Centro Dragão do Mar apresenta programação semanal de 1º a 6 de setembro de 2015

31 de agosto de 2015

 ? Programa Teatro da Terça [Temporada de Arte Cearense]

 

Espetáculo Orlando

 

Grupo Expressões Humanas

 

Um espetáculo que nasce a partir do livro ORLANDO, de Virgínia Woolf, e que envereda pelas aventuras e desventuras do personagem e do ser humano através dos tempos. A peça se distancia do realismo para enveredar no fluxo da consciência humana explorando e ressignificando as imagens propostas por Virgínia Woolf e a atmosfera atemporal sugerida pela musicalidade, figurino, cenário e adereços que não respeitam as convenções das épocas.

 

Para ressaltar as imagens metafóricas e epifânicas propostas pela escritora e na tentativa de refletir o fluxo de consciência e dos acontecimentos, opta-se pela transversalidade da encenação, pontuando poesia, fantasia e memória, com música ao vivo, projeções e intervenção de artes plásticas.

 

Apresentando um panorama das transformações sofridas pelo ser diante da vida, o espetáculo traça divertidas comparações entre os gêneros e desenha Orlando como um ser humano independente do sexo, um personagem imaginário, um ideal andrógino de ser, que se apresenta primeiramente como um nobre e belo rapaz e depois como uma linda mulher aos trinta e seis anos. Em seu percurso de 300 anos, busca entender a vida, a arte e o amor.

 

Dias 1, 8, 15, 22 de setembro de 2015, às 19h, no Teatro Dragão do Mar. Ingressos: R$ 6 e R$ 3 (meia). 18 anos.

 

Contato: Grupo Expressões Humanas (9942-8490 / 3121-4946 / grupoexpressoeshumanas@gmail.com )

 

 

? Debate com Ginga

 

Realização: Grupo Capoeira Brasil

 

Debates sobre temas fundamentais a organizações sociais e de cultura popular são tratados nos encontros mensais, que são seguidos por roda de capoeira.

 

Dia 2 de setembro, às 19h, no Auditório e Arena Dragão do Mar. Gratuito.

 

Contato: Luciano Hebert (8845-0743 / 8711-4900 / hebert.capoeira@gmail.com)

 

 

? Programa Espetáculos Circenses [Temporada de Arte Cearense]

 

Espetáculo Mãe Por Meia Hora – Comédias de um Mestre

 

Trupe Rebimboca com Pimenta

 

Uma carta, uma proposta irrecusável de casamento e o azar do palhaço. Mestre de cena, após de ler a carta: “Pimenta! Está vindo um milionário pra casar com minha irmã, estamos ricos, ricos!”, comemoram. Mas logo o palhaço retruca: Mas como vamos ficar ricos, se tua irmã acabou de viajar? O mestre de cena responde: “Pimenta, vai até ali e volta”. Uma sensacional comedia que você vai rir do começo até o fim.

 

Dias 2 e 9 de setembro de 2015, às 20h, no Teatro Dragão do Mar. Ingressos: R$ 6 e R$ 3 (meia). 12 anos.

 

Contato: Rafael Lopes ( 98751-1107 / truperebimboca@gmail.com)

 

 

 

? Debate Encíclica Verde de Francisco e a Crise Climática: reflexões e ações para o Ceará

 

Movimentos sociais e pastorais sociais da Arquidiocese de Fortaleza realizam o debate “Encíclica Verde de Francisco e Crise Climática: reflexões e ações para o Ceará”, tendo como centro da discussão a nova carta do Papa Francisco, a Laudato Si, divulgada também como a “Encíclica Verde”. O evento acontece no dia 3 de setembro, com programação a partir das 14 horas, no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, e integra o calendário de atividades que antecede o Grito dos Excluídos, tradicional marcha dos movimentos sociais no Dia da Independência.

 

Lançada em junho deste ano, a nova encíclica tem causado agitação para além do mundo católico. Com críticas ao modelo de desenvolvimento capitalista, o documento chama atenção para crise climática planetária e reforça a necessidade de mudanças nas formas de produção e de consumo. Considerada a primeira encíclica totalmente produzida pelo Papa Francisco, a Laudato Si se aproxima do que os cientistas do clima têm alertado nas últimas décadas, enfatizando a gravidade, os riscos e a urgência do problema ambiental.

 

De acordo com os organizadores, o objetivo do debate é contribuir para a conscientização da sociedade cearense acerca da crise climática, reunindo os esforços de movimentos sociais, ambientalistas, cientistas, povos originários e comunidades tradicionais ao clamor do Papa Francisco. No Ceará, a ocorrência de anos consecutivos de chuvas abaixo da média revelou o cenário de crise hídrica e os efeitos do colapso climático que estão sendo sentidos principalmente pelas populações que vivem fora da Região Metropolitana de Fortaleza. No contexto em que, dos 184 municípios cearenses, 67 estão em estado de emergência e 23 em colapso hídrico, a Encíclica Verde desperta atenção por relacionar a questão da água com a crise ecológica global.

 

A programação tem início às 14 horas com a abertura da Exposição “Relicários da Grande Seca”, do artista plástico Zé Tarcísio, no Espaço Mix do Centro Dragão do Mar. À noite, às 18h30, acontece no auditório do Dragão o debate “Encíclica Verde de Francisco e Crise Climática: reflexões e ações para o Ceará”. Compõem a mesa o padre e filósofo Manfredo de Oliveira, a mestre em políticas públicas e moradora de Canindé Vânia Vasconcelos, o físico Alexandre Araújo Costa e a liderença indígena Clécia Pitaguary.

 

O evento é resultado da articulação entre Pastorais Sociais da Arquidiocese de Fortaleza, Rede Jubileu Sul Brasil, Comunidades Eclesiais de Base (CEBs), Centro de Estudos Bíblicos (Cebi), O Grupo, Cáritas Arquidiocesana de Fortaleza, Curso de Verão na Terra do Sol, Fórum Ceará no Clima, Adital, Coletivo Agroflorestar, Observatório Socioambiental, Comitê Permanente em Apoio à Causa Indígena e Setorial Ecossocialista do PSOL com apoio do Mandato Ecos da Cidade | Vereador João Alfredo (PSOL).

 

 

SOBRE A ENCÍCLICA

 

A carta papal é a segunda publicada durante pontificado do Papa Francisco, sendo considerada a primeira totalmente produzida por ele. Laudato Si, ou Louvado Seja, aborda as dimensões da crise ecológica global (como a questão hídrica e a produção de lixo) e mostra como os modos de vida, produção e consumo vigentes se opõem aos limites planetários. O texto evidencia a opção do Papa pelo combate moral à cultura da ostentação, do consumismo, da descartabilidade e convoca a sociedade a mudanças profundas na economia, na política, na relação do ser humano com a natureza e com seu semelhante.

 

 

SOBRE A EXPOSIÇÃO

 

Zé Tarcísio apresenta montagem Relicários da Grande Seca, trabalho com pedras produzido em alusão aos 100 anos da Seca do Quinze. Nascido em 1941, em Fortaleza, o artista plástico é reconhecido no mundo por suas atividades artísticas. Já participou de mostras pelo Brasil e pela Europa, sendo premiado pelo XIII Salão Nacional de Arte Moderna, no Rio de Janeiro, e homenageado pelo Museu de Arte da Universidade do Ceará (Mauc). Em 2001, recebeu a Medalha Boticário Ferreira, mais alta comenda da Câmara Municipal de Fortaleza.

 

Dia 3 de setembro. Das 14h às 18h30, exposição 100 anos da Grande Seca e debate às 18h30. No Espaço Mix. Gratuito.

 

Contato: Raíssa Veloso (assessoria do vereador João Alfredo) (9 9136.6212 | 9 9936.6222) / Francisco Vladimir da Silva (Pastorais Sociais da Arquidiocese de Fortaleza) (9 9969.7804 | 9 8922.0089)

 

 

? Programa Nas Ruas do Dragão [Temporada de Arte Cearense]

 

Espetáculo No Largo do Pixinga

 

Grupo Beco dos Contadores

 

É um concerto cênico musical em que uma trupe de artistas mambembes narram os principais fatos da vida do músico, instrumentista e compositor Alfredo da Rocha Viana Filho, conhecido nacionalmente como Pixinguinha. Utilizam a música, o teatro e sapateado como as linguagens condutoras para os relatos que estão por vir. É um misto de drama, comédia, metateatro e diversão numa história só.

 

Ficha Técnica

Elenco: Izabela Wégila, Edglê Lima, Duduh Abreu

Músicos: Aílton Santana, Alisson Barbosa, Higor Monteiro, Lucas Bessa

Texto: Rafael Barbosa

Figurino: Damir Cruz

Fotos: Jotacilio Martins

Produção e Coordenação artística: Edglê Lima

Direção Geral: Beco dos Contadores

Dias 3, 10, 17 e 24 de setembro de 2015, às 19h, no Espaço Rogaciano Leite Filho. Gratuito.

Contato: Edglê Lima (9712-9432 / 8831-3673 / edglelima@hotmail.com)

 

 

? O Sonho Não Acabou – I Fórum do Pensamento Crítico de Fortaleza

 

Nesta quinta-feira (3), às 19h, o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura e a Fundação Perseu Abramo realizam a primeira edição de O Sonho Não Acabou – Fórum do Pensamento Crítico, em Fortaleza. Para o debate inaugural, foram convidados Eduardo Suplicy, secretário de Direitos Humanos e Cidadania da cidade de São Paulo, e Ivana Bentes, secretária de Cidadania e Diversidade Cultural do Ministério da Cultura. No Anfiteatro do Dragão do Mar, Suplicy e Bentes vão falar ao público sobre os novos caminhos da esquerda no Brasil e no mundo. O Fórum tem acesso livre e gratuito.

 

Com edições previstas mensalmente de setembro a dezembro de 2015, no Anfiteatro do Centro Dragão do Mar, O Sonho Não Acabou – I Fórum do Pensamento Crítico de Fortaleza reunirá intelectuais do Brasil e países latino-americanos para debater política, estética e as vertentes do pensamento crítico na contemporaneidade. O objetivo é apontar caminhos para uma melhor compreensão e intervenção no mundo social.

 

Sempre sob o tema “É possível uma sociedade mais justa?”, nomes atuais do pensamento de esquerda, no país, serão convidados a falar sobre a importância de se continuar promovendo justiça social, além de expor experiências pessoais relacionadas. “Vivemos hoje numa democracia mundialmente atrofiada, um declínio dos partidos e dos sindicatos. Acontece o que Pierre Rosanvallon (historiador francês) chama de a não representação das novas figuras do social. É preciso claramente analisar as mudanças de paradigma e as verdadeiras raízes do desencantamento contemporâneo”, analisa Paulo Linhares, presidente do Instituto Dragão do Mar.

 

 

Fórum do Pensamento Crítico

 

Realizada junto a parceiros pela Fundação Perseu Abramo, o Fórum do Pensamento Crítico (FCP) já teve uma primeira edição em Salvador (BA), com a presença de Marilena Chauí, Emir Sader, Marcio Pochmann, Emiliano José e Valdir Pires, entre outros expoentes da intelectualidade brasileira. Aqui em Fortaleza, com a parceria do Centro Dragão do Mar, o FCP foi batizado com o título “O Sonho Não Acabou”.

 

Para as próximas edições no Dragão do Mar, já foram confirmados os integrantes do Teatro Mágico, grupo musical formado em 2003 em São Paulo e que apoia variadas iniciativas de economia solidária; e o diretor e dramaturgo José Celso Martinez, mais conhecido como Zé Celso, que também possui forte engajamento político no Brasil.

 

 

SERVIÇO

 

O Sonho Não Acabou – I Fórum de Pensamento Crítico

Quando: dia 3 de setembro (quinta-feira)

Hora: 19h

Onde: Anfiteatro do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura

Acesso livre e gratuito

Sujeito à lotação do espaço

 

SOBRE OS CONVIDADOS

 

Ivana Bentes

É formada em Comunicação, com mestrado e doutorado em Comunicação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Foi diretora da Escola de Comunicação da UFRJ de 2006 a 2013. Tem atuação no campo de Comunicação, Cultura e novas mídias com ênfase nos seguintes temas: estética, comunicação, audiovisual, cinema, mídia, imaginário social, pensamento contemporâneo, cultura digital e ativismo. Desenvolve as pesquisa: Estéticas da Comunicação, Novos Modelos Teóricos no Capitalismo Cognitivo e Periferias Globais: produção de imagens no capitalismo periférico. Foi coordenadora do Pontão de Cultura Digital da ECO/UFRJ de 2009 a 2014. É curadora na área de arte e mídia, cinema, audiovisual. É pesquisadora do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da ECO/UFRJ. Atualmente é Secretária de Cidadania e Diversidade Cultural do Ministério da Cultura.

 

Eduardo Suplicy

Em 21 junho de 1941, nasce Eduardo Matarazzo Suplicy, oitavo dos 11 filhos de Filomena Matarazzo Suplicy e Paulo Cochrane Suplicy. Em 1960, entrou no curso de Administração de Empresas da Fundação Getúlio Vargas de São Paulo. Em 1963, tornou-se presidente do Centro Acadêmico de Administração de Empresas da Faculdade de Administração. Em 1966, foi aprovado, por concurso, para o cargo de professor no Departamento de Economia da Escola de Administração de Empresas da Fundação Getúlio Vargas em São Paulo. De 1966 a 1968, fez mestrado em Economia na Michigan State University, EUA. De 1969 a 1970, foi Redator Chefe da Revista de Administração de Empresas de São Paulo. Em 1970, retornou aos Estados Unidos para concluir o PHD na Michigan State University.

 

De 1971 a 1972, foi professor visitante no Centro de Desenvolvimento da Gestão na Universidade de Stanford. Em 1974, publicou os primeiros artigos de economia no jornal Última Hora, de Samuel Wainer. Em 1975, torna-se editor de economia da revista Visão. De 1976 a 1980, foi redator e analista de assuntos econômicos do jornal Folha de São Paulo.

 

Em 1978, se elege deputado estadual pelo Movimento Democrático Brasileiro (MDB), com mais de 78 mil votos, o segundo mais votado para a Assembleia Legislativa de SP. Em 1980, participou da fundação do Partido dos Trabalhadores. Em 1982, foi eleito deputado federal pelo PT com 83 mil votos. Em 1988, foi o vereador mais votado para a Câmara Municipal de São Paulo, com 201.549 votos. Em 1989, foi eleito presidente da Câmara Municipal de São Paulo, promovendo uma grande limpeza com o mote “A transparência em tempo real é a melhor maneira de prevenir irregularidades”.

 

Em 1990, foi o primeiro senador da República eleito pelo PT, com 30% dos votos válidos. Até 1994, foi o único representante do partido no Senado. Em 1991, apresenta o Projeto de Lei que institui o Programa de Garantia de Renda Mínima, aprovado por todos os partidos no Senado. Em 1992, com o deputado José Dirceu, propôs a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito do PC Farias, que culminou com o impeachment do ex-presidente Fernando Collor de Mello.

 

Em 1998, na segunda candidatura ao Senado, Eduardo Suplicy conquistou a maior votação para o cargo no País, com 6.718.463 votos, 43% dos votos válidos, 13% a mais que em 1990. Em 2001, apresenta no Senado o Projeto de Lei que institui a Renda Básica de Cidadania. Em 2003, foi Presidente da Comissão de Relações Exteriores do Senado até 2005. Em 2004, foi eleito co-presidente da Rede Mundial da Renda Básica – BIEN, e reeleito em 2006. Em 2008, 2010, 2012 e 2014 foi eleito presidente de honra da BIEN.

 

Em 2004, o Presidente Luiz Inácio Lula da Silva sanciona a Lei 10.835/2004 que institui, por etapas, a critério do Poder Executivo, a Renda Básica de Cidadania. Em 2006, na candidatura ao terceiro mandato de senador foi reeleito com 8.986.803 votos, 47,82% dos votos válidos. EM 2007, foi vice-líder do PT no Senado. Em 2010, foi o primeiro colocado no quesito Defesa da Democracia do prêmio Congresso em Foco.

 

Em 2011, como membro do Parlamento Latino Americano e do Parlamento do Mercosul, apresenta e aprova a Ley Marco de La Renta Básica. Em 2012, apresenta no Senado projeto que institui a prestação de contas em tempo real durante as eleições. Em 2012, foi eleito o melhor senador do Brasil pelo prêmio Congresso em Foco. Em 2014, recebeu 6,17 milhões de votos na eleição pelo cargo de Senador do Estado de São Paulo. Em 2015, assume a secretaria municipal de Direitos Humanos da cidade de São Paulo.

 

SOBRE A FUNDAÇÃO PERSEU ABRAMO

A Fundação Perseu Abramo (FPA) foi criada em 5 de maio 1996. Nomeada em homenagem ao jornalista Perseu Abramo, a instituição é um espaço para o desenvolvimento de atividades de reflexão político-ideológica, estudos e pesquisas, destacando a pluralidade de opiniões.

 

 

?Programa Quinta com Dança Experimental [Temporada de Arte Cearense]

 

 Espetáculo [EN]LINHAS

 

 #Corporeos Grupo de Dança

 

Linhas que tensionam e permeiam o processo.

 

“Encontros e desencontros.

 

Ir e vir de possibilidades.

 

Trânsito do agora.

 

Atração, repulsão.

 

Ação, reação”

 

O [EN]LINHAS é resultado de um jogo de (de)composição e (re)composição em dança. A proposta do trabalho é experimentar os encontros dos corpos quando esses se cruzam e o que pode ser construído e desdobrado a partir disso. Também nos interessa perceber como esse encontro nos afeta e nos ajuda a construir essa movimentação. A ideia é que num ir e vir de duas pessoas, que andam em linha reta, o encontro se dê num ato repentino, como se se entrelaçassem, “enlinhassem” e “desenlinhassem”, alinhando-se novamente, mas como outro estado corporal devido ao afeto criado pelo encontro.

 

Contato: Janaina Bento (janainabento@gmail.com / 8835-0412)

 

 +

 

 

? Programa Quinta com Dança [Temporada de Arte Cearense]

 

Espetáculo À Beira de…

 

De Silvia Moura

 

Um estado…momentâneo ou não. Estarrecedor.

A necessidade de estancar para daá conseguir falar sobre algo ou sobre uma sensação causada por várias insatisfações. O desejo do nada se estabelecendo por ter tantos acúmulos. Sons de coisas caindo no chão, estilhaços, imagens de mãos segurando algo que ….quase caiu. Um processo irreversível de extinção.

 

Esse trabalho trata da busca por um estado de presença que estabeleça com o público uma relação de casualidade. O público ilumina o espetáculo e é levado a procurar um lugar para conseguir ver o trabalho da forma que lhe for menos arriscado. É proposto ao público segurar objetos que podem cair, escolher um lugar para ficar, escolher que parte deve ser iluminada do trabalho. A interação direta com o  público é parte da composição do trabalho.

 

Ficha Técnica

Composição e interpretação: Silvia Moura

Música: Uirá dos Reis

Pesquisa de Luz: Silvia Moura e Fernando Peixoto.

Figurino: Silvia Moura

Duração: 40 min

Dias 3, 10, 17 e 24 de setembro de 2015, às 20h, no Teatro Dragão do Mar. Ingressos: R$ 6 e R$ 3 (meia). Livre.

Contato: Silvia Moura (9645-6689 / 8851-8806 / emcrise@hotmail.com)

 

 

? Folgança

 

O “FOLGANÇA” VIII Encontro de Grupos de Cultura Popular Tradicional é um evento em comemoração ao dia mundial do Folclore, e se reveste de fundamental importância para o reconhecimento das linguagens das culturas tradicionais populares no Estado do Ceará.

 

Em 22 de agosto, o Brasil comemora o Dia do Folclore. A data foi criada em 1965 através de um decreto federal.  O folclore é o conjunto das tradições, lendas, usos costumes e crenças de um país. Estas tradições podem ser percebidas na alimentação, linguagem, artesanato, religiosidade e vestimentas de um povo. Segundo a Carta do Folclore Brasileiro, aprovada pelo I Congresso Brasileiro de Folclore em 1951, “constituem fato folclórico as maneiras de pensar, sentir e agir de um povo, preservadas pela tradição popular, ou pela imitação”. É o modo que um povo tem para compreender o mundo em que vive. Conhecendo as raízes culturais de um país, podemos compreender o seu povo. E assim, também conhecermos, parte de sua História.  O folclore brasileiro, um dos mais ricos e diversificados do mundo, formou-se ao longo dos anos principalmente por índios, brancos e negros, nele estão presentes as características dos que contribuíram para a formação de nossa nação, principalmente os africanos, indígenas e europeus. Podemos perceber essa influência em algumas manifestações como as festas típicas, as brincadeiras, crenças e lendas.

 

O Folgança chega a oitava edição, muito mais maduro, mantendo a sua origem de oportunizar ao público de Fortaleza, assim como seus visitantes, o conhecimento sobre a cultura representada através de suas danças e músicas tradicionais populares, contribuindo assim para este novo momento de valorização da cultura local, todos querem conhecer nossa gente e nossa cultura mais autêntica. Mostrando compromisso com a preservação das nossas expressões culturais de origem popular tradicional, o Folgança é pensando para vários perfis de público, inicia-se com um seminário, no qual palestrantes e estudantes e pessoas interessadas debatem sobre temas considerados importantes para a compreensão e preservação do nosso folclore. Na seqüência acontecerão várias oficinas de danças folclóricas onde grupos locais se revezam dia após dia, em momentos de trocas de experiências e confraternização. Mantendo se fiel a idéia de homenagear pessoas importantes pelo trabalho que desenvolvem em prol da cultura popular tradicional, homenagearemos o Professor e Jornalista Paulo Tadeu Sampaio de Oliveira. Finalizando a programação teremos as apresentações dos grupos de cultura popular tradicional e de projeções da cidade de Fortaleza, interior do Estado e de outros estados do Brasil.  

           

Estimular o conhecimento e a vivência da nossa própria cultura, promover os grupos que divulgam a cultura popular tradicional cearense. É também à forma como o Grupo de Tradições Folclóricas Raízes Nordestinas encontrou para comemorar o dia mundial do Folclore.

 

Acreditamos que eventos como o “Folgança”, ajudam no processo de democratização das artes, em especial da cultura de folclore, e o acesso a cultura, incentivando, promovendo e fomentando mecanismos de preservação e difusão da cultura popular tradicional.

 

Proporcionando assim um conhecimento maior e consciente das características do nosso povo, incentivando a difusão das nossas raízes e, sobretudo reforçando e valorizando a nossa riqueza histórica e cultural.

 

O FOLGANÇA, é realizado pelo grupo de Tradições Folclóricas Raízes Nordestinas, conta ainda com o apoio da Comissão Nacional de Folclore, Comissão Cearense de Folclore, ACAMPI, Associação Cultural Canto da Jandaia, Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, Instituto Dragão do Mar, Secretária de Cultura do Ceará e Prefeitura Municipal de Fortaleza através da Secretária de Cultura.

 

Dias 4, 5 e 6 de setembro, às 18h, na Praça Verde do Dragão.

 

Contato: folganca@gmail.com ou telefone (085) 98776 3642

 

 

? Espetáculo Eu Danço

 

Ballet Hugo Bianchi

 

Uma das mais tradicionais companhias de balé da cidade apresenta a quinta edição do emocionante espetáculo Eu Danço.

 

Dia 4 de setembro, às 19h, no Teatro Dragão do Mar. Ingressos: R$ 30 e R$ 15 (meia). Livre.

 

Contato: Gledson (gledsonfelix_ce@hotmail.com)

 

 

? Show Jord Guedes

 

O palco do Anfiteatro do Centro Dragão do Mar recebe Jord Guedes e banda para o lançamento do CD Traços, primeiro álbum solo da artista que conta com canções compostas por ela e algumas em parceria. No disco, Jord transita entre o samba e o maracatu, passando por ritmos como flamenco, fox, blues e pop. O show acontece na sexta-feira (04), às 20h, é gratuito e livre para todos os públicos.

 

Como quem brinca com tinta, misturando matizes, em “Traços”, Jord Guedes canta a água, combustível do sertão; a mulher, em diversos aspectos; e o Benfica com seus encontros, poemas, madrugadas e mágicas vias. O disco tem 11 faixas, custa R$ 20 e está à venda na Livraria Cultura. O CD também pode ser ouvido gratuitamente no site da cantora www.jordguedes.com.br.

 

“O trabalho tem nuances diversas”, explica Jord Guedes, “Combustível do Sertão, por exemplo, é um maracatu-baião dançante, que propõe literalmente uma viagem”. Essa faixa, que abre o disco, conta com participação especial de Waldonys no acordeon. A cantora destaca, ainda, Traços, música título do CD, que também evoca a deriva, “é um flamenco-guarânia, que fala de uma mulher cosmopolita entre a arte e a literatura em sua latinidade”. O álbum traz também o samba irreverente Maria Barata, mais uma mulher cantada por Jord, e A Casa de Ontem, cujo clipe no YouTube já ultrapassou as mil visualizações.  

 

Com produção musical de Lu de Sosa, e produção executiva de Joanice Sampaio, a gravação de “Traços” teve apoio da Secretaria Municipal de Cultura de Fortaleza e da Secretaria de Cultura do Governo do Estado do Ceará por meio de editais.  A banda que acompanha Jord Guedes no show de lançamento é composta pelos músicos Alex Ramon, na direção musical e guitarra; Ednar Pinho, nos contra-baixos acústico e elétrico; Igor Ribeiro, na bateria; Jefferson Portela, na percussão; Junior Torres, no teclado; e Rafael Lima, no violão.

 

Dia 4 de setembro, às 20h, no Anfiteatro. Gratuito

 

Contato: Jord Guedes (jordguedes@gmail.com)

 

 

? Programa Papo Fotográfico [Temporada de Arte Cearense]

Cinefotografia: Still ou vídeo? Fazer fotografia ou fazer cinema?
Bate-papo com Guilherme Silva (Estúdio Pã) e Jael Brito (Enquadro Filmes)

 

Este assunto tem chamado a atenção dos produtores visuais, fotojornalistas e da indústria cultural nos últimos tempos,  praticamente uma das grandes manifestações da expansão do campo da imagem.

 

Hoje, com o avanço tecnológico, as câmeras de fotografia fazem filmes, ou seja, imagens em movimento do mesmo modo que uma câmera de cinema produz suas imagens. Indo até além, como na produção de efeitos e resoluções de definição e nitidez impressionantes.

 

Fazer fotografia ou fazer cinema? Atualmente, os profissionais usam o mesmo equipamento, as grandes corporações fabricam equipamentos fotográficos que mudaram o mercado. A fronteira entre um e outro é apenas uma abordagem conceitual.

Dia 5 de setembro de 2015, às 16h, no Auditório. Gratuito. Livre.

 

Contato: barbosa.eden@gmail.com // 988363715 (Eden Barbosa) // 998630499

 

 

? Programa Teatro Infantil [Temporada de Arte Cearense]

 

Espetáculo As Estripulias do Macaco Simão

 

Circo Tupiniquim

 

É um espetáculo divertido e educativo que conta a história de um macaco que vivia em harmonia com a natureza, até que, certo dia, aparece uma velha chamada Ferinfinfelha. Ela resolve apossar-se do bananal e do jardim, com a intenção de vender tudo, para obter fortuna. Mas o Macaco Simão tentará mostrar para a velha que ela não pode apossar-se de algo que é de todos. A velha aborrece-se e surra o macaco que, daí para frente, monta uma série de estripulias para provar que tinha razão.

 

Dias 5, 12, 19 e 26 de setembro de 2015, 17h, no Teatro Dragão do Mar. Ingressos: R$ 6 e R$ 3 (meia). Livre.

 

Contato: Omar (9988-5452 / omarrocha@uol.com.br)

 

 

? Pôr do Som – Música de Câmara no Dragão

 

Projeto semanal enche de boas vibrações o fim de tarde dos sábados, no Dragão, com grupos de instrumentistas da Orquestra Sinfônica da Universidade Estadual do Ceará (Osuece). Nesta edição, confira Marcio Resende e Grupo de Choro da Uece.

 

Márcio de Carvalho Resende nasceu na cidade do Rio de Janeiro no dia 23 e Junho 1961. Começou a tocar flauta aos sete anos de idade. Sua primeira banda foi  a Banda “SEMENTE”, junto com Mario Adnet, Claudio Nucci, Zé Luis Oliveira, Alberto Rosenblitz, Paulo Soledade, Mu Carvalho e Claudinho Infante. Estudou nos EUA de 1981- 91(Berklee Colege of Music, New England Conservatory e New York University). Foi aluno de Joe Allard, Jimmy Guiffre, Don Cherry, Joe Lovano, George Garzone, George Russel e Dr. William Thomas McKinley. Nos Eua tocou com Dave Douglas, Dave Kikosky, Brian Bromberg, Aydin Esen, Rachel “Z” Nicolazzo, Baron Browne e Tiger Okoshi.

 

 No Brasil já tocou (ou gravou) com Toninho Horta, Wilson Simonal, Nana Caymmi, Claudio Nucci, Mario Adnet, Nelson Angelo, Jorge Helder, Adelson Viana, Carlinhos Patriolino, Zé Menezes, Nailor “Proveta”Azevedo, Sizão Macahado, Lula Galvão, Luciano Magno, Fagner, Elza Soares, Ednardo, Belchior, entre outros.

 

Atualmente reside em Fortaleza desde 1999, onde leciona Harmonia Popular e Erudita,Saxofone, Arranjo e Contraponto na Universidade Estadual do Ceará.

 

Dias 5, 12, 19 e 26 de setembro, às 17h, na Arena Dragão do Mar. Gratuito.

 

Contato: Alfredo Barros (9651-8563 / 8818-0120 / alfredo.barros@uece.br)

 

 

? Programa Dança Popular [Temporada de Arte Cearense]

 

Nação Iracema no Dragão

 

Maracatu Nação Iracema

 

Fundado em 2002, data dos vinte anos do Movimento Negro no Ceará, o Maracatu Nação Iracema surgiu do idealismo de folcloristas e pesquisadores, dentre eles, o jornalista Paulo Tadeu Sampaio de Oliveira, a teóloga e filósofa Maria Lúcia Simão Pereira (fundadora do movimento negro no Ceará), o artista plástico Isidoro Santos e o professor, historiador e escritor William Augusto Pereira. O Maracatu Nação Iracema é parte da Associação Cultural e Educacional Afro Brasileira Maracatu Nação Iracema.

 

Assim, o Maracatu Cearense com seu brilho participa, a cada ano, do carnaval de rua de Fortaleza e de alguns municípios do estado do Ceará. Para a avenida e para o Dragão, o Maracatu Nação Iracema traz as cores azul, ouro e prata.

 

O azul representa o firmamento. O território ao qual pode-se vislumbrar. O azul da imensidão, de como e porque se chega a uma meta a fim de atingir um objetivo. O ouro representa a riqueza do povo, mas de um povo organizado, estruturado e com objetivos delineados. A prata representa o brilho ofuscante diferenciado da comunidade que, embora sofrida e abandonada, se reergue e delineia novos caminhos.

 

Dias 5, 12 e 19 de setembro de 2015, às 18h, no Espaço Rogaciano Leite Filho. Gratuito.

 

Contato: willaupe@yahoo.com.br / nação.iracema@gmail.com

 

 

 

? Programa Polifonias [Temporada de Arte Cearense]

 

//Encéfalo Kill

 

Encéfalo é uma banda cearense de thrash metal formada em 2002. Desde o início mantendo um ritmo intenso de trabalho, desbravou as estradas do rock pesado com shows que passaram por regiões do Ceará, do Brasil e da Europa.

 

A banda surgiu em Maracanaú, região metropolitana de Fortaleza, de onde lançou, em 2008, sua primeira demo, intitulada “Destruction”, recebendo elogios, sobretudo, pela faixa-título. O primeiro álbum completo, “Slave of Pain”, de 2012, abriu as portas para uma turnê de divulgação que começou por Fortaleza, passou por Maranhão, Rio Grande do Norte, São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul.

 

No ano seguinte a banda circulou pelo interior do Estado, realizando apresentações em Juazeiro, Madalena, Pacajus, Camocim, Guaraciaba do Norte e outras cidades. Nesse ínterim, foi lançado o clipe da faixa-título “Slave of Pain”, o qual já foi visto por mais de vinte e três mil pessoas no YouTube. Gravado de forma independente em parceria com o coletivo Arquivo Underground, o vídeo acabou por entrar espontaneamente na grade de programação da TV União.

 

Em 2014, a Encéfalo lançou o disco “Die To Kil” que apresenta um som mais cru e uma pegada mais brutal, tendo boa receptividade entre os fãs que acompanham o trabalho da banda. O CD rendeu uma turnê na Europa, com shows na Alemanha, Bélgica, Polônia, França, Espanha e outros países. Sempre se inspirando nos clássicos do estilo, como Kreator, Sepultura e Slayer, a Encéfalo se mantém em constante atividade, habitualmente participando dos principais festivais de rock em Fortaleza, como o Forcaos, Rock Cordel e Dragão Metal.

 

//Vs Caos

Tem como ponto principal reunir e fortalecer diversos nichos artísticos independentes, como música, desenho, grafite e dança, em um só lugar simultaneamente ao ar livre. Vive a liberdade de expressão da Arte Urbana por meio de parcerias com artistas independentes e grupos organizados. Atualmente, contam com vários grupos e artistas disponíveis (Bandas de Rock, Grupos de Dança, DJs, Grafites e Desenhistas) para apresentações e oportunidades a serem desenvolvidas com o projeto MÚSICA & ARTE INDEPENDENTE.

 

Contato: Jonnata (8826-8939 / 9992-6370 / vscaos@bol.com.br)

 

Dia 5 de setembro de 2015, às 20h, no Anfiteatro. Gratuito. Livre.

 

 

? Programa Circula no Ponto [Temporada de Arte Cearense]

 

Espetáculo Raízes

 

Projeto Criança Feliz

 

O espetáculo inicia com o nascer do sol na Terra da Luz. Uma grande árvore, o canto dos pássaros, o som das águas e o barulho do vento anunciam mais um dia. Dançando o torem, os índios reverenciam e cantam a beleza da criação divina.  Um dia, uma grande tempestade anuncia a chegada do estrangeiro colonizador. No canto das crianças, as loas do Maracatu Nação Iracema traduzem a voz da cultura negra.  O tempo passa e na bagagem dos mouros que por aqui aportaram, o som armorial e as histórias fantásticas reveladas em versos e rimas dos folhetos de cordel, retrato da miscigenação. O Jaraguá e a burrinha, tradição longínqua que ganha vida numa breve passagem.  As brincadeiras e canções populares infantis ocupam um importante lugar na memória afetiva das pessoas. A Cultura de Rua revela a história da comunidade. A feira, o mito da Cobra Isaura e a Lagoa do Urubu são retratos revelados pelas crianças e jovens do hip hop. Tecendo o fio da história, chega a modernidade. Aqui no Ceará, artistas marcaram época e estabeleceram uma maneira própria de fazer música. Nascia o Pessoal do Ceará.  Nas letras das canções o sonho, o pensamento, o amor à terra natal, o ideal de uma juventude. Artistas como Lauro Maia, Humberto Teixeira, Nonato Luiz, Fagner e Ednardo entre outros, enalteceram os ritmos nascidos aqui, como o baião, o balanceio e o compasso do nosso Maracatu. No espetáculo Raízes, a dança, a expressão cênica, o coral das crianças acompanhado dos violões, violinos e flautas apresentarão um belo repertório de músicas que representam um pouco da nossa história, das nossas raízes, das memórias tecidas com afeto e alegria.

 

Dia 5 de setembro de 2015, às 19h, no Espaço Rogaciano Leite Filho. Gratuito.

 

Contato: Criança Feliz (3286-3401 / projetofeliz7@gmail.com)

 

 

? Planeta Hip Hop

 

Grupos promovem exibições de dança e música hip hop.

 

Dia 5 de setembro, às 19h, na Arena Dragão do Mar. Gratuito.

 

 

? Brincando e Pintando no Dragão do Mar

 

Brincadeiras e atividades infantis para todas as idades orientadas por monitores.

 

Dia 6 de setembro, das 16h às 19h, na Praça Verde. Gratuito.

 

+

 

 

? Programa Contação de História [Temporada de Arte Cearense]

 

Espetáculo Histórias Coloridas

 

Com Gorette Costa

 

Apresenta às crianças e aos pais, o fascínio e a beleza das obras de Ana Maria Machado e Ruth Rocha. Através de canções e adereços, ela dá vida a personagens incríveis como o Camaleão com crise de identidade e Romeo e Julieta, duas borboletas de cores diferentes e famílias também diferentes como na história de Shakespeare, mas que aqui não vivem uma tragédia. E sim a vitória do amor, da amizade e da tolerância. Um estábulo cativante e imperdível para todas as idades, que, de modo leve e divertido, resgata junto ao público a importância de valores para uma cultura de paz.

 

Dia 6 de setembro de 2015, às 17h, na Praça Verde. Gratuito.

 

Contato: Gorette Costa (8705-4346 / 9952-8862 / gorette.historias@gmail.com)

 

 

? Programa Performance Multimídia [Temporada de Arte Cearense]

 

Performance Futuro Mendigado

 

Cyber Mendig@

 

Experiência de corporalidade técnico-imagética, físico-digital performativa, superficial e ambiguamente futurista em ação de mendicância com movimentos corporais animalescos. Trabalha-se com o mash-up audiovisual, reconhecendo nesse uma articulação de discurso crítico sobre a população de imagens da contemporaneidade.

 

Dias 6 e 20 de setembro de 2015, às 18h, na Arena Dragão do Mar. Gratuito.

 

Contato: Ruy (986306361 / futuromendigado@gmail.com)

 

 

? Sax in Cena [Circuito de Música Erudita]      

 

Primeiro quarteto de saxofones profissional do Ceará, o grupo Sax in Cena apresenta obras de compositores franceses e peças de Alberto Nepomuceno.

 

Dia 6 de setembro, às 18h, no Auditório. Ingressos R$ 4 e R$ 2 (meia)

 

Contato: Rocha (8616-7017 / producao@orquestra-ce.org.br)

 

 

31.08.2015

 

Assessoria de Comunicação e Marketing
Instituto Dragão do Mar
Telefones: 85 3488.8625/ 8970.8081

 

Giselle Dutra
Gestora de Célula/Secretarias

 

Coordenadoria de Imprensa do Governo do Estado – Casa Civil
comunicacao@casacivil.ce.gov.br
 (85) 3466.4898