‘Crack, É Possível Vencer’ inaugura atendimento telefônico à população

16 de abril de 2015

O programa Crack, É Possível Vencer atinge um ano de atuação em Fortaleza nesta sexta-feira (17). E para aproximar ainda mais o policiamento da população o programa conta agora com serviço de atendimento telefônico para os moradores das quatro áreas em que estão montadas as bases de operação: Genibaú, Vicente Pinzon e Conjunto São Miguel (dividido entre o Alagadiço Novo e Messejana).

 

O atendimento é realizado 24 horas e integra o projeto Ronda Maria da Penha, que está sendo executado pelos policiais do Crack, É Possível Vencer. O Tenente-Coronel Fernando Albano, Comandante do Comando de Policiamento Comunitário (CPCom), frisa que qualquer cidadão terá atendimento nas bases operacionais.

 

“Esse serviço telefônico é um canal direto e mais fácil entre o cidadão e a Polícia. Essas ligações irão facilitar o deslocamento das viaturas no combate ao tráfico de drogas, além de auxiliar no Ronda Maria da Penha. O cidadão que precisar falar com a Polícia sobre outros assuntos também pode ligar para esses números, que receberá o devido atendimento ou direcionamento para o outro órgão responsável”, ressalta o Tenente-Coronel Albano.

 

Crack, É Possível Vencer

Lançado em Fortaleza em abril de 2014 o programa Crack, É Possível Vencer tem a finalidade de prevenir o uso e promover a atenção integral ao usuário de drogas, voltando-se para o enfrentamento do tráfico de drogas em comunidades da Capital. Os demais eixos do programa – cuidado e prevenção – estão sendo implantados paulatinamente. Na diretriz de cuidado, são disponibilizados serviços de saúde e assistência social na abordagem ampla aos usuários de entorpecentes. No eixo de prevenção, vem sendo realizadas ações intersetoriais feitas pelo Governo Federal, Estadual e Municipal na prevenção do uso de drogas.

 

O Programa vem apresentando resultados positivos nas comunidades onde está instalado, com reduções nos Crimes Violentos Letais Intensionais (CVLIs), que englobam homicídios, latrocínios e lesões corporais seguidas de morte superiores a 27,8%. No Alagadiço Novo e Messejana as ocorrências de mortes violentas reduziram, respectivamente, 81% e 35% em um ano.

 

No Genibaú, as ocorrências reduziram 25% em 2014, passando de 57 para 43. Todos os números foram comparados a 2013. A comunidade está situada na Área Integrada de Segurança 2 (AIS 2). Já o Vicente Pinzon, pertencente à AIS 3, a queda foi de 2%, de 50 para 49.

 

Ronda Maria da Penha

O Programa foi lançado no dia 11 de março de 2015 e vem sendo desenvolvido pelo Comando de Policiamento Comunitário (CPCom). O Ronda Maria da Penha é desenvolvido por meio do Grupo de Apoio de Vítimas de Violência (GAVV) e executado por policiais que atuam nas bases do Crack, é Possível Vencer. O projeto acontece por meio de visitas às vítimas das agressões domésticas, oferecendo-lhes assistência e o cumprimento das medidas protetivas. Cerca de 60 mulheres estão sendo beneficiadas nas três comunidades – São Miguel, Genibaú e Vicente.

 

Pinzon –, onde o projeto piloto é desenvolvido. A tendência é que o projeto esteja presente em toda a capital. Após as visitas, são feitos relatórios sobre as situações observadas. A partir do contato inicial, se define a frequência das visitas.

 

Serviço

Base de São Miguel: (85) 9206.0401
Base Vicente Pizón: (85) 9206.0430
Base Genibau: (85) 9227.0483
Policial Fiscal que atende as três áreas: (85) 9170.0056

 

 

16.04.2015

 

 Kélia Jácome (ascom@sspds.ce.gov.br / 85 3101 6517/6519)
Assessoria de Comunicação da SSPDS

 

Ciro Câmara (ciro.camara@casacivil.ceçgov.br / 3466.4898)
Gestor de Células/Secretarias

 

Coordenadoria de Imprensa do Governo do Estado
Casa Civil (comunicacao@casacivil.ce.gov.br / 85 3466.4898)