Dragão do Mar apresenta programação cultural de 21 a 26 de abril

20 de abril de 2015

 ? 10ª Semana Rolando Toro [Biodança]

A 10ª Semana Rolando Toro, de 16 a 22 de abril, é um período de homenagens ao dia de nascimento (19.04) do criador da Biodança, Rolando Toro. Nesta data do aniversário dele, foi instituído o Dia Internacional da Biodança, a partir de 2010. Durante toda a semana, estão sendo postadas na fanpage da Universidade Biocêntrica várias homenagem ao criador da Biodança e, nesta quarta-feira (22), Toro será celebrado, com toda a Comunidade Biocêntrica, em um encontro aberto ao público, no Dragão do Mar.

 

A programação constará de “Encontros Temáticos” e exibição de vídeo sobre a vida de Rolando Toro e realização de Vivência de Biodança, por facilitadores de Fortaleza dos diversos grupos existentes na cidade.

 

A realização do evento é de responsabilidade da Escola de Biodança do Ceará, Universidade Biocêntrica e CDH-Centro de Desenvolvimento Humano, e conta com o apoio do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura.

 

Dia 22 de abril, das 19h às 21h, na Varanda do Museu da Cultura Cearense. Acesso gratuito.

Contato: 85 3247-1674/ 85 3257-1357

 

? Festival Dança em Movimento 2015

O festival DANÇA EM MOVIMENTO 2015 tem a função de despertar o desejo de vivenciar a arte nas suas mais variadas formas, desde o artista com seu bailado e pantomima, mas principalmente na plateia que o prestigia.  Nesse palco de emoção, cada movimento nos levará a uma esfera inusitada de realizações, permitindo-nos transpor barreiras e criar novas vertentes. Ao final, teremos resgatado a perspectiva da Arte: o verdadeiro encontro do homem consigo mesmo.

 

Dias 22 e 23, às 19h30, no Teatro Dragão do Mar. Ingressos: R$ 30 (meia) e R$ 15 (meia) + 1kg de alimento não perecível.

Contato: Angelica Forte (8881-4227 / angelrforte@yahoo.com.br)

 

? Dia Nacional do Choro – com Projeto Kaya no Choro

Comemorado no dia 23 de abril, em homenagem à data de nascimento de Pixinguinha, o Dia Nacional do Choro terá show inédito com grandes nomes cearenses do choro, no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura. Com direção musical de Carlinhos Patriolino e Fernando Lélis, o Projeto Kaya no Choro apresenta, no dia 23, a partir das 20h30, no Espaço Rogaciano Leite Filho, clássicos do choro tradicional em diálogo com o jazz e a MPB, entre outros gêneros. O acesso ao show é gratuito.

 

No repertório, a articulação entre clássicos como “Flor Amorosa” (Joaquim Antonio da Silva Callado e Catulo da Paixão Cearense), “Odeon” (Ernesto Nazareth e Vinícius de Moraes) e “Doce de Côco” (Jacob do Bandolim e Hermínio Bello de Carvalho) com a bossa-nova, mas também com clássicos do jazz e dos chorinhos modernos, como dos grupos Pagode Jazz Sardinha’s Club e Aeroporto Galeão, além de músicas autorais de integrantes do projeto.

 

Resultado de parceria entre o Dragão do Mar e a Koisa & Tao Produções, o show inédito do Kaya no Choro apresentará uma formação diferente dos regionais tradicionais de choro. Unirá ao quinteto formado por Tauí Castro (pandeiro), Clarisse Aires (flauta transversal), Fernando Lélis (saxofone), Carlinhos Patriolino (bandolim) e Alisson Félix (violão/cavaquinho), o groove de Bruno Brasil (baixo) e o swing de Tchelmy Souza (percuteria), proporcionando uma experiência musical única, com um pé na tradição e outro na contemporaneidade.

 

Quem foi Pixinguinha

            Alfredo da Rocha Vianna Júnior – ou Pixinguinha – nasceu em 23 de abril de 1897, no Rio de Janeiro. Desde cedo metido nas rodas de choro na famosa casa da Tia Ciata, dedicou-se à música, virou flautista, saxofonista, compositor e arranjador dos melhores. Deixou um legado de clássicos, arranjos e interpretações louváveis que o transformaram num dos maiores nomes da música brasileira e o maior do choro nacional, responsável por sua popularização. Entre as composições, Carinhoso, Lamento, Rosa, 1 x 0, Ainda Me Recordo, Proezas de Solon, Naquele Tempo, Vou Vivendo, Abraçando Jacaré, Os Oito Batutas, Sofres Porque Queres, Fala Baixinho, Ingênuo.

 

Dia 23 de abril, às 20h30, no Espaço Rogaciano Leite Filho. Acesso gratuito.

Contato: Tauí Castro 8717.3288

 

? Dragão Blues

Com o objetivo de fortalecer o blues na cena local e formar plateias para apreciação do estilo, o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura e a Casa do Blues firmaram parceria e agora lançam o Dragão Blues. A temporada do projeto, que será realizada de abril de 2015 a janeiro de 2016, trará apresentações mensais gratuitas do gênero musical, sempre com duas atrações, na última sexta-feira de cada mês. Os shows acontecem das 19h30 às 22h, no Espaço Rogaciano Leite Filho do Dragão do Mar. A primeira apresentação acontece nesta sexta-feira (24), com duas atrações cearenses: Anderson Camelo Trio e De Blues em Quando.

 

Nascido no início do século passado, o blues é a base fundamental da música norte-americana, gênero que influenciou fortemente a música pop ocidental, a partir do cruzamento com outras manifestações musicais. O Brasil tem revelado grandes nomes do estilo, que vem ganhando cada vez mais admiradores, como mostram os inúmeros festivais nacionais e internacionais que são realizados todos os anos em solo brasileiro.

 

Segundo o presidente do Dragão do Mar, Paulo Linhares, a iniciativa possibilitará uma maior popularização do estilo, ainda restrito a um público muito específico dos festivais especializados. “É também uma importante ação de valorização dos artistas, em sua maioria cearenses, geralmente mais conhecidos em outras localidades do Brasil do que em sua própria casa”, diz Paulo Linhares.

 

Para Álvaro de Paula, um dos sócios fundadores da Casa do Blues, o blues apresenta uma riqueza imensa de vertentes e vem crescendo no cenário musical nacional, mas ainda é pouco conhecido das massas. “Essa parceria com o Dragão possibilitará ao público a oportunidade de conhecer mais sobre o blues, além de oferecer aos artistas um importante espaço para encontros regulares do gênero em Fortaleza”, afirma Álvaro.

 

        

Atrações dia 24/04/15

 

Anderson Camelo Trio

Formada em 2011, a Anderson Camelo Trio é uma banda cearense que mescla soul, mistura funk, blues, delta blues, rock, rhythm and blues, e jazz de New Orleans, executados no estilo guitarra slide (estilo de guitarra que faz uso de um pedaço de gargalo de garrafa ou cano de aço, para simular sons e tonalidades da voz humana, deslizando tal objeto sobre as cordas da guitarra). Mas é na música negra e no blues, principalmente, que ele mostra sua verdadeira essência, destilando suas influências do Delta blues de Robert Jonhson, do blues elétrico de Elmore James, Eric Clapton, juntamente com groove marcante da Black music de Sly and The Family Stone e Parliament Funkadelic.

 

Anderson Camelo (slide & voz), Júnior Quintela (bateria) e Ian do Amaral (baixo) buscam sempre interagir com a cultura popular e com a cidade, sem perder a universalidade de sua música.  Essa mistura levou o site Southern Rock Brasil a apontar a Anderson Camelo Trio como um dos grandes nomes da nova música brasileira.

 

O grupo lançou o seu primeiro EP em 2013, intitulado Anderson Camelo, que traz três canções inéditas compostas por Camelo: Entre o Tempo e o Espaço, Dia de Reis e Ela só quer Dançar. O EP contou com a participação especial do guitarrista Felipe Cazaux na faixa Ela só quer Dançar, posteriormente incluída na 6° coletânea do site Southern Rock Brasil.

 

De Blues em Quando

Formada em 2004, a banda De Blues em Quando (DBEQ) apresenta um trabalho autoral em português, sem deixar de lado os clássicos que fizeram do blues um estilo mundialmente conhecido.

 

A sonoridade de slides e gaitas é o ponto-chave para a banda transitar entre as diversas vertentes do Blues, como o Delta Blues do Mississipi, Chicago Blues, Texas Blues, Blues Rock, além de um gênero pouco conhecido e explorado no Brasil, o West Coast Blues.

 

Com pouco mais de 11 anos de estrada, a banda composta por por Alvin (guitarras e vocais), Diogo Farias (gaitas e vocais), Dudu Freire (baixo e backing vocais) e Aristides Cavalcante (bateria e backing vocais) possui no currículo  apresentações nos principais festivais e espaços reservados para a cena blueseira do Ceará, com destaque para o Festival de Jazz e Blues de Guaramiranga, Fórum de Harmônicas Brasil, Oi Blues by Night e Canoa Blues, participações essas que possibilitaram aos seus componentes dividir o palco com nomes do cenário do blues internacional e nacional, como Peter Madcat, John Primer, Johnny Rover,  Nuno Mindelis, Ígor Prado, Flávio Guimarães, Jefferson Gonçalves, Carlos May, André Serrano e Marcelo Naves, dentre outros.

 

Além da agenda de shows, o grupo trabalha atualmente no lançamento do CD “Você vai curtir”, previsto para junho deste ano, e o DVD “DBEQ Sessions”, previsto para o segundo semestre.

Dia 24 de abril, das 19h30 às 22h, no Espaço Rogaciano Leite Filho. Acesso gratuito.

Contatos: Casa do Blues – Álvaro de Paula (85) 9146 3791 e Roberto Lessa (85) 8896 1334. E-mail: alvarodepaula@uol.com.br e roberto_lessa@hotmail.com

De Blues em Quando – 8723-9679 / 9146-3781. E-mail: diogogaita@hotmail.com

 

? Bando de Pássaros Gordos
Direção: Andréia Pires  

 

Entre um encontro de degustação e o ensaio de uma banda fantástica, seis atores inventam um mundo de impulsos. Um mundo em que cada palavra dita, cada olhar, tem apenas um significado, cada toque não tem passado nem futuro, cada beijo é um beijo desconhecido. Motivados pelo livro “Os sonhos de Einstein”, de Alain Lightman, a peça existe num tempo surreal e reúne dança, performance, música e audiovisual.

 

“Do cruzamento da Pop Art com o Surrealismo, bastante notório no texto da peça, nasce uma dramaturgia fragmentada que trabalha a qualidade do movimento como importante elemento estruturante do espetáculo”, afirmou a diretora da peça, Andréia Pires, em entrevista.

 

Ficha técnica:
Elenco | Getúlio Cavalcante, Bruna Pessoa, Thiago Andrade, Gabriela Ribeiro, Leonardo William e Felipe Bira
Texto | Produção Colaborativa
Trilha Sonora | Pepeu
Figurinos | Filipe Alexandre e Isac Bento
Publicidade | Getúlio Cavalcante
Iluminação | Andréia Pires
Técnica | audiovisual. Pedro Henrique
Preparação Vocal | Ari Sousa
Produção Executiva | Michel Barros
Produção de Cena | Marcos Paulo
Fotografia | Nanda Siebra

Dias 24, 25 e 26, às 20h, no Teatro Dragão do Mar. Ingressos: R$ 10 e R$ 5 (meia). Classificação livre.

Contato: Andreia Pires (9761-1256 / andreiapiressh@gmail.com)

 

? Noite das Estrelas

O projeto NOITE DAS ESTRELAS funciona há oito anos, no Planetário Rubens de Azevedo, e já recebeu milhares de pessoas entre turistas e público local. Todos os meses, sempre nas noites de Quarto Crescente Lunar, o planetário disponibiliza telescópios ao público em geral para observação astronômica: Crateras da Lua, Planetas, Nebulosas, etc. A participação é gratuita, sempre a partir das 19h. Basta chegar ao planetário e entrar na fila. Atenção: se o céu estiver nublado, não haverá observação astronômica, podendo haver também interrupção do programa, entre 19h e 21h, se as condições não estiverem favoráveis à continuação da atividade.

Dias 24 e 25 de abril, às 19h, em frente ao Planetário. Acesso gratuito.

 

? Lançamento do livro “Turismo para cegos” (Cia das Letras)
De Tércia Montenegro

 

A vida de Laila está prestes a se esfacelar. Jovem aluna de artes plásticas, ela tem os planos interrompidos por uma doença degenerativa e incurável que vai lhe custar a visão. Conforme a cegueira avança, tarefas corriqueiras tornam-se desafios e tudo o que lhe era familiar precisa ser explorado e redescoberto. Assim, também há algo de novo no envolvimento com Pierre, um funcionário público aparentemente inexpressivo que irá cuidar de Laila com dedicação.

Quem conta essa história é a atendente de um pet shop: é na loja onde ela trabalha que o casal procura adquirir um cão-guia. Neste surpreendente romance, a escritora Tércia Montenegro tateia os caminhos que afastam e aproximam os indivíduos, revelando, com linguagem poética, um fluxo labiríntico de incertezas e, acima de tudo, a voracidade pelo desconhecido que reveste tantos encontros humanos.

Dia 25, às 19h, no Auditório. Acesso gratuito.

Contato: Urik Paiva (9674-5891 / urikpaiva@gmail.com)

 

? Espetáculo “Aladim”
Cia. Cearense de Molecagem – Adaptação e direção: Carri Costa

 

Um dos clássicos inesquecíveis da literatura infantil, envolvendo romance e aventura, Aladim conta a história de um jovem árabe simples, mas muito curioso que se apaixona por uma princesa.  

 

Em uma das muitas aventuras de Aladim, ele encontra uma lâmpada em que um irreverente gênio encontra-se aprisionado e, ao libertá-lo, lhe é permitido a realização de três desejos. Conquistar a sonhadora princesa Jasmin é um dos seus pedidos ao gênio maluco. Mas o cruel feiticeiro Jafa quer pôr as mãos nessa lâmpada mágica e vai usar do bom coração de Aladim para atingir seus planos.  

 

Do livro “As Mil e uma Noites”, o conto de Aladim é um dos tesouros da literatura mundial e tem encantado gerações. Agora, a Cia Cearense de Molecagem pretende levar o público a um mergulho literário com personagens, elementos cênicos vibrantes, acrobacias, danças, música, muito encantamento e diversão.  

Dias 25 e 26, às 17h, no Teatro Dragão do Mar. Ingressos: R$ 40 e R$ 20 (meia). Classificação livre.

Contato: Carri Costa (3219-9493 / carricosta@hotmail.com)

 

? Encontro Cearense de Malabares

O encontro reúne jovens iniciantes e profissionais que exercem a prática dos malabares.

Dia 25, às 17h, na Praça Almirante Saldanha. Acesso gratuito.

 

? Quarteto Cearense [Circuito de Música Erudita]

O Quarteto Cearense é um dos grupos solos da Orquestra de Câmara Eleazar de Carvalho e apresenta, todo mês, repertório que vai do barroco ao contemporâneo.

 

Dia 26 de abril, às 18h, no Auditório. Ingressos R$ 4 e R$ 2 (meia).

Contato: Humberto (8734-5643 / quartetocearense@gmail.com)

 

? Fuxico no Dragão

Atrações artísticas e uma feirinha com vinte jovens expositores em design, moda, produtos terapêuticos e gastronômicos agitam as tardes de domingo do Centro Dragão do Mar. O programa perfeito para jogar longe o marasmo dominical. Neste domingo (26), o Fuxico no Dragão apresenta a performance “Vazio Estético”, de Marcelle Louzada.

 

Vazio Estético // Em uma sociedade orientada pela lógica do mercado, o termo “estética” é compreendido sob a perspectiva de um panorama cosmético, na maioria das vezes. Uma infinidade de produtos estampa vitrines, alta tecnologia, silicone, botox, cirurgia plástica.

 

É neste universo de uma estética-cosmética aplicada que surge a proposição artística Vazio Estético. Trata-se de uma provocação ao sentido atual do termo, em uma espécie de ritualização da beleza. Durante duas horas, a performance se desenvolve em ações como corte de unhas, depilação, aplicação de máscaras faciais e capilares, deixando a mostra procedimentos muitas vezes escondidos neste processo, desmistificando o próprio conceito de beleza. Esta performance foi apresentada na Exposição Recortes Atemporais, do fotógrafo Thiago Theo, na Casa Una de Cultura, em BH – MG – 2012; Roda de Rock Skol – BH – MG – 2013; e Inauguração do Espaço Cultural Garça Torta – Fortaleza – CE – 2013, este com a participação do artista visual Paulo Winz.

Dia 26 de abril, das 16h às 20h, na Arena Dragão do Mar. Acesso gratuito.

 

 

EXPOSIÇÕES

 

? Últimos dias da exposição “Fortaleza – Cores da cidade”

Fortaleza há de ser cantada! A barra, o dragão, o passeio; o bode, a praça, a ponte; os poetas, os profetas, os renegados. Como destacar da obnubilação citadina cada elemento senão pela cor, pelo traço, pelo verso? Mira, olha, enxerga, Fortaleza! Espia a beleza que aqui fez morada.

 

Somente representações poéticas podem restaurar a ternura que eventualmente se perdeu no caos do dia-a-dia. Os embates, as desproporções, os extravios que descarrilam a metrópole não podem abafar a cidade, seus personagens, suas histórias. Precisamos elaborar retratos que inspirem a construção de um reduto que se respeite, se preserve. As cores da cidade devem ganhar as telas para que as enxerguemos.

 

Os artistas plásticos Carlos Macedo, Cláudio César, Fernando França, João Marcelo Pereira, Lia Sanders, Mano Alencar e Vando Figueirêdo aproveitam o ensejo do aniversário de Fortaleza para louvar nossa aldeia. Resgatando paisagens e personagens, a exposição Fortaleza – Cores da Cidade oferece novos tons a cenários já invisíveis de tão familiares.

 

Fruto do anseio de redescobrir o encanto da capital, o projeto vem abalar nossa concepção do espaço urbano. São cerca de trinta telas com a temática, quatro a cinco de cada artista.

 

Fortaleza dispõe de uma cena cultural e artística própria, cujo reduto e resistência o Dragão do Mar tão bem sintetiza. Não há lugar melhor que o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura para apresentar à cidade seus mais novos retratos.

 

Em cartaz de 2 a 26 de abril de 2015, na Multigaleria. Visitação: terça a sexta, das 9h às 19h (com acesso até as 18h30); sábados, domingos e feriados, das 14h às 21h (com acesso até as 20h30). Gratuito.

 

 

? Vaqueiros

Exposição lúdica, de caráter didático, percorre o universo do vaqueiro a partir da ocupação do território cearense pela pecuária até a atualidade. Utiliza cenografia, imagens e objetos ligados ao cotidiano do vaqueiro.

 

Exposição de longa duração, no Museu da Cultura Cearense. Visitação de terça a sexta, das 9h às 19h; e aos sábados, domingos e feriados das 14h às 21h. Gratuito.

 

? Exposição Corpo da Obra

O Museu de Arte Contemporânea do Ceará (MAC-CE) apresenta a exposição Corpo da obra e evidencia eixos temáticos que compõem o seu acervo. Uma ação constante na atual política curatorial do Museu é a de proporcionar a visibilidade e o acesso das obras que compõem sua coleção, através de mostras que provoquem reflexão e dinamizem a relação público/obra. Uma dinâmica efetiva dentro dessa metodologia são as oficinas preparadas pela ação educativa do MAC-CE, que potencializam questões conceituais ao estimular percepções e instigar o olhar crítico do participante.

 

A parte de um todo, um pequeno território versus a geografia de uma totalidade, membros de um corpo, o corpo da obra. Metáforas de muitos corpos, corpo que não é corpo, a reinvenção do corpo, fragmentos ou ausência. Nesse contexto, nos apropriamos de diversas linhas e caminhos para apresentar fragmentos da coleção, alguma parte de um todo, alguns caminhos de uma estrada, alguns afluentes de um rio. O conjunto não discute apenas questões relacionadas à poética do corpo, se bifurca por outras searas. O corpo aqui é apenas o alicerce, o estopim para o novo instante.

 

Corpo da obra ocupa o andar superior do MAC-CE e divide-se em quatro partes, em conjuntos que se conectam e discutem eixos importantes que compõem o acervo do museu. Em Seres ou Coisas, o caráter mágico, os ambientes pós-apocalípticos, sombrios e misteriosos ativam potencialidades além do real; em Método e Construção, articulam-se relações entre o tempo e o espaço, na arquitetura e geometrização da forma; Escritas e Sujeitos ativam processos subjetivos, fluxos narrativos por onde emerge a palavra e a instância do confidencial; já em Corpo da Obra, o corpo é o elo entre a participação, a ausência e o limite.

 

Dessa forma, construímos um corpo articulável entre seres, geometrias e  subjetividades. Um corpo-acervo, um corpo-coleção.

Em cartaz até 3 de maio de 2015. Visitação: terça a sexta, das 9h às 19h (com acesso até as 18h30); sábados, domingos e feriados, das 14h às 21h (com acesso até as 20h30). Gratuito.

 

? MÚLTIPLAS LINGUAGENS

 

5º Grupo Escoteiro do Ar Pinto Martins

De acordo com a faixa etária dos participantes, o grupo define as atividades de escoteirismo.

Todos os sábados, das 14h às 17h, no Bosque da Praça Verde. Acesso gratuito.

 

Feira Dragão Arte

Feira de artesanato fruto da parceria com Sebrae-CE e Siara-CE.

Todas as sextas, sábados e domingos, das 17h às 22h, ao lado do Espelho D’Água. Acesso gratuito.

 

Brincando e Pintando no Dragão do Mar

Brincadeiras e atividades infantis para todas as idades orientadas por monitores.

Todos os domingos, das 16h às 19h, na Praça Verde. Acesso gratuito.

 

Planeta Hip Hop

Grupos promovem exibições de dança e música hip hop.

Todos os sábados, às 19h, na Arena Dragão do Mar.

 

? PLANETÁRIO RUBENS DE AZEVEDO

O Planetário Rubens de Azevedo é um espaço de entretenimento e formação pedagógica através de caráter transdisciplinar em Astronomia. Ingressos: R$ 8 e R$ 4 (meia).

Sessões:

O ABC do Sistema Solar

Em uma nave imaginária crianças fazem uma viagem pelo Sistema Solar. Durante a viagem elas aprendem sobre a mitologia das constelações e as lendas astronômicas. 30min.

 

Nos Limites do Oceano Cósmico

Usando o poder da nossa imaginação, viajaremos pelo espaço a uma velocidade próxima a da luz até o limite do universo visível, e com a ajuda do planetário, veremos de perto a nossa galáxia e grupos de galáxias muito distante de nós. Será que o universo tem fim? O que vemos no céu é uma ilusão? Você verá que o universo está em expansão e novas estrelas estão surgindo a todo instante.

 

Explorando o Universo

Venha se aventurar numa fascinante viagem pelo universo, e com Galileu conheceremos os segredos do céu e suas descobertas científicas para o progresso da ciência. 40min.

 

Origens da Vida

Mergulhando no desconhecido, e a partir das profundezas do oceano, descobriremos as origens da vida em nosso planeta. Através do tempo e espaço viajaremos até o nascimento das primeiras estrelas. 30min.

 

Sessões às quintas e sextas-feiras:

18h – Explorando o Universo

19h – Nos Limites do Oceano Cósmico

20h – Origens da Vida

Sessões aos sábados e domingos:

17h – ABC do Sistema Solar

18h – Explorando o Universo

19h – Nos Limites do Oceano Cósmico

20h – Origens da Vida

 

20.04.2015

 

Luciana Vasconcelos (85) 87338829
Assessoria de Comunicação e Marketing
Instituto Dragão do Mar
Telefones: 85 3488.8625/ 8970.8081

 

Giselle Dutra
Gestora de Célula/Secretarias
85 9922.2712 / 8801.2382

 

Coordenadoria de Imprensa do Governo do Estado – Casa Civil
comunicacao@casacivil.ce.gov.br / 85 3466.4898