Adutoras de Montagem Rápida beneficiam em torno de 500 mil pessoas no Ceará

13 de Março de 2015

O Plano Estadual de Convivência com a Seca do Governo do Estado inclui ações emergenciais de segurança hídrica que totalizam um investimento da ordem de R$ 385,9 milhões, envolvendo a parceria entre órgãos como a Cagece, a Cogerh, a Sohidra e a SRH. Entre as medidas adotadas estão a instalação de Adutoras de Montagem Rápida (AMRs), além do abastecimento de água por carro-pipa, da locação e escavação de poços, da aquisição de unidade para tratamento de água e de melhorias operacionais.

Somente as Adutoras de Montagem Rápida já beneficiaram cerca de 500 mil pessoas no estado do Ceará, permitindo a transposição de água de um município para outro. Atualmente, está em operação em todo o Ceará um total de 28 AMRs. O investimento total previsto somente nessas adutoras chega cerca de R$ 50 milhões. Com a finalidade de suprir o abastecimento de alguma cidade ou agrupamento urbano de forma emergencial, as AMRs como principal vantagem a facilidade e a velocidade de construção.

Adutora CanindéA ideia das AMRs surgiu em 1993. Na época, a Secretaria de Recursos Hídricos (SRH) recebeu dos Estados Unidos uma tubulação de aço para auxiliar na criação das adutoras. Um funcionário da Cagece identificou que o município de Acopiara estava passando por um período de seca e observou que, com essa tubulação doada, poderia ser construída uma adutora aérea provisória, que dispensava o período mais longo de estudos e implantação das adutoras enterradas. Desta forma, criou-se a primeira AMR no Ceará.

As AMRs levam esse nome por conta do seu tempo de montagem, em apenas um dia pode-se construir 1 km. Além de suportar muita pressão de água, o custo da implantação destas adutoras é bem menor que a utilização de carros-pipas.

 

13.03.15

Assessoria de Imprensa da Cagece

Janaína Taillade – (85) 3101 1826 ou 8878 8932
janaina.taillade@cagece.com.br