Hub da TAM vai gerar impacto de R$ 9,9 bilhões e 35 mil empregos na economia do Ceará

17 de setembro de 2015

Uma comitiva do Ceará formada pelo governador Camilo Santana, prefeito Roberto Cláudio, presidente da Assembleia Legislativa, Zezinho Albuquerque, senadores José Pimentel e Eunício Oliveira, deputado federal José Airton, e secretários André Facó (Infraestrutura), Arialdo Pinho (Turismo) e Mauro Filho (Fazenda) se reuniu nesta quinta-feira (16) com a presidenta da TAM, Cláudia Sender. Na ocasião, a empresa apresentou os resultados do estudo “Estimulando um novo valor econômico”, sobre os ganhos do Estado com a possível instalação do HUB – centro de conexões de voos que a companhia aérea vai implantar no Nordeste.

De acordo com o relatório, serão gerados cerca de 35 mil empregos diretos e indiretos até 2018, além de crescimento de 6% do PIB cearense, o que representa impacto de R$ 9,9 bilhões na economia do Estado, R Ceará 2num período de cinco anos de operação do equipamento.”Saímos muito otimistas da reunião. Os dados apresentados pela TAM sobre o Ceará são extremamente positivos. Tivemos também reuniões na Secretaria da Aviação Civil em Brasília e, no próximo dia 26 de outubro, sairá o estudo de viabilidade técnica, econômica e financeira. Tenho certeza que estamos no caminho certo”, disse o governador Camilo Santana após a reunião, que durou cerca de uma hora e meia e contou ainda com a presença de diretores da chilena Lan, que integra o grupo Latam.

Este levantamento é um dos fatores avaliados na análise do Grupo Latam para a implementação do HUB e aponta potencial de expansão de desenvolvimento para toda a região Nordeste do País. Como pontos a favor de Fortaleza, o Centro de Eventos do Ceara, que fortaleceu o turismo de Negócios no Estado, o Centro de Formação Olímpica, que será inaugurado em novembro, e o Acquario do Ceará, que deve aumentar o tempo de permanência dos turistas na capital cearense.

R Ceará 4A empresa afirma que decisão final será baseada na análise global de uma série de critérios técnicos, como a competitividade de custos, atrelada a uma infraestrutura adequada para o empreendimento e a experiência dos passageiros.

Impactos nos cinco primeiros anos Fortaleza
Valor agregado total de US$ 520 milhões, o que representa R$ 9,9 bilhões em um período de cinco anos (considerando o câmbio de R$ 3,8/dólar, para a data corrente de 16 de setembro de 2015) e 35,5 mil empregos:

  • Impactos diretos – valor agregado de US$ 105 milhões e 1,6 mil empregos
  • Impactos indiretos – valor agregado de US$ 106 milhões e 9,4 mil empregos
  • Impactos induzidos – valor agregado de US$ 85 milhões e 5,6 mil empregos
  • Impactos catalíticos – valor agregado de US$ 224 milhões e 18,9 mil empregos

Mais de um terço do impacto econômico (39%) virá dos setores de transporte e armazenagem, outros 17%, do setor de atacado e varejo, e 12% dos setores de hotel e alimentação. Já sobre o impacto em empregos, 29% virão nos setores de transporte e armazenagem, 29% de atacado e varejo, e 12% de hotéis e alimentação.

Por setor (destaques):

  • Manufatura – 1,2 mil empregos e US$ 24 milhões
  • Comércio e Varejo – 3,6 mil empregos e US$30,4 milhões em valor agregado
  • Hotéis e alimentação – 5,7 mil empregos e US$54.1 milhões em valor agregado
  • Transporte e armazenagem – 4,8 mil empregos e US$71,3 milhões em valor agregado
  • Leasing imobiliário – 100 empregos e US$11,6 milhões em valor agregado
  • Serviços Domésticos – 800 empregos e US$2,6 milhões em valor agregado

R Ceará 3
Efeitos catalíticos em Fortaleza
Os novos visitantes que chegarão à capital cearense trarão, no segundo ano de operações, um valor estimado de US$ 287 milhões anuais em gastos adicionais com turismo, considerando US$ 1.714 de gasto por passageiro. Adicionalmente, os gastos dos visitantes projetam a geração de 18,9 mil empregos por ano.

Conclusões
Para chegar às conclusões apresentadas, a consultoria utilizou como base os dados disponibilizados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), sobre os quais aplicou uma metodologia própria de avaliação de modelos econômicos regionais.

Somaram-se a isso as projeções elaboradas pelo Grupo LATAM, as informações sobre o potencial turístico e de desenvolvimento econômico de cada cidade, além de dados coletados em visitas técnicas.

17.09.2015

Fotos: Divulgação / TAM

Coordenadoria de Imprensa do Governo do Estado
Casa Civil
comunicacao@casacivil.ce.gov.br / (85) 3466.4898