Fumacê combate mosquito da dengue em Fortaleza e interior

30 de junho de 2015

O combate ao mosquito transmissor da dengue continua no Ceará com a realização de novos ciclos de pulverização de inseticida em Fortaleza, Cascavel, Itapipoca e Miraíma. Na capital, o segundo ciclo de pulverização espacial UBV-pesado acontece de 29 de junho a 3 de julho em 22 bairros das regionais I, II, III, IV e V, com cobertura de 3.886 quarteirões. Em Cascavel o primeiro ciclo de pulverização percorrerá 1.040 quarteirões e, logo em seguida, de 6 a 10 de julho, o segundo ciclo faz o mesmo itinerário. Em Itapipoca, Miraíma e distrito de Brotas o percurso compreende mil quarteirões para o cumprimento de três ciclos de pulverização, de 29 de junho a 3 de julho, 4 a 9 de julho e 10 a 14 de julho.

 

Em Fortaleza a pulverização teve início nesta segunda-feira (29), com cobertura de 507 quarteirões dos bairros Bom Sucesso, Autran Nunes, Dom Lustosa e João XXIII. Na terça-feira a fumacê percorreu 485 quarteirões da Barra do Ceará, no período da manhã, e 506 quarteirões dos bairros Jockey Clube, Henrique Jorge e Parangaba. Na quarta-feira, das 5 às 8h30min, serão cobertos 461 quarteirões dos bairros Jardim Iracema, Quintino Cu8nha e Antônio Bezerra e, das 16 às 20 horas, 442 quarteirões dos bairros Serrinha, Itaperi e Vila Pery. Quinta-feira pela manhã o serviço será realizado em 463 quarteirões da Aldeota, Varjota e Mucuripe. À tarde é a vez da Vila Manoel Sátiro, Maraponga e Vicente Pinzon, em 504 quarteirões. O ciclo se encerra na sexta-feira em 518 quarteirões dos bairros Vicente Pinzon, Meireles e Papicu.

 

O fumacê, nome popular para a Pulverização espacial UBV, é um procedimento que consiste na liberação via aérea de gases, que agem, por contato, atingindo os mosquitos adultos em voo. Cerca de 90% dos focos do Aedes aegypti, mosquito que transmite a dengue, são encontrados dentro de casa. A ação do produto só é efetiva quando o inseticida está em suspensão no ar e só mata o mosquito adulto. O inseticida não mata as larvas do Aedes aegypti, que estão em caixas d’água, potes, baldes, pneus, lajes. A recomendação aos moradores é que abram portas e janelas das casas na passagem do fumacê para que o inseticida atinja o mosquito dentro das residências.

 

A passagem do fumacê não diminui a necessidade da eliminação dos potenciais focos do mosquito. Por isso, as famílias devem também fazer sua parte no combate ao Aedes aegypti. O inseticida não mata as larvas do Aedes aegypti, que estão em caixas d’água, potes, baldes, pneus, lajes. É preciso também manter os quintais sempre limpos, recolher, eliminar ou guardar longe da chuva todo objeto que possa acumular água, como pneus velhos, latas, recipientes plásticos, tampas de garrafas, copos descartáveis e até cascas de ovos. O lixo doméstico deve ser acondicionado em sacos plásticos e descartado adequadamente, em depósitos fechados. A eliminação de criadouros deve ser realizada pelo menos uma vez por semana. Assim, o ciclo de vida do mosquito será interrompido.

 

 

30.06.2015

 

Assessoria de Comunicação da Sesa
Selma Oliveira / Marcus Sá /  (   selma.oliveira@saude.ce.gov.br / 85 3101.5221 / 3101.5220)
Twitter: @SaudeCeara
www.facebook.com/SaudeCeara

 

Giselle Dutra
Gestora de Célula/Secretarias

 

Coordenadoria de Imprensa do Governo do Estado – Casa Civil
comunicacao@casacivil.ce.gov.br
 (85) 3466.4898