Movimentação de frutas cresce 53% em 2015 e lidera exportações no Pecém

22 de dezembro de 2015

A movimentação de frutas liderou as atividades de exportação de longo curso no Porto do Pecém, em 2015. Mesmo com a atual situação econômica do país, o porto exportou mais de 200 mil toneladas de frutas, ultrapassando os últimos dois anos: 2014 (135 mil toneladas) e 2013 (155 mil toneladas).

“Enviamos as frutas principalmente para a Europa. O Porto do Pecém é muito utilizado por causa de sua localização estratégica, que encurta o tempo de viagem, aumentando a qualidade do produto ao chegar a seu destino”, disse o presidente da Cearáportos, Danilo Serpa. As frutas enviadas para o exterior são produzidas nos estados do Ceará, Rio Grande do Norte, Bahia e Pernambuco, e abastecem, principalmente, países como Holanda (40%), Estados Unidos (18%), Grã Bretanha (40%) e Espanha (8%).

O melão ocupa o primeiro lugar no ranking das frutas exportadas, com 120.514 toneladas, seguido da manga (44.325 toneladas), e da melancia (23.957 toneladas). Além desses, também são enviados para o exterior, através do terminal, uvas frescas, passas, castanha de caju e mamão. O grande volume e a variedade dos produtos colocam o Porto do Pecém como um dos maiores exportadores de frutas do Brasil. De acordo com o presidente da Associação Brasileira dos Produtores Exportadores de Frutas e Derivados (Abrafrutas), Luiz Roberto Barcelos, o Porto do Pecém exerce um papel fundamental no setor de fruticultura. “A estrutura que o Pecém oferece faz com que a gente queira aumentar a produção, pois a sua a capacidade de receber grandes navios das maiores companhias de navegação do mundo, as tomadas para containers refrigerados, dentre outros aspectos, irá continuar atendendo o crescimento da empresa”, disse Barcelos.

Outras mercadorias que apresentaram um crescimento significativo no número de exportações são: produtos minerais como sal, enxofre, terras, pedras, gesso, cal e cimento (52%), metais comuns (81%), algodão (36%) e peles e couros (33%).

Até o mês de novembro, foram movimentadas através do Pecém, 6.612.177 toneladas, 13% a menos que mesmo período de 2014. Porém, mesmo com a retração, o presidente da Cearáportos considera 2015 um ano de conquistas e se mostra confiante quanto ao próximo ano.  “Já era previsto que a movimentação este ano seria menor, devido à fase de operações em que se encontra a Siderúrgica e a crise que acontece no país. No entanto, em 2016, a Companhia Siderúrgica do Pecém começará a funcionar e, somente ela, durante a sua fase inicial, irá movimentar por ano cerca de 3 milhões de toneladas de placas de aço”. Segundo Serpa, 2015 foi um ano importante para “melhorar a nossa infra-estrutura, qualidade de serviços e buscar mais investimentos para o Complexo Industrial e Portuário do Pecém – CIPP”.

Os bons resultados consolidam a importância do Porto do Pecém, considerado a porta de entrada para grandes investimentos no Estado do Ceará. Tanto que o terminal tem recebido a visita de diversas empresas internacionais. Prestes a concluir a obra de segunda expansão, que vai aumentar a capacidade de movimentação do porto, e já com a terceira obra de expansão em estudo, o porto cearense trabalha ainda para receber um Hub de cargas a nível internacional.

22.12.2015

Luiza Dantas
Assessoria de Imprensa da Cearáportos
luiza.dantas@cearaportos.ce.gov.br

Sabrina Lima
Gestora de Célula/Secretarias

Coordenadoria de Imprensa do Governo do Estado – Casa Civil
comunicacao@casacivil.ce.gov.br
(85) 3466.4898