‘Diálogos Culturais’ da Secult reúne artistas e agentes da cultura em Quixeramobim

25 de junho de 2015

Um debate aberto e amplo entre o secretário Guilherme Sampaio, a equipe da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará e artistas, produtores, técnicos, gestores, educadores, formuladores, articuladores e público do setor cultural, de 14 municípios cearenses. Assim foi o encontro “Diálogos Culturais – Sertões de Quixeramobim”, promovido na noite de quarta-feira, 24/6, no Auditório da Faculdade Católica Rainha do Sertão, em Quixadá, contando com transmissão via Internet pelo site da Secult. O encontro encerrou o dia de atividades da Secult na região, que incluíram visita ao Memorial Cego Aderaldo, debate sobre o conceito e o uso desse novo equipamento cultural e ainda reunião dos secretários municipais de Cultura.

 

RDIÁLOGOS CULTURAIS - Sertões de Quixeramobim - MesaOs “Diálogos Culturais” são um projeto permanente da Secult que promove uma roda de debate, aberta a todos os interessados em discutir as políticas públicas para a cultura, apresentando sugestões, apontando prioridades, reforçando demandas e fazendo perguntas ao secretário de Cultura do Estado do Ceará. Os “Diálogos” já foram realizados presencialmente nos municípios do Crato e de Fortaleza (duas vezes em cada), além de abrangerem a transmissão online de várias reuniões promovidas com artistas, produtores, proponentes de projetos culturais, comunidade em geral, na sede da Secult.

 

Em Quixadá, a abertura dos “Diálogos” contou com o presidente da Faculdade Católica Rainha do Sertão, professor Manoel Messias, o presidente da Fundação Cultural de Quixadá, Márcio Aurélio, o presidente do Instituto de Estudos e Pesquisas sobre o Desenvolvimento do Ceará, Ilário Marques, a deputada estadual Rachel Marques, a professora da Universidade Estadual do Ceará Marcélia Marques e secretários de Cultura dos diversos municípios dos Sertões de Quixeramobim, entre vários artistas, produtores, educadores, militantes da cultura.

 

Abrindo os trabalhos, o secretário Guilherme Sampaio destacou as novas ações da Secult para a região, a importância do diálogo permanente com os municípios para a estruturação dos sistemas estadual e municipais de cultura e para o alcance dos compromissos do Governo do Estado para o setor cultural, como maior presença da Secult e da política de cultura no Interior.

 

 

Diálogo e parceria

 

“Este diálogo é uma necessidade da política cultural do Estado do Ceará, vindo de uma Secretaria prestes a completar 50 anos. Percebemos muito claramente a necessidade de parceria com os artistas, gestores culturais e produtores”, destacou o secretário Guilherme Sampaio, na abertura do encontro. “Esta é a primeira vez que um gestor público, um governador assume com a decisão de ampliar os recursos destinados à cultura. Então é um momento histórico que se impõe à cultura do Ceará”, acrescentou, ressaltando o compromisso do governador Camilo Santana com a política cultural.

 

“Um dos papeis da cultura é de liderar os cearenses na tomada de consciência e cultura de um povo. Queremos deixar bases consistentes, práticas para a implementação de uma política cultural no estado do Ceará. Temos consciência da fragilidade, mas temos uma responsabilidade histórica de mobilizar, integrar, articular, no sentido de levarmos a política cultural do Estado a um patamar mais alto”, apontou o secretário da Cultura do Ceará.

 

 

Participação e demandas

 

A valorização da capoeira, a retomada do apoio às Bandas Municipais de Música, a realização de mais atividades de formação artística, a criação de um curso de licenciatura em Música, uma maior valorização dos músicos e dos demais artistas do interior estiveram entre as demandas apresentadas pelos artistas, produtores e articuladores culturais dos municípios dos Sertões de Quixeramobim, durante os “Diálogos Culturais” na noite de quarta-feira, 24/6.

 

Os participantes também demandaram mais divulgação e orientação quanto aos editais da Secult, realização do mapeamento cultural nos municípios dos Sertões de Quixeramobim, melhorias no acesso ao Sistema de Informações Culturais (Sinf), bem como incentivo a participação nos sistemas, fundos e planos de cultura estadual e municipais. E ainda ampliação do apoio a artesãos e criação de mais auditórios para apresentação de grupos artísticos da região.

 

Outros pontos abordados pelos participantes foram a logística para a realização de eventos, a legalização do trabalho do músico no interior, a requalificação do Cedro como polo cultural com a sugestão de criação de um museu no açude e, por fim, a realização mais frequente de espetáculos e atividades de formação no Interior, com contrapartidas de projetos aprovados em editais da Secult.

 

 

Contribuições e demandas

 

O violeiro Guilherme Calixto, de Quixadá, foi o primeiro a se pronunciar no encontro “Diálogos Culturais – Sertões de Quixeramobim”. Através do improviso que lhe é característico, ele deu seu recado em versos cantados e muito bem elaborados sobre a cultura cearense.

 

A antropóloga, arqueóloga e professora da Uece Marcelia Marques trouxe aos “Diálogos Culturais – Sertões de Quixeramobim” a pauta do patrimônio cultural. A bailarina e coreógrafa Gerlídia Tavares falou sobre a importância de haver maior incentivo ao trabalho desenvolvido pelos artistas do interior. Adriano, do Instituto Assum Preto, trouxe ao debate, entre outras pautas, questões sobre as diretrizes da nova gestão para os principais eventos da Secult. A produtora cultural Joana Matias destacou a o interesse dos artistas do Sertão Central em cursos de formação superior na área da música.

 

O grupo Zé da Campina abordou a pauta do incentivo ao trabalho dos compositores da cena musical independente do Estado. Mônica, artesã de Quixadá, falou sobre a importância do apoio ao artesanato produzido no município e na região. Osvaldo, presidente do Instituto de Convivência com o semi-árido, destacou a relação entre cultura e meio ambiente.

 

Cleilton, policial militar, destacou o trabalho desenvolvido com capoeira em Quixadá, que em 2015 completa 20 anos de atuação. Kamila Brito, produtora cultural e representante da Associação dos Músicos de Quixadá – Amusq, reforçou o debate sobre a música. O articulador cultural das linguagens da dança e do teatro Vernildo falou sobre diversas questões, entre elas a burocratização dos processos dos editais. Já Hélio Duarte, presidente do Fórum de Cultura do Maciço de Baturité, reforçou a importância da atuação do Conselho para o funcionamento dos Sistemas Municipais de Cultura.

 

O secretário Guilherme Sampaio abordou um a um os pontos citados pelos participantes, destacando as novas ações da Secretaria, dando encaminhamento a diversas demandas e frisando a necessidade de seguir no trabalho coletivo de busca de soluções para as questões apresentadas, construindo conjuntamente, entre poder público e sociedade, a afirmação da cultura cearense.

 

 

25.06.2015

 

Assessoria de Comunicação da Secult
Dalwton Moura
secultmkt@gmail.com  / (85) 3101.6761

 

Giselle Dutra
Gestora de Célula/Secretarias

 

Coordenadoria de Imprensa do Governo do Estado – Casa Civil
comunicacao@casacivil.ce.gov.br
 (85) 3466.4898