Governador Camilo Santana entrega Medalha da Abolição neste sábado (25)

24 de abril de 2015

O Governo do Ceará realiza neste sábado (25) a entrega da Medalha da Abolição: a maior comenda concedida pelo Estado. A solenidade de entrega será presidida pelo Governador Camilo Santana, no Palácio da Abolição, a partir das 17h30min.

Em 2015, são três homenageados: o arquiteto, urbanista, compositor e poeta Fausto Nilo; a farmacêutica bioquímica Maria da Penha Maia Fernandes, que empresta seu nome à Lei Maria da Penha, e o médico, doutor, especialista e responsável pelo programa de transplante de fígado no Estado, José Huygens Parente Garcia.

“A escolha é feita por uma comissão, instituída em um decreto. Essa comissão avalia o conjunto de nomes e resolve conceder, dentre esses nomes, a medalha para aqueles que mais se destacaram”, explica o chefe de gabinete do governador Camilo Santana, Élcio Batista. Ele acrescenta que essa comissão é formada todos os anos para verificar se as pessoas que estão sendo indicadas têm o mérito, o trabalho que, portanto, fazem com que elas sejam merecedoras da mais alta comenda do Estado do Ceará.

A comenda, instituída em 1963, reconhece o trabalho relevante de brasileiros para o Estado do Ceará ou para o Brasil. Até o ano passado, 155 personalidades do País foram homenageadas.

Saiba um pouco mais sobre os homenageados:

Fausto Nilo

Conhecido por suas composições e vanguardismo arquitetônico e urbanístico, Fausto Nilo foi da primeira turma da Faculdade de Arquitetura da Universidade Federal do Ceará. Cearense, nascido na cidade de Quixeramobim, a 224 Km de Fortaleza, o também poeta é o quarto dos sete filhos de Luís e Hilda Costa.

 

Huygens Parente Garcia

 

dr 2José Huygens Parente Garcia é cearense, nascido na cidade de Crato, é cirurgião graduado pela Universidade Federal do Ceará (UFC), doutor em Farmacologia também pela UFC e membro titular da Academia Cearense de Medicina, desde janeiro de 2015, ocupando a cadeira 13. Médico humanista, o Dr. Huygens é uma referência nacional no transplante de fígado.

 

 

Maria da Penha

 

150424 MA-PENHA QN9146 Maria da Penha teve sua história marcada por uma luta que se transformou em inspiração para a lei que leva o seu nome (11.340/2006) e um exemplo no combate à violência contra a mulher. Farmacêutica bioquímica e de classe média, Maria da Penha foi baleada pelo ex-marido, que foi condenado e preso. Ao recomeçar a vida, Maria decidiu escrever um livro e lutar contra a impunidade para os agressores.

 

 

SERVIÇO    

Dia: 25/04
Hora: 17h30min
Local: Palácio da Abolição (Avenida Barão de Studart, nº 505, Meireles)

A imprensa credenciada será recepcionada na entrada.

24.04.2015

Giselle Dutra
Gestora de Célula/Secretarias

Coordenadoria de Imprensa do Governo do Estado
Casa Civil
comunicacao@casacivil.ce.gov.br / (85) 3466.4898