Vacinação contra sarampo deve ser monitorada

10 de dezembro de 2014

O Ceará já cumpriu a meta de vacinação contra o sarampo das crianças de seis meses a menores de 5 anos, mas os municípios devem iniciar, concluir ou refazer imediatamente o Monitoramento Rápido de Coberturas (MRC) para garantir a homogeneidade da cobertura vacinal em seus territórios. A convocação está sendo feita pela Secretaria da Saúde do Estado aos municípios que ainda não realizaram o MRC ou não fizeram corretamente. De acordo com a Coordenação de Imunização do Estado, cerca de 50% dos 184 municípios cearenses estão nessa condição e 17 sequer alcançaram a meta de cobertura vacinal estabelecida pelo Ministério da Saúde, de 95% da população-alvo. Com a antecipação da campanha de seguimento contra o sarampo, a vacinação no Ceará começou em fevereiro e já imunizou 622.225 crianças até quarta-feira, 10 de dezembro, número superior à da população-alvo de 573.429 crianças, por conta daquelas que, ao longo do ano, entraram e saíram da faixa etária.

 

Valores médios elevados podem encobrir bolsões de baixa cobertura em determinados grupos populacionais, comprometendo o controle da doença. O Programa Nacional de Imunizações estabelece a meta de 95% da cobertura vacinal de forma homogênea em todas as localidades no município. Para avaliar e monitorar essa cobertura local, o Monitoramento Rápido de Cobertura deve ser realizado de forma sistemática, com articulação entre as equipes de vigilância epidemiológica e imunizações, agentes comunitários de saúde e Programa Saúde da Família (PSF). O MRC consiste em uma averiguação da situação vacinal das crianças com a verificação o cartão de vacina da criança. Esse trabalho é feito casa a casa, por meio de amostragem. A realização do MRC permite resgatar as crianças não vacinadas, ampliar as coberturas vacinais e melhorar a homogeneidade de coberturas vacinais no município e entre os municípios.

 

Nos monitoramentos já realizados pelos municípios, foram identificadas 1.167 crianças não vacinadas. Durante o MRC, foram aplicadas 2.029 doses da primeira dose e 2.331 da segunda dose da vacina tríplice viral e 818 doses da tetraviral, totalizando 5.178 doses aplicadas. A cobertura durante o MRC atingiu 95,21% da primeira dose e 103,26% da segunda dose. O Ceará ainda não conseguiu interromper a cadeia de transmissão do sarampo, por isso a cobertura vacinal com homogeneidade é fundamental. Será preciso, ainda, manter a vacinação das crianças de 6 meses a menores de 1 ano até 90 dias do último caso da doença no Estado para garantir que a cadeia de transmissão foi interrompida.

 

O Ceará antecipou a vacinação contra o sarampo por conta dos casos da doença registrados a partir de dezembro de 2013. De acordo com o último boletim epidemiológico da Secretaria da Saúde do Estado, divulgado em 28 de novembro, foram confirmados no Ceará, a partir de 25 de dezembro do ano passado, 573 casos de sarampo e 52 estão em investigação. Os casos confirmados da doença estão distribuídos em 25 municípios, a maioria deles em Fortaleza, com 227 confirmações. Conforme o boletim epidemiológico, foram confirmados casos da doença no mês de novembro em Fortaleza e Maranguape. Os casos notificados em novembro e que estão em investigação estão distribuídos em oito municípios – Senador Sá, Fortaleza, Granja, Caucaia, Pacajus, Alcântaras, Maracanaú e Sobral.

 

 

Assessoria de Comunicação da Sesa
Selma Oliveira / Marcus Sá /  ( selma.oliveira@saude.ce.gov.br / 85 3101.5220 / 3101.5221)
Twitter: @SaudeCeara
www.facebook.com/SaudeCeara