Ex-bolsista da Funcap desenvolve sensor para aplicação na indústria petrolífera

22 de abril de 2015

O jovem cientista cearense Esequiel Mesquita desenvolveu um sensor ótico para medição de nível de líquidos em condições hostis. Esequiel foi bolsista da Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funcap) durante a graduação em Engenharia Civil pela Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA) e hoje é bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) no doutorado na Universidade do Porto, em Portugal.

O sensor tem como objetivo realizar medições de nível de líquidos em reservatórios subterrâneos, e pode ser utilizado para medições do nível do lençol freático, prospecção e para estimar o nível de reservatórios petrolíferos. “Uma das vantagens do sensor que nós desenvolvemos é que ele não utiliza corrente elétrica, o que o torna mais seguro para aplicações na indústria petrolífera”, explicou Esequiel.

A descrição em detalhes do funcionamento do sensor foi publicada na Revista Measurement, importante publicação internacional, sob o título “Liquid level gauge based in plastic optical fiber”.

Apoio da Funcap

Bolsista de IC da Funcap entre 2008 e 2011, o pesquisador afirma que a participação no Programa de Iniciação Científica da Fundação foi fundamental na escolha pela carreira acadêmica. “Desde criança eu sempre fui bastante curioso, e quando eu cheguei à Faculdade e tive a oportunidade de juntar-me ao grupo de pesquisadores do Laboratório de Materiais (LabMat) da UVA percebi que era aquilo que eu queria fazer pro resto da minha vida”, destaca Esequiel.

A bolsa de Iniciação Científica ajudou ainda no custeio das despesas de moradia e alimentação, entre outras, pois o bolsista precisou se deslocar de Irauçuba, sua cidade natal, à Sobral “para que pudesse tirar o máximo proveito da minha época de graduação. E pela concessão da bolsa de IC eu  pude dedicar-me exclusivamente a minha formação profissional sem ter que buscar um emprego formal”, informa.

As produções científicas desenvolvida no LabMat tornaram possível a participação do então graduando em conferências nacionais e internacionais, além de influenciarem a aprovação nos processos seletivos de mestrados da Universidade Federal do Ceará (UFC) e da Universidade de Brasília (UnB), em 1º e 2º lugar, respectivamente.

No entanto, antes de realizar as inscrições para a seleção nos mestrados, Esequiel Mesquita participou do Congresso Internacional de Patologia e Recuperação de Estruturas, em 2011, em La Plata, na Argentina.

Durante o evento, a professora Maria Positiere, do Departamento de Engenharia Civil da Universidad Tecnológica Nacional, na Argentina, em virtude da boa qualidade do trabalho apresentado no evento, perguntou ao estudante se ele tinha interesse em ingressar no doutorado naquela instituição. Segunda a docente, ao fazer uma análise previa do curriculum de Esequiel, ela percebeu a presença das aptidões necessárias para ingressar direto no doutorado.

“Depois disto, conversei com o meu orientador, o professor Francisco Carvalho, e ele aconselhou-me a pelo menos participar da seleção do doutorado, além das seleções de mestrado. Então eu inscrevi-me nas seleções de mestrado da UFC e UnB e de doutorado da Universidad Tecnologica Nacional e da Universidade do Porto. E, para minha completa surpresa, fui aprovado nas seleções de mestrado e também consegui o primeiro lugar nas duas seleções de doutorado”, comemora o pesquisador.

A primeira colocação na seleção permitiu ao estudante conseguir uma bolsa de Doutorado Pleno no Exterior pela Capes. “E, assim, ingressei no doutorado na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto aos 24 anos”, destaca.

Pesquisa atual

Na tese de doutorado de Esequiel, além do sensor de nível de líquidos que já está publicado, o cearense está desenvolvendo, em conjunto com pesquisadores europeus, mais três sensores: um sensor de corrosão, um sensor para medir o deslizamento entre o aço-concreto e um sensor de Pressão.

“Estes sensores serão utilizados para compor um sistema de monitorização estrutural, que essencialmente deverá realizar a avaliação do risco que uma estrutura terá de colapsar. Em princípio, o sensor ótico para medição do nível de líquidos, que foi desenvolvido pensando em aplicação na indústria petrolífera, foi amplamente testado e o protótipo final validado, e atualmente encontra-se pronto para ser empregado pela indústria.”, explica o jovem cientista.

Já os outros três sensores encontram-se, atualmente, em etapa de experimentação, e uma vez que for observado o cumprimento de todos os requisitos de desempenho esperados pela equipe de pesquisadores será então realizado o depósito da patente para que depois os artigos sejam  publicados e divulgados na comunidade científica.

“A nossa meta é que esses trabalhos contribuam para que o Ceará ocupe uma posição de destaque na geração de inovação tecnológica no contexto brasileiro, e assim mais industrias se sintam atraídas para se instalarem em nosso estado” afirma o jovem cientista cearense.

22.04.2015

Assessoria de Comunicação da Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico – Funcap, com informações da Secitece
Telefone: (85) 3275-9629

www.funcap.ce.gov.br
Twitter: @FuncapCE

Sabrina Lima
Gestora de Célula/Secretarias
sabrina.lima@gabgov.ce.gov.br

Coordenadoria de Imprensa do Governo do Estado
Casa Civil
comunicacao@casacivil.ce.gov.br / (85) 3466.4898