Dia da Favela: “Esse é o início de um diálogo que queremos fortalecer com as comunidades”, afirma Camilo

4 de novembro de 2015

O governador Camilo Santana e a vice-governadora Izolda Cela receberam na tarde desta quarta-feira (4) integrantes da Central Única das Favelas (Cufa), jovens atendidos pelas atividades da entidade, secretários de Estado e empresários apoiadores das diversas iniciativas realizadas nas comunidades cearenses, para discutirem uma agenda de ações que valorize as experiências sociais, econômicas, esportivas e de vida das favelas do Estado. O esforço integra o Pacto por um Ceará Pacífico e marca o Dia da Favela no Ceará.

Para o chefe do executivo, a troca de experiências com a população de comunidades cearenses é indispensável na implementação de políticas públicas unnamed2para o Estado. “Fiquei muito sensibilizado com o depoimento de todos vocês. A experiência de vida de cada um tem um simbolismo muito forte e é preciso que as pessoas conheçam. O Governo tem se preocupado e se dedicado em garantir uma sociedade de paz, com mais oportunidades. Saibam que o ano foi de muitas dificuldades, mas estamos nos preparando para trabalhar bem as políticas públicas no Estado”, completou.

Acompanhado dos secretários Élcio Batista (Gabinete do Governador), cel. Túlio Studart (Casa Militar), Jeová Mota (Sesporte), Guilherme Sampaio (Secult); do assessor especial Acrísio Sena (Acolhimento aos Movimentos Sociais) e do coordenador David Barros (Políticas Públicas para a Juventude), o governador participou de atividades esportivas e culturais realizadas nos jardins do Palácio da Abolição. Camilo Santana jogou basquete e capoeira, arriscou como DJ, grafitou e ainda tentou alguns passos de Breakdance – estilo de Rpersodança de rua da cultura Hip Hop.

Camilo parabenizou o trabalho da entidade e disse que atuar para minimizar as desigualdades é um dever do Estado. “Não vamos resolver o problema da criminalidade só com polícia, por isso trabalhamos de forma conjunta no Pacto por um Ceará Pacífico, que tem o objetivo de abraçar os territórios com ações de cultura, esporte, saúde de qualidade, para dar oportunidade a quem não tem. E a participação da Cufa é importantíssima neste processo”, enfatizou.

O presidente nacional da Cufa, Preto Zezé, disse que o encontro inédito é histórico para a entidade, pois possibilitou, entre outras ações, uma proximidade entre o povo e o Governo. “Grande parte dessas pessoas nem sabiam onde ficava o Palácio da Abolição. São moradores de favela que não têm representação partidária ou padrinho político. Queremos aqui propor uma parceria entre o povo e os poderes público e privado, que batizamos de 3P, para que possamos construir e avançar em agendas positivas no Estado”, pontuou.

O empresário Gabriel Ramalho, que é do setor de marketing digital e parceiro da entidade, falou que as comunidades vêm crescendo e são fortes geradores de economia solidária. “Hoje, já existe uma força muito grande surgindo nas favelas e de outras comunidades que ficaram a margem do diálogo político. Eu passo a ver a comunidade como forte gerador de economia sustentável devido o potencial que têm. Portanto, acredito que essa iniciativa do Governo do Estado é bastante positiva, no sentido de buscar uma aproximação que durante muito tempo não houve”, salientou.

O morador do Conjunto Tasso Jereissati, Elielton Queiroz, agradeceu a atitude do governador Camilo Santana e disse estar bastante satisfeito com a receptividade que teve na sede do unnamed4Governo. “Saio desse encontro com uma perspectiva positiva, pois vejo que há interesse do poder público em trabalhar em prol das comunidades. Estar aqui e ser recebido pelo chefe maior do meu Estado é uma prova disso. Não queremos muito do governador, apenas políticas públicas, para que possamos somar parceria e fazer com que a favela seja vista positivamente”, disse.

Ao final, Camilo convocou um grupo de trabalho, entre integrantes da entidade e do Governo, para discutir ações positivas e fazer com que elas atendam o maior número de pessoas possível, principalmente unnamed5os jovens. “Hoje foi um dia de muito aprendizado e o nosso papel é estreitar essa parceria, inclusive visitando as comunidades, ouvindo os moradores e, claro, implementando as políticas que possam mudar a vida dessas pessoas”, informou. A Cufa também foi convidada a participar do comitê interinstitucional do Pacto por um Ceará Pacífico.

Dia da Favela

O Dia da Favela nasceu em 2005, no Rio de Janeiro. Faz referência ao primeiro documento conhecido em que o nome favela é utilizado por um Governo, no caso, o do Rio de Janeiro, em alusão ao Morro da Previdência. Hoje, nove estados reconhecem a data através de leis específicas, inclusive o Ceará, em 2006. Após recente reunião na sede da Organização das Nações Unidas (ONU), o 4 de novembro foi estendido para o Dia Internacional da Favela.

04.11.2015

Fotos: Ariel Gomes

Wiarlen Ribeiro
Repórter / Célula de Reportagem

Ciro Câmara
Gestor de Célula / Secretarias

Coordenadoria de Imprensa do Governo do Estado
Casa Civil / (85) 3466.4898