol – O Banditismo no Nordeste do Brasil (Prêmio Othon Bezerra de Mello, da APL); A Tragédia dos Blindados – Um Episódio da Revolução de 30 no Recife (Prêmio Governo de Pernambuco/Fundarpe).

 

Tiago Santana // Fotógrafo, atua desde 1989, desenvolvendo ensaios pelo Brasil e América Latina. Em 1994 recebeu a Bolsa Vitae de Artes com o projeto Benditos, livro homônimo publicado em 2000; e o Prêmio Marc Ferrez de Fotografia, em 1995. Em 2007 ganhou os Prêmios Conrado Wessel de Ensaio Fotográfico e APCA, pelo ensaio O Chão de Graciliano, livro realizado em parceria com o jornalista Audálio Dantas. Ganhou o Prêmio O Melhor da Fotografia no Brasil em 2007, 2008 e 2009. Em 2010 recebeu o Prêmio Porto Seguro Brasil de Fotografia. Tem trabalhos publicados em revistas e livros no Brasil e no exterior. Sua obra integra importantes acervos e coleções de fotografia. Em 2011 foi o segundo brasileiro a ter seu trabalho publicado na coleção de fotografia francesa Photo Poche. Organizou diversas exposições e festivais de fotografia no Brasil. É fundador da editora Tempo D’Imagem.

 

 

? Paula Tesser faz show de lançamento do álbum “Valha”, no dia 7 de novembro, no Dragão

 

O Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura recebe, no dia 7 de novembro, grande show de lançamento do primeiro disco solo da cantora cearense Paula Tesser. Será a segunda apresentação desde a estreia de sucesso no Sesc Pompeia, em São Paulo, neste início de mês. O show de abertura fica por conta do cantor e compositor cearense Oscar, que promete esquentar o público, logo às 20h, no Anfiteatro do Dragão.

 

O disco VALHA foi gravado em 2013 nos estúdios Navegantes (SP) e Trilha Sonora (Fortaleza), com produção e arranjos de Dustan Gallas. “O disco é fruto de uma relação afetiva que tenho com o Dustan. Nossa ideia era ter compositores cearenses da geração antiga e contemporâneos nossos. A música francesa, na letra de Jacques Prévert, tinha que estar também por fazer parte de um momento importante da minha vida. A diversão está presente em tudo”, define Paula.

 

Nascida na França, filha de pais brasileiros, Paula Tesser retornou a Capital em 2007, depois de 15 anos morando em Paris, onde concluiu doutorado em Sociologia sobre o Mangue Beat e Chico Science, na Sorbonne. Nesse período, cantou nos discos “Boss-a-troniq2 2001” e “EDC Passport” (Warner/Amsterdam), “Cannes 2001 – PalmBeach” (Wagram/Paris), “Kinobox/Realejo Quartet 2002” (Independente/Fortaleza) e também compôs e cantou para o cinema francês: “Trois Zéro”(2001) e “Quelqu’un de bien” (2002).

 

Em 2004, gravou em Fortaleza o disco ao vivo “Retrato do vento”, em parceria com o cantor e compositor Valdo Aderaldo. Em 2008, gravou a música “Zum Zum”, num dueto com o cantor e compositor cearense Fausto Nilo (“Pão e Poesia”) e, em 2010, gravou três canções no disco “Cânticos Budistas” de Francisco Casaverde. Em 2010, Paula Tesser acompanhou a cineasta francesa Agnés Varda em sua visita à Escola de Artes Visuais de Fortaleza. O fruto desse encontro é a participação no filme “Agnés Varda De ci, de lá” (2011) cantando “Samba do Metrô” ( Valdo Aderaldo).

 

Show de abertura

 

Após uma temporada intensa de shows de lançamento do álbum Revolução, entre 2012 e 2013, com destaque para o show realizado no Prata da Casa, projeto do SESC Pompeia em São Paulo, Oscar Arruda em 2014 retorna à experimentação sonora para a concepção de um novo trabalho musical.

 

Para o show no Dragão do Mar, Oscar conta que apresentará músicas inéditas. “Vamos mostrar ao público os primeiros resultados de uma nova experiência musical em construção”. Oscar faz parte da nova geração da música feita no Ceará, apresentando um trabalho original e de qualidade. É um guitarrista ativo na cena local com parcerias com outros artistas e projetos musicais. Em seu trabalho solo, Oscar utiliza-se de recursos analógicos para produção de uma sonoridade com referências estéticas no rock e folk dos anos 1970, agregando elementos da linguagem contemporânea e de seu contexto musical próprio.

 

SERVIÇO

Show Valha, de Paula Tesser // abertura: Oscar

Quando: dia 7

Hora: 20h

Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia)

* Cada ingresso dá direito ao acesso de uma pessoa no show de Soledad Brandão, no mesmo dia, no Mambembe, à meia-noite.

Saiba mais sobre o álbum

(Por Ricardo Lisboa)

 

Não se engane com a voz doce que aparece como se fosse a primeira vez, sutil e mansa como em “Cobra” (Stélio Valle/Alano Freitas), faixa inicial deste Valha. Paula Tesser é grande, apesar do aspecto mignon. Está há vinte anos na estrada, fazendo o que faz melhor, cantar. O disco que sai somente agora em 2013 é o trabalho de uma vida que toma forma e corpo, trazendo referências de vários lugares por onde ela passou e de amigos que angariou.

 

O nome do disco tem o significado do espanto, no entender do Ceará, de onde ele vem. É também e principalmente o poder que algo tem de valer e aí é onde reside, pesa e faz diferença. O valor de Valha está na luz interna, naquilo que quebra, na antítese da tortura.

 

Ao escutar Valha, o sentimento é o de que as faixas pertencem umas às outras, fazendo que uma música valorize ainda mais a seguinte e assim por diante. Ao se encontrar com as faixas em progressão, há um ápice nas “Quase Pronto” (Oscar Arruda), com cordas que remontam a um mergulho em águas termais, e “Você tem medo de gostar de mim” (Dustan Gallas) , que tem o espírito do rock’n’roll partindo da jovem guarda até chegar à psicodelia.

 

Arranjos impecáveis como em “Bolero Negro”(Dustan Gallas/Fausto Nilo), trazendo à tona uma mistura exótica e bem temperada de surf music com introspecção. O genial de recolocar em foco o suingue caribenho de “Pode me Torturar”(Eliane/José Lima), famosa na voz da forrozeira Eliane há quase 30 anos, é uma das principais conquistas de Valha.

 

Daí o disco dá a impressão de recomeçar e se refaz crescendo com “Démons et Merveilles” (Maurice Thiriet/Jacques Prévert), representando a fase em que Paula viveu na França, onde nasceu. Passa por “Luz Interior” (Arthur Braganti) que poderia ser uma faixa perdida do Fruto Proibido de Rita Lee. Chega ao amor bucólico de “Pé de Espinho” (Rogério/E. Stones/LC Pinoquio) e fechando com “Tudo Blue” (Pepeu Gomes/Fausto Nilo), que batiza Valha em seu refrão.

 

Os estilos se diversificam por todo o álbum e se sobrepõem lindamente, do mesmo jeito em que se vê na capa e no encarte. Paula Tesser (re)aparece para tomar um lugar que sempre foi dela, o de grande intérprete do Brasil, e melhor, de um Brasil não evidente, desmarcado, com cara de novo sem esquecer do seu passado. As duas composições de Fausto Nilo e majoritariamente as composições do menino de ouro Dustan Gallas, que também é o produtor musical do disco, comprovam esta busca em si mesma para projetar no disco. O Brasil, pródigo por ter um arsenal de grandes cantoras, agora pode referenciar Paula Tesser em sua estreia mais que bem-vinda.

 

Contato: Soledad Brandão 9728.6576

 

? Sax in Cena [Circuito de Música Erudita]

 

Fundado em julho de 2006, o Sax in Cena é o primeiro quarteto de saxofone profissional do Ceará. Com repertório variado, entre clássicos da música erudita e popular, passeia por gêneros como choro, frevo, jazz, xote, entre outros. O grupo trabalha com a proposta de formação de plateias, procurando despertar, nas mais diferentes faixas etárias, o interesse pela música.

 

+ Dia 9, às 18h, no Auditório. Ingressos: R$ 4 e R$ 2 (meia)

Contato: Rocha (8616-7017 / producao@orquestra-ce.org.br)

 

? Festival Ponto.CE [festival cultural]

 

Um dos principais festivais de cultura do Ceará já tem data certa para acontecer. De 6 a 9 de novembro, será realizada a oitava edição do Festival Ponto.CE, que já se tornou uma tradição e entrou para o calendário cultural do Estado do Ceará. O evento, realizado no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, tem como um dos diferenciais unir, em um só lugar, diversas atrações nas áreas da música, dança e audiovisual, com programação voltada para todos os públicos. Adultos e crianças têm atividades garantidas e gratuitas durante todos os dias do festival.

 

No total, já passaram pelo evento 813 artistas, entre músicos nacionais e internacionais, bailarinos e expositores. Na última edição, em 2013, houve um total de 357 artistas, que se apresentaram para um público de mais de 11 mil pessoas. Conta com o patrocínio da Coelce e da Oi e com apoio do Governo do Estado do Ceará e do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura.

 

De acordo com um dos organizadores do evento, Rafael Bandeira, trata-se de um momento em que as pessoas podem dialogar com diversas linguagens. O público da dança se aproxima da música e do audiovisual e vice-versa. “É uma diversidade de linguagens às quais os participantes terão acesso”. A área audiovisual vai trazer uma web plataforma com diversas informações sobre as edições anteriores, depoimentos de quem já participou, além de pequenos programas.

 

As atrações serão divididas por dia. A programação de dança, realizada no Sesc Iracema, acontecerá quinta, sexta e sábado. Enquanto a musical será sexta e sábado. Já o domingo será reservado para o público infantil, com diversas atividades voltadas para as crianças. O público ainda terá acesso a ciclo de cursos e palestras.

 

MÚSICA

 

Para cada dia reservado para a música, serão sete bandas. Na sexta-feira, 7 de novembro, sobem ao palco: Amsterdã, Cruz, Facada, Far From Alaska, Matanza, Mukeka di Rato, SOH. Já o sábado será animado por Felipe Cazaux, Gram, Rocca, Síntese, Sulamericana, Supercombo. Uma última atração para este dia está sendo fechada.

 

Já passaram pelo Festival Ponto.CE, bandas como “Cachorro Grande” e “Vanguart”. Em 2008, o evento conseguiu trazer ao Ceará a banda norte-americana “Bad Relligion”, uma das grandes referências do punk rock mundial.

 

Para participar, os interessados devem trocar um quilo de alimento pelo ingresso, por dia, que dará acesso ao festival.

DANÇA

 

No dia 6 de novembro começa os espetáculos de dança. Às 19 horas, os visitantes poderão assistir “Pouso”, de Marcelle Louzada, da Minas Gerais. A partir das 21 horas, em início “Homem Torto, de Eduardo Fukusima, de São Paulo.

 

Na sexta-feira, dia 7, o espetáculo começa às 16 horas, com “Bunda”. A ideia é, em uma maca, apenas com a bunda a mostra e um monte de materiais, que vão desde baton e materiais cortantes as pessoas são convidadas a intervir livremente, gerando uma tensão entre espaço de si e do outro. A performance será em um tempo de 8 horas. Tempo em que se trabalha para o sistema. O sistema faz o que quiser com o seu corpo.

 

Às 21 horas, acontece “Transubstanciações Intempestivas, de São Paulo, com performers de Filipe Espindola e Sara Panamby. Dia 8 de novembro, às 19 horas, finaliza com “Quando a dança é performance?”, de Chrystine Silva, Rio Grande do Norte, e “Paisagem Espinhal”, de André Bezerra, também Rio Grande do Norte.

 

INGRESSOS

 

Ingressos para Festival Ponto.CE 2014 já podem ser adquiridos e custam 1kg de alimento. A troca pode ser feita na Bilheteria do Dragão do Mar, de terça a domingo, das 14h às 20h. Cada pessoa pode adquirir até 5 ingressos.

+ Dias: 6 a 9 de novembro, em vários espaços do Dragão.

Capuchino Press – Assessoria de Imprensa Ponto.CE. Contatos: Renata Benevides (85) 8130.3264 // Karla Rodrigues (85) 8130.3177 // Evelane Barros (85) 8130.2947

 

? CANOA BLUES

 

Evento que já entrou no calendário cultural do Estado, o Canoa Blues é esperado todos os anos por cearenses e turistas, que reconhecem no festival uma oportunidade para apreciar o melhor do estilo musical. Em 2014, chegando à sétima edição, o Canoa Blues, que será realizado nas noites dos dias 14 e 15 de novembro, na paradisíaca praia de Canoa Quebrada, traz como atrações Beale Street e Rodrigo Nézio & Duocondé Blues (sexta), Renegados e Big Chico (sábado) e Tres Locos Blues (sábado).

 

O Canoa Blues realiza ainda um evento de abertura, em Fortaleza, dando oportunidade para mais pessoas conhecerem a essência do festival. No dia 7 de novembro, no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, Victor Gueiros e Felipe Cazaux levam o clima de Canoa Quebrada para o Espaço Rogaciano Leite Filho (sob a passarela), a partir das 21h.

 

Como em todos os anos, o evento tem uma atenção especial para ações de responsabilidade social. Na edição de 2014, a organização está estimulando que o público faça doação de livros, que serão destinados ao Conselho Comunitário de Canoa Quebrada. As doações serão recolhidas no próprio local. No dia 21 de novembro, às 16 horas, haverá oficina de narrativas de histórias para crianças e adolescentes da comunidade, atendidas pela ONG Canoa Criança.

 

Todos os shows em Fortaleza e em Canoa Quebrada, assim como as atividades de arte-educação, são inteiramente gratuitos ao público.

 

ATRAÇÕES NO DRAGÃO

 

VICTOR GUEIROS – O guitarrista Victor Gueiros toca e compõe desde os 10 anos de idade. Apontado como uma das principais revelações do blues-rock do Ceará, participou no início de sua carreira de bandas de hard rock, gospel e MPB acústico. Em 2011 iniciou trabalho solo enveredando pelo blues, atuando em casas noturnas e eventos do gênero. Suas principais influências são Joe Bonamassa, Gary Moore, Slash, Eric Clapton, Stevie Ray Vaughan e Eric Gales. Atualmente, Victor produz seu primeiro álbum, com 13 faixas de blues, rock e baladas, com letras em inglês e pitadas de feras como Slash e Bonamassa, mas, sobretudo, com sua guitarra marcante e a originalidade característica de suas composições.

FELIPE CAZAUX – Com um som novo, distinto de qualquer banda no Brasil, Felipe Cazaux está lançando seu terceiro álbum, Never Go Down. A banda denomina o álbum como um som Desert Jam Rock, com influência de blues e outros gêneros. Felipe Cazaux iniciou seus estudos musicais ainda criança, quando fez parte de coral e ganhou seu primeiro violão. Aos 13, com a primeira guitarra, procurou aprender com suas bandas favoritas, passando por influência de Metallica, Nirvana e Pearl Jam durante a adolescência. Ingressou na cena Rock de Fortaleza aos 16 anos, tocando em bandas de Metal até os 18, quando se encantou pelo Blues e se aprofundou no estudo de seus mestres; tendo como forte influência na sua maneira de improvisar o vocabulário fluente de guitarristas como Stevie Ray Vaughan, Eric Clapton e principalmente Jimi Hendrix. Já participou de importantes festivais no País. Agora, volta ao Canoa Blues, nas sessões especiais de Fortaleza.

+ Dia 7, às 21h, no Espaço Rogaciano Leite Filho. Acesso gratuito.

Contato: Roberto Maciel (8799-1697 / 3047-2178 / robertomaciel@gmail.com) / Luiz Carlos de Carvalho (9137-2667 / 3047-3993 / luizcarlosdecarvalho@gmail.com)

 

 

? MOSTRA BOM JARDIM

 

Promovido pelo Centro Dragão do Mar de Arte em parceria com o Centro Cultural Bom Jardim – dois equipamentos do Instituto Dragão do Mar -, a Mostra Bom Jardim realiza um intercâmbio artístico Bom Jardim-Praia de Iracema. Grupos de teatro, dança, música e demais produtos do Centro Cultural Bom Jardim ocupam os espaços diversos do Dragão do Mar com arte, neste fim de ano. Confira a programação da semana:

Espetáculo As Velhacas [teatro]

K’Os coletivo

 

As Velhacas é uma comédia que faz um recorte da vida de duas velhas amigas que têm um ponto em comum: o vício de dar calotes na praça. Por conta de várias dívidas, reencontram-se e passam a morar juntas para fugir dos cobradores. Seja na praia, na tertúlia seja no bingo, elas sempre aprontam e deixam aquela conta extensa para pagar. Gerusa e Aretusa são “As Velhacas” que se tornaram sucesso entre os cobradores. A peça surpreende o público com tiradas irreverentes e muita comédia do início ao fim.

 

+ Dia 4, às 20h, no Teatro Dragão do Mar. Ingressos: R$ 4 e R$ 2 (meia). Classificação: 14 anos

Banda Black.CE [show musical]

 

No início de 2011, a Black.CE foi criada com o intuito de resgatar e até mesmo difundir o Sambarock, sambafunk e o soul, que revelaram e consagraram grandes artistas como Jorge Ben, Wilson Simonal, Tim Maia e os contemporâneos Seu Jorge, Jair Oliveira e Ed Mota. Todos grande influência no estilo da banda.

+ Dia 8, às 20h, no Espaço Rogaciano Leite Filho. Acesso gratuito.

 

 

? PLANETÁRIO RUBENS DE AZEVEDO

 

O Planetário Rubens de Azevedo é um espaço de entretenimento e formação pedagógica através de caráter transdisciplinar em Astronomia.

Sessões:

 

O ABC do Sistema Solar

Em uma nave imaginária crianças fazem uma viagem pelo Sistema Solar. Durante a viagem elas aprendem sobre a mitologia das constelações e as lendas astronômicas. 30min.

 

Nos Limites do Oceano Cósmico

Usando o poder da nossa imaginação, viajaremos pelo espaço a uma velocidade próxima a da luz até o limite do universo visível, e com a ajuda do planetário, veremos de perto a nossa galáxia e grupos de galáxias muito distante de nós. Será que o universo tem fim? O que vemos no céu é uma ilusão? Você verá que o universo está em expansão e novas estrelas estão surgindo a todo instante.

 

Explorando o Universo

Venha se aventurar numa fascinante viagem pelo universo, e com Galileu conheceremos os segredos do céu e suas descobertas científicas para o progresso da ciência. 40min.

 

Origens da Vida

Mergulhando no desconhecido, e a partir das profundezas do oceano, descobriremos as origens da vida em nosso planeta. Através do tempo e espaço viajaremos até o nascimento das primeiras estrelas. 30min.

 

Sessões às quintas e sextas-feiras:

18h – Explorando o Universo

19h – Nos Limites do Oceano Cósmico

20h – Origens da Vida

Sessões aos sábados e domingos:

17h – ABC do Sistema Solar

18h – Explorando o Universo

19h – Nos Limites do Oceano Cósmico

20h – Origens da Vida

Ingressos: R$ 8 e R$ 4(meia)

 

 

Assessoria de Imprensa do Dragão do Mar

Luciana Vasconcelos (imprensa@dragaodomar.org.br / 3488.8625)