Agricultura irrigada: experiência de sucesso na Califórnia servirá de exemplo para estudo no Ceará

8 de julho de 2015

O Ceará vai realizar um estudo inédito voltado para gestão de água na agricultura irrigada. Em um momento de seca vivenciado há quatro anos, a iniciativa tem como principal objetivo otimizar o uso da água no agronegócio em território cearense, tendo início pelo Médio e Baixo Jaguaribe. Para dar início às ações, pesquisadores da Califórnia apresentaram nesta terça-feira (7), no Palácio da Abolição, a experiência de sucesso vivenciada no estado americano de clima semelhante ao cearense.

 

O estudo é financiado pela Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará (Adece) e será executado pelo Instituto Centro de Ensino Tecnológico (Centec). A previsão de término do projeto é de três meses, quando será entregue aos órgãos responsáveis para a prática.

 

“Nós recebemos uma demanda da Secretaria de Recursos Hídricos (SRH), Companhia de Gestão de Recursos Hídricos (Cogerh), Secretaria de Agricultura, Pesca e Aquicultura (Seapa), da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) e também de algumas câmaras setoriais ligadas ao agronegócio solicitando que nós fizéssemos o estudo sobre o manejo e o monitoramento de água no Ceará. Fizemos um contrato com o Centec para que possamos, nós próximos 90 dias, ter um documento para utilizar de forma racional e inteligente. Buscamos essa parceria com os pesquisadores da califórnia, responsáveis por um sistema eficiente naquele estado que tem um clima semelhante ao nosso. Para se ter uma ideia, na Califórnia eles atravessam o terceiro ano de seca. Aqui são quatro anos”, explicou o presidente da Adece, Ferruccio Feitosa.

 

Rcalif2O projeto consistirá em uma readequação, tendo como referência o Sistema de Informação para o Manejo da Irrigação na Califórnia (CIMIS), do Sistema de Informações para o Manejo da Irrigação no Ceará (SIMIC), rede integrada de estações que foi constituída em 1999 a partir de um Projeto Piloto implementado pela Funceme.

 

De acordo com o presidente do Centec, Francisco Viana, essa é a oportunidade de aperfeiçoar as tecnologias já existentes no Ceará por meio da experiência exitosa da Califórnia. “É um momento oportuno de fazer o que já fazemos há mais de 10 anos com o que já se pratica a nível internacional e referência no mundo, que é a Califórnia”, disse.

 

Para o presidente da Funceme, Eduardo Sávio Martins, o maior diferencial a ser vivenciado pela agricultura cearense com a implantação do estudo será a informação levada ao agricultor. “Nosso sistema vai até o final com a definição da necessidade de irrigação. O que está faltando é a extensão. Como chegar com essa informação ao irrigante e como fazê-lo entender que usar essa informação vai maximizar produção”, destacou.

 

Já o titular da Secretaria de Recursos Hídricos (SRH), Francisco Teixeira, enfatizou a objetividade, o pragmatismo e a precisão dos americanos como um ponto positivo para a troca de experiências com o Ceará. “Eles se organizam e dão a volta por cima. Todos os estados da bacia do Colorado estabeleceram planos para se adequar à realidade hídrica”, concluiu ele, destacando outros estados americanos.

 

Rcalif3Estiveram ainda presentes no evento os titulares das secretarias estaduais Francisco Teixeira (Recursos Hídricos), Nelson Martins (Relações Institucionais) e Hugo Figueiredo (Seplag),  além dos secretários adjuntos Cláudio Ferreira Lima (Desenvolvimento Econômico), Euvaldo Bringel (Agricultura, Pesca e Aquicultura), Ramon Rodrigues (Recursos Hídricos) e Francisco Carvalho (Ciência, Tecnologia e Educação Superior). Também estavam no evento os presidentes João Lúcio (Cogerh), Atônio Amorim (Ematerce) e representantes da Agência Nacional de Águas (ANA), Vagner Vilella e Thiago Fontenele. Representaram as câmaras setoriais Tom Prado (CS Frutas), Afro Negrão (CS Carnaúba), Cristiano Maia (CS Camarão) e Thomas Reeves (CS Flores).

 

 

Case de sucesso

A Califórnia é o estado americano com maior Produto Interno Bruto (PIB) e, na produção agrícola, enquadra-se como referência mundial. Assim como o Ceará, a localidade vem sofrendo sérios problemas econômicos causados pela seca, que impacta fortemente o desempenho no meio rural. O CIMIS, elaborado pela UCDavis e gerenciado pelo DWR, deu um grande retorno econômico, modificando positivamente o cenário da agricultura irrigada da Califórnia e servirá de espelho para as ações implementadas em solo cearense.

 

 

Queiroz Neto / Fotógrafo / Governo do Estado

 

 

 

08.07.2015

 

 
Ana Beatriz Sugette
Assessoria de Comunicação – Agência do Desenvolvimento do Estado do Ceará (ADECE)
(ana.beatriz@adece.ce.gov.br / (85) 3457-3330)

 
Ciro Câmara
Gestor de Célula / Secretarias

 
Coordenadoria de Imprensa do Governo do Estado
Casa Civil
comunicacao@casacivil.ce.gov.br / (85) 3466.4898