Dragão do Mar: Programação cultural da semana de 24 a 30 de novembro

21 de novembro de 2014

 

Programação cultural da semana de 24 a 30 de novembro no Dragão do Mar

 

 

? X Festival de Teatro de Fortaleza

Comemorando duas décadas de realização, a 10ª edição do Festival de Teatro de Fortaleza acontece do dia 10 ao dia 29 de novembro, com a mostra de espetáculos teatrais, simpósio, ações de fortalecimento das sedes de cinco grupos de teatro e a exposição Teatro e Memória. Parte desta programação será realizada no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura.

Foram selecionados 15 grupos que deverão se apresentar em 11 teatros da Capital. Guiada pela temática “Teatro e Memória”, a 10ª edição do festival busca discutir a importância do evento para a cidade, debatendo e encenando o fazer teatral que permeou as nove edições anteriores. O objetivo do Festival de Teatro de Fortaleza é valorizar a diversidade teatral local, descentralizando os espaços de difusão e contribuindo com a formação de artistas e do público em geral.

“O Festival de Teatro, na sua edição 2014, tem como objetivo recuperar a memória das edições anteriores e conectá­la à cena teatral da cidade em seus mais diversos aspectos, incluindo aqui os processos de formação, de difusão e fomento durante o período que vai da sua primeira edição até as edições dos últimos anos. Dessa forma, espera­se consolidá­lo no calendário cultural da cidade e, mais ainda, promover uma relação direta com a cena atual e os movimentos de teatro em Fortaleza”, destaca o coordenador de Ação e Criação da Secultfor, Lenildo Gomes. O X Festival de Teatro de Fortaleza é promovido pela Prefeitura de Fortaleza, por meio da Secultfor, com produção da Cia. Prisma de Artes e co­produção do grupo Pavilhão da Magnólia.

Programação no Dragão do Mar

“Frei Titto: vida, paixão e morte”
Grupo Formosura de Teatro
Autor: Ricardo Guilherme / Direção: Graça Freitas
Atores: Leonardo Costa, Maria Vitória / Willian Mendonça e Ricardo Guilherme / Direção Musical e Execução: Rami Freitas / Iluminação: a direção

Escrita no fim da década de 1980 e encenada originalmente em 1992. O trabalho é uma espécie de “reportagem teatral” que documenta a vida de Tito da infância à morte, sempre ao lado da irmã Nildes de Alencar Lima, figura presente na vida do frade. O pano de fundo do espetáculo é a Ditadura Militar e a resistência dos padres dominicanos diante das intempéries daquele obscuro capítulo da história brasileira.

Uma leitura dramática feita por Ricardo Guilherme costura as nuances e os momentos da peça e contextualiza o espectador dentro a vida de Tito e da história do País.
_Dia 25, às 20h, no Teatro Dragão do Mar. Acesso gratuito. Classificação: 14 anos

Prometemos Não Chorar – Um Musical de Classe!
Direção: Glauver Souza – Roteiro: Bruno do Vale, Glauver Souza e Vanessa Pinheiro
Os 13 atores em cena contam a história de três irmãs, Perfídia, Carol e Diana. Elas perdem o pai misteriosamente e têm a herança roubada pela madrasta e sua filha, vendo-se obrigadas a trabalhar num clube local. A histórica começa a mudar quando Carol descobre, acidentalmente, o que realmente aconteceu com seu pai e acaba sendo sequestrada pela madrasta. Assim, começa uma corrida contra o tempo para encontrar a irmã perdida. Clássicos da música brega, tocados e cantados ao vivo, com cenários e figurinos que remetem ao antigo teatro de revista de Walter Clark, embalam o espetáculo.
_Dia 27, às 20h, no Teatro Dragão do Mar. Acesso gratuito. Classificação: 12 anos

Contato: Silvianne Lima (8890-6539 / 9914-8114 / contatoftf@gmail.com)

 

 

? Feira da Música 2014

Construída a muitas mãos, sujeitos e coletivos culturais, tecida por diversos desejos e corações, a Feira da Música de Fortaleza chega este ano à sua 13º edição, reconhecida como uma importante ação de fomento e fruição da música independente brasileira, nas mais diversas vertentes. De 26 a 29 de novembro, cerca de 40 bandas do país mostram sua música em grandes palcos em três espaços na Praia de Iracema: Praça Verde no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, Pavilhão Atlântico e Calçadão (próximo ao Estoril).

Lab Sobral

Antes da Feira da Música começar em Fortaleza, a cena da música independente se volta a XIII Feira da Música Lab Sobral de 21 a 23, com oficinas de técnica de som, roadie, redes sociais e produção de show, além de debate sobre Festivais de Música Independente reunindo representantes de festivais do Ceará. A ideia é continuar levando para o interior do Ceará nossos esforços na qualificação da cadeia produtiva da musica, dando continuidade à formação dos agentes do Programa de Formação Livre EntrePontos, iniciada no mês de junho de 2013 e dando oportunidade para novos agentes em formação. À noite, haverá shows no Anfiteatro do Largo das Dores com as bandas Aneurisma, Tinny Killer, Procurando Kalu, todas de Sobral, e mais, Gustavo Portela e Jonnata Doll & os Garotos Solventes, de Fortaleza. Todas as atividades em Sobral e Fortaleza são gratuitas.

XIII Encontro Internacional da Música

Uma das ações mais importantes da Feira da Música é a atividade de formação. Este ano, além dos shows, 14 oficinas de técnica, produção e comunicação, e quatro painéis acontecem em Fortaleza, compondo a programação do XIII Encontro Internacional da Música. Estas atividades serão realizadas durante o dia, em espaços públicos diversos. As inscrições serão lançadas em breve no site da Feira da Música: www.feiradamusica.com.br.

Nos palcos da Feira

Durante quatro dias o público e amantes da música farão um mergulho na diversidade musical das diferentes regiões do Brasil. São bandas do Alagoas, Ceará, Distrito Federal, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, São Paulo e Sergipe.

Em Fortaleza apresentam-se: Aeromoças e Tenistas Russas (SP), Allysson dos Anjos (CE), Amiri (SP), Anderson Camelo Trio (CE), Astronauta Marinho (CE), Astronauta Pinguim (SP), Baleia (RJ), Broken Necks (CE), Burgo (PB), Cabruêra (PB), Camarones Orquestra Guitarrística (RN), Chacomdéga (CE), ChiCoNeS (CE), Coletivo #TamoJunto (CE) Cozinha FunkySpanca (MG), Dark Syde (CE), Don L (CE), Dona Zefinha (CE), Donna’s (CE), Erivan Produtos do Morro & Banda (CE), Estramonio (CE), Félix Robatto (PA), Héloa (SE), Herod (SP), Isaar (PE), Jonnata Doll & os Garotos Solventes (CE), Juca Culatra (PA), Juvenil Silva (PE), Lorena Nunes (CE), Mamulengo Ehletrônico (PB), Nsista (MG), Passo Largo (DF), Rodger Rogério (CE), Santiago Neto Y Los Misionerotrónicos (RS), SKULL (CE), Soulzen (CE), Tequilla Bomb (AL), Terra Preta (SP), Trio Três Pontos (SP), Verônica Decide Morrer (CE) e Vitoriano (CE).

Musica e Artes Visuais

Nos últimos anos a Feira tem utilizado uma nova linguagem visual. Artistas da cidade são convidados para criarem peças inspiradas no evento. A ideia é promover a circulação artística e criar uma identidade mais orgânica e contemporânea. Neste ano a concepção é grafiteiro Narcélio Grud que imprimiu sua arte urbana e visceral. A partir de três grandes painéis grafitados, o artista criou seres coloridos que são um mix de instrumentos em simbiose com corpos e sons. “São três seres que seguem uma estrutura de divisão: cabeça, membros superiores e membros inferiores. As texturas ou organismos retratam a busca pelo imaginário dos sons, onde as cores, movimentos, ruídos, melodias se materializam em movimentos e estruturas, que por vezes, não tem uma forma definida. São geometrias em construção, fluidas e que se expandem pra todos os lados, como os sons que ocupam o vazio e enchem os espaços físico e sensorial” explica. Grud é artista e pesquisador da arte urbana. Seu primeiro contato com spray começou com sua relação nas ruas, ainda em fins dos anos 1980 em Fortaleza. Já esteve em diversas cidades do mundo com sua arte e hoje é referência na arte de grafitar.

A Feira da Música

Realizada desde 2002 pela Associação dos Produtores de Cultura do Ceará (PRODISC) a Feira da Música é um espaço de convergência de interesses que de forma democrática, criativa e gratuita, congrega participantes de todo o território nacional, possibilitando trocas de informações e conhecimento, intercâmbio, circulação e geração de negócios para o setor.

A 13ª edição é realizada pela PRODISC juntamente com Casa Fora do Eixo Nordeste e Governo Federal através da Funarte; Apoio Cultural da Coelce, Prefeitura de Fortaleza através da Secretaria de Cultura de Fortaleza (Secultfor), Governo do Estado do Ceará através e Secretaria da Cultura (Secult) e Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura. É um evento Integrado ao Circuito Nordeste de Festivais e Rede Brasil de Festivais.

SERVIÇO

XIII Feira da Música – De 26 a 29 de novembro de 2014 em Fortaleza. De 21 a 23 XIII Feira da Música Lab Sobral. Shows em Sobral: dias 22 e 23, a partir das 20h no Anfiteatro do Lardo das Dores. Shows em Fortaleza: de 26 a 28, das 17h às 21h na Praça Verde do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura (Rua Dragão do Mar, 81 – Praia de Iracema); Dias 27 a 29, das 19h às 23h no Pavilhão Atlântico (Rua dos Cariris, com Rua dos Tabajaras – Praia de Iracema); Dias 27 a 29, das 21h a meia-noite no Calçadão Praia de Iracema (Entre Estoril e Bar do Mincharia). Oficinas em Sobral e Fortaleza: Inscrições em breve no site da feira. Informações: (85)3262.5011 e www.feiradamusica.com.br. Toda a programação é gratuita.

Contato Assessoria de imprensa: Degage Jornalistas Resp: Eugênia Nogueira e Sônia Lage 85-3252.5401 / 9989.3913 (Eugenia) / 9989.5876 (Sônia)

 

 

? Choro Jazz Jericoacoara

Em sua 6ª edição, o Festival Choro Jazz chega consolidado aos palcos do circuito musical nacional e internacional e novamente se apresenta em Fortaleza, pelo terceiro ano consecutivo, antes de seguir para a bela e paradisíaca praia de Jericoacoara com sua já tradicional semana musical, incluindo a presença de alguns dos mais renomados músicos do mundo. O Festival, é totalmente gratuito, acontece de 27 a 29 de novembro, no Anfiteatro do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, em Fortaleza, e de 2 a 7 de dezembro, na Praça Principal de Jericoacoara.

Com direção artística do produtor musical Capucho, o 6º Festival Choro Jazz é apresentado pela Petrobras e pelo Ministério da Cultura; com o patrocínio do Banco do Brasil e do Banco do Nordeste, por meio do programa de incentivo a cultura do governo federal e conta ainda com apoio cultural da Prefeitura de Jijoca de Jericoacoara, Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura e Secretaria de Turismo do Ceará; o projeto é uma realização da Capucho Produções e do Governo Federal.

Virão ao Estado nomes consagrados da música brasileira, como João Donato, a parceria instrumental do Duo Fel; o talentoso quarteto de François de Lima; Márcio Bahia com seu exímio quinteto, e músicos prestigiados internacionalmente, a exemplo do Mario Liginha Trio; de Portugal. Serão ao todo mais de 20 atrações, uma programação* completa com espetáculos, exposições e oficinas, nas cidades de Fortaleza – Anfiteatro do Centro Cultural Dragão do Mar e Jijoca de Jericoacoara – Praça Principal.

O projeto proporciona um panorama que transita entre as diversas regiões do Brasil e suas origens musicais por meio de uma programação que contempla representantes de diferentes estados, além de promover o intercambio cultural com convidados internacionais que são referência no meio. Desta forma, o Festival Choro Jazz fomenta a composição de uma partitura rara e fecunda a ser percorrida pelo público durante intensos dias repletos dessa atmosfera musical.

A aproximação dos gêneros musicais que batizam o festival provoca a troca entre músicos e estilos proporcionando a experimentação sonora da audácia, virtuosismo e improvisação, de forma graciosa e principalmente maliciosa. O público é presenteado com um panorama musical cheio de nuances, estilos e sotaques diversificados. Um repertório que raramente é incluído nas temporadas de shows tradicionais.

Após os shows na capital cearense, o festival atravessa as dunas e chega a Jericoacoara que será mais uma vez palco do Festival. Uma das mais famosas praias do mundo, esse pequeno paraíso está localizado a 300 km de Fortaleza. Jeri, como é carinhosamente chamada por seus admiradores, integra o Parque Nacional de Jericoacoara – IBAMA, repleta de dunas, belas formações rochosas, praias desertas e exuberantes lagoas de águas cristalinas. Destinos concorridos nos principais roteiros de turismo. As cidades de Fortaleza e Jijoca de Jericoacoara recebem anualmente milhares de turistas oriundos de todos os cantos do planeta, atraídos pela beleza natural.

Aliada às apresentações musicais, o Festival Choro Jazz oferece ainda, gratuitamente, uma consistente programação pedagógica com ênfase na música instrumental, sua riqueza e multiplicidade de formas.

O Festival compreende, portanto, um conjunto de vivências artísticas e um território propício para novas criações, em busca da extensão da produção de conhecimento e ambiência para o fluxo de informação, compromissado com a valorização e democratização da cultura.

Proposta didática – O programa segue a linha das edições anteriores e conta novamente com a parceria do renomado Festival de Imersão Educacional da Música Brasileira, California Brazil Camp, que chancela as oficinas. As atividades voltadas a músicos, estudantes de música e apreciadores da música têm vagas limitadas. São oferecidas oficinas de composição, choro, canto, piano, violão, clarinete, sopros, percussão, bateria e prática de conjunto, tudo isso gratuitamente. As inscrições já estão abertas e todas as informações estão disponíveis no site do festival: www.chorojazz.com.

Escola Choro Jazz Jericoacoara – Desde 2009, o Festival Choro Jazz – Jericoacoara, firmando seu compromisso com a democratização musical, oferece ao público de todas as faixas etárias algo muito além dos shows e atrações, por meio de oficinas musicais de diversos instrumentos ministradas por exímios profissionais, criteriosamente escolhidos, oferecendo o melhor em termos de aprendizado. Sendo assim, ao longo de suas três bem sucedidas edições, o projeto, que já é uma referência, fundou a Escola Choro Jazz Jericoacoara no dia 16 de janeiro de 2012.

European Forum of Worldwide Music Festivals – Em 2012, o Festival Choro Jazz foi convidado a ser membro, como único representante brasileiro, do EFWMF – European Forum of Worldwide Music Festivals, a mais renomada associação internacional que reúne apenas a elite dos festivais de música em todo o mundo;

Programação do 6° Festival Choro Jazz, no Anfiteatro do Dragão do Mar:

27/11
10h – Workshop Duo Taufic
20h – Duo Taufic
21h – Jorge Cardoso

28/11
10h – Workshop Duo Fel
20h – Duofel
21h – Quarteto Só Alegria

29/11
10h – Workshop Quarteto Só Alegria
20h – Miramari – Andre Mehmari e Gabriele Mirabassi
21h – Ricardo Silveira Quarteto

Contato: Capucho Produções: (11) 3032-3312. Assessoria de imprensa: Dux Comunicação: Luiza Costa [duxatendimento1@gmail.com] // Diego Costa [duxestrategia@gmail.com]

 

 

 

? Espetáculo Made in Ceará

Imaginem as diferenças culturais entre brasileiros e americanos. Agora, imaginem estas diferenças do ponto de vista do humor cearense, através do olhar criativo e particular de um cearense naturalizado americano. É neste contexto que se insere o espetáculo “Made in Ceará”, monólogo protagonizado por Edmilson Filho, premiado ator de cinema, que iniciou sua carreira como humorista. Tocando em assuntos diversos, o ator leva o público a uma viagem fascinante de lembranças e comparações sobre as realidades dos dois países de uma forma engraçada e original.

Da diferença entre um mero diálogo em uma fila da Disney nos EUA e uma fila em um terminal de ônibus qualquer no Ceará a assuntos mais complexos, como as formas de abordagens das professoras infantis aos pais dos alunos, o espetáculo discorre com muito humor e um olhar único e inédito do contraste cultural que, ao contrário do que muitos imaginam, diferenciam drasticamente Brasil e EUA.

Se os EUA tem no Super-Homem, Homem-Aranha, dentre outros, suas referências de histórias de super-heróis, no Brasil temos o Saci-Pererê. Em compensação, quando o Saci resolve lutar, todo chute é uma “voadora”.

Sem perder a autoestima diante das dificuldades sofridas para a adaptação em um país “estranho” e sem falar a língua, o exemplo do Saci reflete o olhar observador e bem humorado de Edmilson, que a partir de tais observações começou a criar um paralelo entre as duas culturas, resgatando memórias de infância e unindo-as às novas experiências que transitam por temas como as relações familiares, inseguranças, sexualidade, festas, consumo de bebidas, linguagens e expressões corporais, dentre vários outros temas divertidos e até mesmo insólitos.

O espetáculo MADE IN CEARÁ não é só humor, mas um brinde a nossa cearensidade. As sutilezas da vida passam ali, mostrando especificidades nossas que só um cearense entende de verdade. A comparação ao povo americano nos faz pensar o quanto somos diferentes, mas o quanto somos de verdade, o quanto somos a nata do lixo, o luxo da aldeia, somos do Ceará, como diz Ednardo em Terral.

Carregamos na bagagem um palavreado só nosso, repleto de afetações, transgressões, mas que representa o que há de mais importante em um povo: a sua cultura. Dizer “o cão comendo mariola”, “menino amofinado”, “Aí dentro” é tão legítimo quanto um “Oh my God” dos americanos, e não nos faz grosseiros ou rudes, pelo contrário, nos faz gente, gente com toda a intensidade da palavra. Edmilson incorpora o cearense feliz e realizado que traz na pele as sentenças de um povo de bem com a vida. Por ser cidadão americano e presenciar as especificidades desse povo, consegue como ninguém retratar o seu dia a dia. Comparar as várias situações do cotidiano desses povos (cearenses e americanos) é no mínimo inusitado, pois quem os conhece sabe que há uma cratera entre os dois. Mas aí é que está o grande charme de MADE IN CEARÁ, mostrar que as diferenças muitas vezes aproximam e que apesar de tão diferentes sempre há uma intersecção. O humor consegue deixá-los em um único patamar: povos diferentes, sem superioridade nem inferioridade.

Edmilson consegue ser engraçado não só pelo texto, mas pela apresentação corporal. Os gestos, a fisionomia, os trejeitos dão equilíbrio ao que um ator precisa em cena. O palco é dele e de mais ninguém.
_Dias 28, 29 e 30 de novembro, às 22h, no Teatro Dragão do Mar. Ingressos: R$ 60 e R$ 30 (meia).

Contato: Edmilson Filho: 85 8920.9123. Email: tkdusa70@hotmail.com

 

 

 

? VI Encontro Nietzsche-Schopenhauer
Estão abertas as inscrições para apresentação de comunicações orais e participação em minicursos, conferências e mesas-redondas do VI Encontro Nietzsche-Schopenhauer, no período de 26 a 28 de novembro de 2014, no Auditório do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura e nas dependências da Faculdade Católica de Fortaleza (FCF), em Fortaleza/CE.

Consolidado no calendário cultural da Região Nordeste, bem como no cenário filosófico nacional, o Encontro Nietzsche-Schopenhauer, organizado anualmente pelo Apoena: Grupo de Estudos Schopenhauer-Nietzsche, faz parte dos principais eventos de caráter filosófico realizados em Fortaleza, prestando importante contribuição para expansão da discussão filosófica brasileira para além do eixo tradicional da produção científica e cultural do País. Neste ano, o Encontro Nietzsche-Schopenhaue terá como fio condutor das discussões o tema Filosofia, Política e Tecnologias da Informação, contando com a participação dos seguintes conferencistas:

Conferencistas: Daniel Lins (UNICAMP), Emiliano Aquino (UECE), Giuseppe Mario Cocco (UFRJ), Henrique Antoun (UFRJ), Homero Lima (UFPE), Miguel Angel de Barrenechea (UniRio), Rogério da Costa Santos (PUC-SP), Sérgio Amadeu da Silveira (UFABC), Sylvio Gadelha (UFC), Tarcísio Pequeno (UFC/UNIFOR).

No que diz respeito às atividades do VI Encontro Nietzsche-Schopenhauer, serão realizados dois minicursos:

Minicurso 1: Da “república ideal” de Platão à “grande política” de Nietzsche: de utopias e “des-utopias”, ministrado pelo Prof. Dr. Miguel Angel de Barrenechea (UniRio).

Minicurso 2: “Entre Bárbaros e Civilizados: o Andarilho e o Desconfiado, ou um diálogo imaginário entre Cabeza de Vaca e Montaigne”, ministrado pelo Prof. Dr. Ruy de Carvalho e Prof. Ms. Fabien Lins.

Os minicursos, com 4h de duração, serão realizados no dia 28/11, de 8h às 12h, nas dependências do Porto Iracema das Artes.

Já quanto às comunicações, que abordarão diversas temáticas, ocorrerão também nas salas do Porto Iracema das Artes, no dia 27/11, de 9h às 12h. Cada comunicação terá o tempo máximo de 30 minutos, sendo 20 para apresentação e 10 para questionamentos.
_Dias 26, 27 e 28, das 14h às 21h, no Auditório. Acesso mediante inscrições inscrição@apoenafilosofia.org

Contato: Gustavo Costa (9992-1167 / arqgustavocosta@hotmail.com)

 

 

 

? OBG – Um Passeio Pela Música Popular Cearense [Mostra Bom Jardim]
Grupo Phylos
OBG é uma homenagem a autores e intérpretes da música popular cearense, assim como um meio de divulgação a novos artistas. O espetáculo de criação colaborativa entre os estudantes do grupo Phylos é costurado em meio a histórias de vida dos autores e suas relações com as músicas apresentadas. Nomes como Marta Aurélia, Acauã Araujo, Mel Mattos, Lídia Maria, Mona Gadelha, Pingo de Fortaleza, Belchior, Paulo Barroso, Viviane Brasil e banda Versos e Canções são retratadas nesta temporada com arranjos de Marcos Paulo Leão, Diêgo de Oliveira, Diego Nery, Berg Menezes e Fb Maciel.
_Dia 29, às 20h, no Espaço Rogaciano Leite Filho. Acesso gratuito.

Contato: Sheila Fernandes 8723-4800 / 9677-5031 / sheilaproducao@gmail.com

 

 

?Manassés 60 anos [show musical]

Músico comemora 60 anos de vida, exaltando grandes sucessos de sua carreira. Show terá participação de Rodger Rogério, Teti e Marcos Lessa. Também haverá lançamento do livro de partituras “A Música Universal de Manassés”. Manassés de Sousa é um músico universal. Como instrumentista, compositor e arranjador, tem a estatura dos grandes de todos os tempos. Sua trajetória musical começou aos 4 anos de idade na sua querida Maranguape. Com cinco anos já participava de programas de Rádio, como na Rádio Iracema de Fortaleza, com Yrapuan Lima. Aos oito anos começa a tocar num circo que passava por Maranguape. Aos dez, entrou para o conjunto Os Barra Limpa. Adolescente, integrou Os Dissonantes, grupo de jovens músicos que embalava as tardes de sábado da sempre muito animada gente de Maranguape. Viajou pelo mundo e enquanto criava canções e desenvolvia seu trabalho de solista de música instrumental, se apresentou com Raimundo Fagner, Bernad Lavillier, Mercedes Sosa, Pablo Milanez, Robertos Carlos, Nara Leão, Gal Costa, Chico Buarque, Zé Ramalho, Elba Ramalho, Moraes Moreira, Dominguinhos, Geraldo Azevedo, Luiz Gonzaga, Raul Seixas, além do Pessoal do Ceará. Compôs musicas para trilhas sonoras e inúmeros discos autorais dentre os quais: A Música Universal de Manassés que originou mais tarde a criação de um livro de partituras de mesmo nome.

_Dia 30, às 19h, no Anfiteatro. Gratuito com retirada de ingressos na bilheteria do Dragão, a partir do dia 25 de novembro.

Contato: Leonardo Rocha (85 9991.2626 / 8787.8742) e Olímpio Rocha (85 9981.1120 / 85 8753.5313)

? 8º For Rainbow

Um dos mais importantes espaços de debate e difusão da cultura LGBT, o VIII For Rainbow – Festival de Cinema e Cultura da Diversidade Sexual será realizado do dia 28 de novembro a 4 de dezembro, no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura. Toda a programação do evento tem entrada gratuita.

Por meio da exibição de filmes relacionados a temáticas LGBT, o For Rainbow promove o respeito à pluralidade sexual e de gênero. O festival também oferece eventos paralelos como oficinas de realização audiovisual e apresentações de teatro, música e dança.

A oitava edição vai trazer seis longas metragens e 18 curtas para serem exibidos em sua Mostra Competitiva Internacional, além de dois longas exibidos em sessão especial, selecionados por uma curadoria composta pela atriz e dramaturga Paula Lice; pelo programador do Cinema do Dragão, Salomão Santana; e pelo cineasta Leandro Tadashi. Os longas são produções de cineastas da Austrália, Argentina, Holanda e Brasil, entre outros países. Ao todo, 225 trabalhos foram inscritos nesta edição.

Realizado anualmente desde 2007 como uma iniciativa de conscientização e contraponto à discriminação sexual na sociedade cearense, o For Rainbow tem como diretora executiva e principal idealizadora a jornalista e cineasta Veronica Guedes. Ela ressalta que Fortaleza é uma cidade dividida entre a homofobia e a aceitação: “Aqui vivemos um apartheid. Ao mesmo tempo em que a cidade é campeã de homofobia, é um dos principais destinos turísticos LGBT do Brasil”, diz Veronica.

Segundo a cineatas, a escolha do Cinema como principal veículo artístico do festival foi motivada pelo caráter agregador e coletivo da experiência. Os filmes permitem abordar de forma positiva e sob uma infinidade de olhares todo o universo de questões relacionadas à diversidade sexual.

Com uma média de 5 mil pessoas por ano, o For Rainbow tem um público fiel que acompanha o evento desde a primeira edição. “Sempre me emociono quando vejo jovens falando da importância do festival em sua vida, de quando viram que existia um local que tratava essas questões com respeito e dignidade”, afirma Veronica.

Mostra Competitiva

No último dia do festival, os filmes da Mostra Competitiva serão premiados nas 11 categorias do troféu Arthur Guedes. O júri da premiação é presidido pelo cineasta Ricky Mastro, que compôs o júri do festival Queer Palm em Cannes.

Nesta edição, o festival vai contar com uma mostra em comemoração aos 12 anos do coletivo As Travestidas. O grupo vem produzindo trabalhos focados em arte e transformação social, contribuindo para a construção de uma sociedade mais tolerante e menos discriminatória. Para celebrar essa trajetória, o For Rainbow traz uma mostra de repertório com exposição dos trabalhos do grupo, oficinas, exibições de vídeo e debates.

O For Rainbow é uma realização do Cenapop – Centro Popular de Cultura e Eco-cidadania, ONG que atua no fortalecimento das lutas populares e na disseminação de conhecimentos da realidade sócio ambiental, cultural e histórica das comunidades excluídas.

Contato: Assessoria de imprensa: George Pedrosa – Assessor de comunicação – 9669.4300. Site: www.forrainbow.com.br

 

 

? Oficina Metáforas da Memória

Focando nas obras da artista contemporânea Adriana Varejão, o Educativo MAC propõe, através desta oficina, trabalhar como tema a cidade em seus vastos desdobramentos, dinamizando-a em construções materiais que remetem ao simbolismo individual e subjetivo relacionado aos grandes centros urbanos, tal como o principio da Mostra Carioca, exposição presente que trata das diversas faces do Rio de Janeiro.

Dia 29, às 16h, no piso inferior do MAC. Vagas: 15. Classificação etária: 15 anos. Acesso gratuito. Educadores: Hitalo Alves e Pablo Soares.

 

 

 

Assessoria de Imprensa do Dragão do Mar

Luar Maria Brandão ( 3488.8625)