Campanha de vacinação contra pólio e sarampo vai até dia 28

17 de novembro de 2014

A vacinação contra a poliomielite e o sarampo continua em todos os municípios brasileiros até o dia 28 de novembro, com mais um Dia D de mobilização nacional no sábado, dia 22 de novembro. A campanha foi lançada em Fortaleza pelo ministro da Saúde, Arthur Chioro, no primeiro dia de mobilização, 8 de novembro. O Ceará deve imunizar 573.429 crianças de seis meses a menores de cinco anos de idade contra a paralisia infantil. A meta é imunizar 95% das crianças na faixa etária, mesmo aquelas que já tenham sido vacinadas. Em relação ao sarampo, como a vacinação foi antecipada por causa do surto da doença, o objetivo da campanha no Estado é atualizar a caderneta de vacinação das crianças de um a cinco anos de idade incompletos.

 

Além da vacina contra a paralisia infantil e da tríplice viral, que protege contra sarampo, caxumba e rubéola, outras vacinas estão disponíveis nos postos, entre elas a que imuniza contra a hepatite A, hepatite B, rotavírus. Os pais devem ir aos postos levando os cartões de vacinação para que sejam atualizados e as crianças fiquem protegidas.

 

O objetivo da campanha é manter elevada cobertura vacinal de forma homogênea em todos os municípios, visando evitar a reintrodução do vírus selvagem da poliomielite no país, garantindo assim a condição de país certificado internacionalmente para a erradicação da poliomielite. A utilização da vacina poliomielite oral favorece a proteção coletiva por meio da disseminação do vírus vacinal no meio ambiente. Em 2013, o Ceará atingiu cobertura de 98,20%, com imunização contra a poliomielite de 583.341 crianças. Nos anos anteriores, a cobertura chegou a 96,70 em 2010, 98,27% em 2011 e 98,63% em 2012.

 

A poliomielite é uma doença infectocontagiosa grave. Na maioria dos casos, a criança, quando infectada, não morre, mas adquire sérias lesões que afetam o sistema nervoso e provocam paralisia irreversível, principalmente nos membros inferiores. O sarampo é uma doença viral aguda grave e altamente contagiosa. Os sintomas mais comuns são febre alta, tosse, manchas vermelhas, coriza e conjuntivite. A transmissão ocorre de pessoa para pessoa, por meio de secreções expelidas ao tossir, falar ou respirar. A única forma de prevenção da doença é a vacinação.

 

18.11.2014

Assessoria de Comunicação da Sesa

Selma Oliveira / Marcus Sá (selma.oliveira@saude.ce.gov.br / 85 3101.5220 / 3101.5221)

Twitter: @SaudeCeara

www.facebook.com/SaudeCeara