Fábrica de cloro na ETA Gavião será pioneira no Brasil

6 de novembro de 2014

Será inaugurada nesta sexta-feira (07), às 09 horas, a Fábrica de Cloro da Estação de Tratamento de Água do açude Gavião (ETA-Gavião). Com a entrada em funcionamento da Fábrica, o cloro passa a ser produzido dentro da área da ETA. A Estação, localizada no município de Pacatuba, é responsável por atender às demandas de aproximadamente 2,5 milhões de pessoas em Fortaleza e na Região Metropolitana.

 

Segundo o engenheiro especialista em tratamento de água da Cagece, Manoel Sales, que idealizou o projeto da Fábrica de Cloro, a presença da fábrica no interior da ETA aumenta a segurança quanto à continuidade do suprimento de cloro. Além disso, como o cloro será consumido à medida que é produzido, não há a necessidade de armazenamento em vasos sob pressão. Assim, os riscos de acidentes relacionados à liberação de cloro no ambiente de trabalho e com seu transporte praticamente deixam de existir.

 

Com a fábrica de cloro, o contrato prevê o fornecimento de 3,5 toneladas de cloro por dia. A Cagece estima ainda que a fábrica suprirá cerca de 50% da demanda da ETA-Gavião. Além disso, o preço pago será inferior em mais de 30% ao que está sendo pago atualmente. “Se o produto custa R$ 4,00 e mais R$ 0,60 do transporte, com a fábrica o custo cairá para R$ 2,89 o quilo”, afirma Sales.

 

Cloro

 

O Cloro é utilizado no tratamento de água, como forma de eliminar as bactérias patogênicas (que causam doenças), tornando a água potável. Neste sentido, a presença de cloro residual na água tratada é garantia de que ela seja potável do ponto de vista físico, químico e bacteriológico.

 

Com a fábrica de cloro, serão eliminados possíveis riscos que existiriam em caso de manuseio inadequado. A inalação do produto tem ação corrosiva, prejudicando a respiração.

 

04.11.2014

Assessoria de Comunicação da Cagece

Sabrina Lemos (85 3101.1826 / 3101.1828 / 8878.8932)