Primeira-dama tem tarde especial no Abrigo Tia Júlia

13 de Março de 2015

“Eu gosto de fazer as tarefinhas e abraçar as tias. Gosto também de brincar, dançar, das aulas de teatrinho e de ir para escola”. É assim que a criança acolhida do Abrigo Tia Júlia, R.O., de 7 anos, avalia o que mais gosta de fazer no seu dia a dia. Irmã de mais duas crianças, de dois e de cinco anos, que também foram acolhidas no equipamento, R.O. chegou ao abrigo há três anos depois de ser encaminhada pelo Conselho Tutelar com a autorização da Justiça, por ter uma mãe diagnosticada como dependente química.

 

R.O. é uma das 76 crianças acolhidas no abrigo Tia Júlia, que se encontram em situação de ameaça ou violação de direitos, na condição de abandono ou temporariamente impossibilitadas de permanecer com suas famílias. Elas são encaminhadas pelo Juizado da Infância e da Juventude, conforme prevê o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

 

Ronélia2A menina R.O. teve a oportunidade de fazer o que mais gosta nesta quinta-feira (12/03), quando abraçou uma “tia” bem especial, a primeira-dama do Estado, Onélia Leite Santana, durante a visita ao abrigo, na Parangaba, coordenado pela Secretaria de Trabalho e Desenvolvimento Social (STDS). Acompanhada da secretária executiva do Trabalho e Desenvolvimento Social, Ana Cruz; e da coordenadora da Proteção Social Especial da STDS, Mariana Abreu, Onélia conheceu o funcionamento e a estrutura do equipamento, que foi apresentado pela diretora do abrigo, Luiza Helena. E mais uma vez R.O. fez o que gosta, quando participou de uma apresentação artística no pátio do abrigo para, toda faceira, mostrar seu potencial para a primeira-dama. No fim da apresentação, mais um grande abraço das duas. Parecia amor à primeira vista!

 

Amor foi o sentimento mais percebido durante a visita. Amor dos profissionais que cuidam das crianças. Amor dos acolhidos pelos profissionais. “Parabéns pelo trabalho realizado com muito amor, carinho e dedicação. É muito importante oferecer atendimento de qualidade para as crianças acolhidas”, ressaltou a primeira-dama.

 

Ronélia3O abrigo acolhe crianças na faixa etária de 0 a 7 anos oferecendo atendimento nas áreas de saúde preventiva, além de atividades terapêuticas, pedagógicas e recreativas coordenadas por equipe técnica multidisciplinar de assistentes sociais, psicólogo, fisioterapeuta, terapeuta ocupacionais, enfermeiras, médico, economistas domésticas, pedagoga e dentista.

 

As crianças utilizam recursos da comunidade como hospitais, escolas, igrejas e centros comunitários. Para R.O. ter acesso à escola, uma das atividades que mais gosta, ela conta com a ajuda dada por parceiros do abrigo. Segundo a diretora, 44 crianças frequentam colégios particulares pagos por pessoas que apadrinharam os acolhidos.

 

 

 

 

13.03.2015

Déborah Vanessa (85 3101.1568 – 8809.8731)
Assessoria de Imprensa do Gabinete da Primeira-Dama