Apoiado pela Secult, Mapeamento Cultural foi lançado na noite desta quinta (14)

15 de Maio de 2015

    O Mapeamento Cultural do Ceará foi lançado na noite desta quinta-feira (14), no Auditório do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, com a participação do secretário da Cultura do Estado do Ceará, Guilherme Sampaio, do secretário adjunto, Fabiano dos Santos Piúba, da coordenadora metodológica do Mapeamento e ex-secretária de Cultura do Estado, Claudia Leitão, e do representante da Petrobras/Lubnor Luiz Antonio Simonetti, além do coordenador do projeto, Leandro Guimarães, da Associação de Circos e Artistas do Nordeste (Ascan), proponente do projeto.

 

    O projeto conta com apoio da Secult, por meio da Lei do Mecenato, com patrocínio da Petrobras, mediante renúncia fiscal. O secretário Guilherme Sampaio parabenizou todos os envolvidos, reiterou a disposição da Secult em colaborar com o projeto e destacou a importância de um levantamento abrangente e atualizado das expressões culturais de todo o Ceará. A noite teve apresentações da Orquestra Instituto Beatriz e Lauro Fiuza e do Quarteto de Cordas da Orquestra de Câmara Eleazar de Carvalho.

 

    “Pra nós é uma circunstância muito bem-vinda começarmos o governo com o início desse projeto. O mapeamento é uma base extremamente importante para as políticas públicas. Mapear implica identificar, marcar, ver os relevos, ver as formas. É muito importante enxergar essa riqueza simbólica da cultura cearense, na extensão que ela tem”, destacou o secretário Guilherme Sampaio.

 

    “O mapeamento tem essa função objetiva de identificar artistas, produtores, gestores, patrimônio material e imaterial. Tudo isso constitui uma base de dados fundamental não só pras políticas de cultura, mas pros agentes culturais de forma geral. O mapeamento vai evidenciar a dimensão da cadeia econômica da cultura no Estado do Ceará”, acrescentou.

 

    Para Guilherme, não há no País a dimensão dessa cadeia, perfeitamente mensurada. “E o mapeamento vai fazer isso em um momento muito oportuno, na gestão do governador Camilo Santana, que se comprometeu em destinar 1,5% do orçamento do Estado da cultura, mas sobretudo se comprometeu em dar um novo lugar, um novo posicionamento dos esforços da política cultural no desenvolvimento do Ceará”, ampliou.

    “Essa é a tarefa que nos foi delegada pelo governador Camilo: fortalecer a política de cultura, ter uma presença mais ativa nas cidades do Interior do Ceará, quando ainda há uma concentração muito forte das políticas de cultura em Fortaleza e em algumas regiões”, reforçou o secretário.

    De acordo com Guilherme, é muito bem-vinda a iniciativa, neste momento em que, sobretudo em primeiro ano de governo, há uma dedicação em atualizar a legislação relativa ao Sistema Estadual de Cultura, ao Fundo Estadual de Cultura, ao próprio Mecenato, dando passos estratégicos para uma estrutura consistente para as políticas culturais. “Entre elas, a realização do primeiro concurso público para a Secretaria da Cultura, que espero que se concretize até 2016, nos 50 anos da Secretaria”, complementou Guilherme.

 

    A Associação de Circos e Artistas do Nordeste (Ascan) é a entidade diretamente responsável pela execução do projeto, patrocinado pela Petrobras e pelo Governo do Estado, por meio da Secult, através da Lei do Mecenato. Luiz Antonio Simonetti, representante da Petrobras/Lubnor, enfatizou que a empresa tem interesse em apoiar o desenvolvimento do País através da cultura e segue sendo a que mais investe no setor cultural.

 

    “Um projeto como esse com certeza vai dar muitos frutos ao nossos Estado. Pretende fazer um mapemento do patrimônio material, imaterial, edificações, um retrato bem acurado do nosso Estado e que sirva de modelo também esse projeto pra outros estados do País”, ressaltou.

 

    Mapeamento Cultural: 184 municípios

    O Mapeamento Cultural do Ceará incluirá uma extensa pesquisa, abrangendo os 184 municípios do Estado, para identificar artistas, produtores culturais, articuladores, gestores, instituições e produtos culturais. Para esse levantamento, serão utilizadas diferentes metodologias, técnicas e ações.

 

    Em todos os municípios haverá mobilização e divulgação das atividades, para que as comunidades participem de forma ativa, e será aplicada a pesquisa, com coleta, análise, validação e divulgação dos resultados. O resultado deste trabalho no Ceará terá apresentação pública nas 14 macrorregiões culturais do Estado e será disponibilizado com livre acesso em um portal na Internet, a ser criado com essa finalidade.

 

    Segmentos e linguagens

    Entre os segmentos que vão constar no mapeamento estão artesanato, patrimônio material (edificações, sítios e parques naturais) e patrimônio imaterial (festas religiosas, festas populares, festas civis, lendas, mestres de cultura, culinária, história e memória, fazeres populares).

 

    Também serão incluídos no levantamento manifestações artísticas modernas, eventos culturais (teatro, dança, música, artes plásticas, artes visuais, festivais, mostras) e equipamentos culturais (biblioteca, museu, teatro, auditórios, salas de cinema, estádio, ginásio, boate ou casa de forró, bar com palco, clube, livraria, loja de discos, vídeo-locadora).

 

 

15.05.2015

 

Assessoria de Comunicação da Secult
Dalwton Moura / Clovis Holanda ( secultmkt@gmail.com )
85 3101.6761 / 8699.6524 / 8829.8222

 

Giselle Dutra
Gestora de Célula/Secretarias

 

Coordenadoria de Imprensa do Governo do Estado – Casa Civil
comunicacao@casacivil.ce.gov.br
85 3466.4898