Hemoce intensifica cadastro de doadores de medula óssea

18 de dezembro de 2014

O Ceará realizará nesta sexta-feira (19), o quarto transplante de medula óssea alogênico, aquele em que o tecido transplantado provém de um outro indivíduo – o doador –, aparentado ou não. Com o procedimento, o número de transplantes de medula óssea em 2014, que já é recorde, chegará a 60, exatamente na Semana de Mobilização Nacional para Doação de Medula Óssea. As campanhas de doação ajudam a salvar vidas de pacientes com doenças hematológicas, leucemias, linfomas, entre outras. O transplante de medula óssea, tecido encontrado no interior dos ossos com a função de produzir os glóbulos vermelhos e brancos e plaquetas, é a única chance desses pacientes continuarem vivendo.

 

Desde segunda-feira (15), o Centro de Hematologia e Hemoterapia do Ceará (Hemoce) intensifica atividades de esclarecimento e incentivo à doação de medula óssea e de captação de doadores. Nesta quinta-feira, dia 18, equipe do Hemoce estará na Praça do Ferreira, na Rua Floriano Peixoto, em frente a agência da Caixa Econômica Federal, das 8 às 16 horas, para cadastrar os interessados em se tornar doadores de medula óssea. Desde o ano 2000 o Hemoce é o responsável pelo cadastro dos possíveis doadores de medula óssea no Ceará. Ao longo dos últimos 14 anos, mais de 120 mil pessoas se cadastraram.

 

Apenas 25% dos pacientes têm chance de encontrar um doador entre familiares. Por isso é feito trabalho regular de conscientização sobre a importância de se cadastrar como possível doador de medula óssea. Para aumentar as chances de um doador compatível, existe o banco mundial de doadores de medula óssea, que reúne 71 registros de células-tronco hematopoiética (as células que dão origem ao sangue), em 58 países, e 48 bancos de cordão umbilical em 32 países. Atualmente, estão cadastrados nesse banco mais de 24 milhões de pessoas.

 

O Registro Brasileiro de Doadores de Medula Óssea (Redome) é um sistema criado pelo Instituto Nacional do Câncer (Inca) para registrar as informações de possíveis doadores de medula óssea. O sistema facilita as buscas de compatibilidade com receptores e reúne as informações básicas de identificação e especificidades, como resultados de exames e características genéticas de pessoas que se dispõem a ser um doador. Quando um receptor não possui um doador aparentado, é feita uma busca no Redome de cadastros que possam ser compatíveis, para que assim seja feita a doação. O Redome integra a rede internacional de registros de doadores de medula óssea.

 

A doação de medula óssea se constitui, dessa forma, em um gesto humanitário que assume dimensões planetárias. Em 2012, a parceria entre o Hemoce e o Hospital Universitário Walter Cantídio, que realiza transplantes no Estado desde 2008, fez a primeira coleta de medula óssea no Ceará para transplante alogênico. O material coletado de um doador cearense localizado no Redome foi enviado para a Itália, para transplante em um paciente italiano. De lá para cá, medulas coletadas entre doadores cearenses foram enviadas para transplantes na França, Portugal, Canadá, Estados Unidos e Argentina. Para o hematologista Fernando Barroso, chefe da equipe médica de transplante do Hemoce, essa é uma demonstração da diversidade genética do povo cearense.

 

No Brasil, o número de doadores voluntários tem aumentado expressivamente nos últimos anos. Em 2000, existiam apenas 12 mil inscritos. Naquele ano, dos transplantes de medula realizados no país, apenas 10% dos doadores eram brasileiros localizados no Redome. Em novembro deste ano havia 3,5 milhões de doadores inscritos e o percentual subiu para 70%. O Brasil tornou-se o terceiro maior banco de dados do gênero no mundo, ficando atrás apenas dos Registros dos Estados Unidos (quase 7 milhões de doadores) e da Alemanha (quase 5 milhões de doadores).

 

Para se cadastrar como doador de medula óssea é preciso ter entre 18 e 55 anos, estar bem de saúde, não ter tido câncer e apresentar documento de identidade e comprovante de endereço. O cadastro será concluído com a assinatura de um Termo de Consentimento e a coleta de uma amostra de sangue (10 ml). O cadastro deve ser mantido atualizado. Para tanto é possível fazer contato com o Hemoce, no Núcleo de Medula Óssea, ou diretamente no site do Redome (http://www1.inca.gov.br/doador/).

 

Programação da Semana de Mobilização Nacional para Doação de Medula Óssea no Ceará

Dia 18 de dezembro

Fortaleza

Praça do Ferreira (Rua Floriano Peixoto, sn – Centro – Em frente a Caixa Econômica): 8h às 16h

Caucaia

Escola Romeu de Castro Menezes (Av. A, s/n – Nova Metropole): 9h às 16h

Aurora

Centro de Saúde (Rua Sebastião Alves, sn): 8h às 15h

Irauçuba

PSF Esperança (Rua Lucas Batista da Mota – Centro): 8h às 12h

Ibicuitinga

Centro Educacional Magia do Saber – CEMAS (Rua José Naldo Maia, 341 – Centro): 7h30min às 14h30min

Dia 19 de dezembro

Fortaleza

Cartório Pergentino Maia (Av. Padre Antônio Tomás, 920 – Aldeota): 9h às 15h

Croatá

Centro de Nutrição (Rua João Otaviano, sn): 8h às 12h

Dia 20 de dezembro

Fortaleza

Igreja dos Mormons – Estaca Bom Jardim (Rua Franciscano, 50 – Esquina com Av. Osório de Paiva): 8h às 15h

 

Durante todos esses dias a população poderá se cadastrar também nas unidades do Hemoce em Fortaleza, Crato, Iguatu, Juazeiro do Norte, Quixadá e Sobral, e durante as coletas itinerantes que são realizadas diariamente.

 

18.12.2014

 

Assessoria de Comunicação da Sesa

Selma Oliveira / Marcus Sá / (selma.oliveira@saude.ce.gov.br / 85 3101.5220 / 3101.5221)

Twitter: @SaudeCeara

www.facebook.com/SaudeCeara