Ceará terá mais seis hortos de plantas medicinais

21 de janeiro de 2015

O Ceará vai ganhar seis novos hortos de plantas medicinais para dar suporte à implantação de 24 núcleos de produção, na forma de Arranjos Produtivos Locais, envolvendo agricultores familiares em seis municípios do Estado. Com prazo de dois anos de implantação, o projeto Hortos Polos de Plantas Medicinais em Macrorregiões de Saúde do Estado do Ceará, do Núcleo de Fitoterápicos, Coordenadoria de Assistência Farmacêutica da Secretaria da Saúde do Estado já tem financiamento garantido do Ministério da Saúde para promover o plantio de 60 mil mudas certificadas cientificamente de 14 espécies de plantas medicinais, fornecer equipamentos e insumos aos pequenos agricultores participantes do projeto e, inclusive, garantir irrigação com perfuração de poço artesiano. As plantas medicinais cultivadas serão utilizadas na produção de medicamentos fitoterápicos para o Sistema Único de Saúde (SUS).

 

A Sesa, através do Núcleo de Fitoterápicos, está selecionando os seis municípios que receberão os hortos polos nas cinco macrorregiões de saúde. Os novos hortos seguirão o modelo do Horto de Plantas Medicinais na Avenida Washington Soares, 7605, Messejana. Com área de 0,5 hectare, o horto faz o cultivo de 30 espécies de plantas medicinais em 30 canteiros e fornece as mudas para 74 Farmácias Vivas espalhadas pelo Ceará. No horto, os técnicos também realizam pesquisas científicas. As 30 espécies que integram a Relação Estadual de Plantas Medicinais (Replame) produzem fitoterápicos indicados como tranquilizantes, broncodilatadores, antissépticos, cicatrizantes, antiinflamatórios entre outras indicações. Plantas tradicionais da flora regional já são utilizados na produção dos fitoterápicos, entre elas babosa, capim santo, eucalipto, pau d’arco, confrei, romanzeira, malvariço, malva santa, alfavaca, aroeira, maracujá e goiabeira.

 

Para a implantação dos núcleos produtivos, o Nufito selecionará associações e organizações de pequenos agricultores familiares. Os trabalhadores serão capacitados para preparar e cuidar das roças de plantas medicinais, definidas a partir das necessidades e demanda locais. Os núcleos produtivos seguirão o modelo das farmácias vivas da comunidade do Bom Jardim e da comunidade O Caminho, que reúne egressos do sistema penitenciário e funciona no Condomínio Espiritual Uirapuru (CEU), Avenida Alberto Craveiro, 2222, Castelão. O Nufito presta apoio técnico-científico e faz capacitação de pessoal para promover a fitoterapia em saúde pública no Estado do Ceará, com a implantação de Farmácias Vivas nos municípios. São três modelos de farmácias vivas destinadas à instalação de hortas de plantas medicinais, à produção e dispensação de plantas medicinais secas (droga vegetal) e à preparação de fitoterápicos padronizados para o provimento das unidades do SUS.

 

O Ceará foi pioneiro na regulamentação utilização, pelo SUS, de plantas medicinais, fitoterápicos e serviços relacionados à fitoterapia. Decreto publicado no Diário Oficial do Estado, em janeiro de 2010, autorizou a Secretaria da Saúde “a implantar a política de incentivo à pesquisa, o desenvolvimento tecnológico, a produção e a inovação de produtos fitoterápicos, a partir da biodiversidade regional”. A política abrange plantas medicinais nativas e exóticas adaptadas, amplia as opções terapêuticas aos usuários do SUS, e ainda prioriza as necessidades epidemiológicas da população.

 

21.01.2015

Assessoria de Comunicação da Sesa

Selma Oliveira / Marcus Sá (selma.oliveira@saude.ce.gov.br / 85 3101.5220 / 3101.5221)

Twitter: @SaudeCeara

www.facebook.com/SaudeCeara