Cineteatro São Luiz conquistou o público e intensificou movimentação cultural no Centro de Fortaleza

28 de dezembro de 2015

Um ano de um grande reencontro entre o público cearense e um dos mais importantes e simbólicos palcos da nossa arte e da nossa cultura. Assim foi 2015 quanto ao Cineteatro São Luiz, equipamento da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, que após reforma e restauro promovidos pelo Governo do Estado, com investimento total de R$ 17 milhões, retornou à cena definitivamente, a partir do mês de junho. Desde então, foram inúmeros filmes, peças, shows, festivais, mostras, apresentações e outros espetáculos, com grande resposta por parte do público, sempre tendo em comum a RJulho Dia 25 Tributo ao Brega 2emoção de estar novamente no São Luiz, inaugurado em 1958 e devolvido à sociedade para plena utilização, agora como um equipamento cultural acessível, com preços populares e entrada franca em várias atividades, e aberto a múltiplas linguagens.

Após a primeira fase de programação para abertura e testes, que incluiu eventos como um show de humor voltado para os comerciários do Centro de Fortaleza, o São Luiz se reencontrou com o festival Cine Ceará, o mais tradicional do Estado, e recebeu também o Grupo Bagaceira de Teatro, em junho. A programação oficial de retomada do Cineteatro São Luiz foi aberta no dia 2/7, com a exibição do aplaudido filme cearense “Cine Holliúdy”, de Halder Gomes, à tarde, e do clássico “Cinema Paradiso” à noite – não por acaso, duas obras que homenageiam a arte do cinema e seu significado afetivo e simbólico. Os filmes tiveram ingressos a R$ 6,00 (meia a R$ 3,00), já apresentando com sucesso a proposta de garantir ao grande público maior acesso à cultura e à arte, de acordo com as diretrizes da política cultural do Estado, de democratização do acesso a bens e serviços culturais.

Para as sessões do “Café com Curtas”, de exibição de curtas-metragens cearenses às quintas e sextas-feiras, às 12h e às 13h, houve entrada franca, oferecendo oportunidade aos trabalhadores em geral e frequentadores do Centro de incluir no corre-corre do dia a dia um pouco mais de arte, no intervalo do almoço. A apresentação de “Cine Holliúdy” também foi um marco simbólico do espaço que o novo São Luiz representa para a produção cearense, seja no audiovisual, seja em linguagens como teatro, música, dança, humor, performance, entre outras.

Famílias, jovens, crianças, idosos, casais, todos fazem questão de registrar sua visita ao São Luiz, em fotografias reveladoras de momentos especiais e de toda a beleza do cineteatro, das luzes da fachada ao mármore do hall de entrada, das escadarias à sala principal de exibição, com sua decoração de cores e texturas em um sem-fim de atrações para o olhar.

“A programação de 2015 demonstrou as diversas possibilidades do novo conceito do São Luiz, que além de cinema é também teatro, aberto às artes cênicas, à música, às linguagens integradas. Um equipamento de excelência técnica e que tem vocação para ser popular, estar perto das pessoas, com uma programação incluindo desde filmes e espetáculos de maior elaboração, com destaque para a produção cearense”, destaca o secretário da Cultura do Estado do Ceará, Guilherme Sampaio. “O São Luiz é um palco privilegiado também para a produção local, em todas as linguagens artísticas, com diálogo permanente com os seus representantes”, ressalta o secretário.

Grandes públicos

RJunho Dia 18 Abertura Cine CearáAo longo do ano, o Cineteatro São Luiz atraiu grande público tanto para filmes quanto para espetáculos. Começando por “Cinema Paradiso”, quando as plateias inferior e superior foram completamente ocupadas. Entre outros destaques, o show “Eu vou rifar meu coração”, com o guitarrista Mimi Rocha e os cantores Lúcio Ricardo, Di Ferreira e Carol Oliveira homenageando a música brega, em julho. No mesmo mês o coletivo “As Travestidas” lotou o São Luiz, assim como a programação especial em homenagem aos 50 anos do disco e do filme “Help!”, dos Beatles, com direito a exposição de memorabilia, debate com beatlemaníacos cearenses, exibição do filme, show com a banda cover Rubber Soul e concerto com a Orquestra Filarmônica do Ceará.

As maratonas de filmes também marcaram o ano no São Luiz, começando pela exibição dos filmes da série “Mad Max”, em julho, a maratona Charles chaplin em agosto e, fechando o ano, com a mostra especial “Bruce Lee 75 anos”, em dezembro, sendo o cinema escolhido em Fortaleza para sediar o evento, de caráter nacional. O projeto “Terça de Graça”, realizado ao longo de vários meses, foi outro grande sucesso de público, lotando as sessões todas as semanas, com grandes filas formadas na Praça do Ferreira e acesso popular, com entrada franca, a espetáculos de artistas de diversas gerações da nossa cena. De Bené Papudim a Augusto Bonequeiro, de Carri Costa a Lailtinho Brega, de Edmilson Filho a Alex Nogueira.

De Edmilson Filho a Ednardo

Os filmes clássicos também estiveram presentes, com a exibição de produções como “A Doce Vida” e “Cantando na chuva”. Em setembro o chorinho teve destaque, com shows do consagrado bandolinista Hamilton de Holanda, do regional do aplaudido violonista cearense Tarcísio Sardinha e com a apresentação, ao vivo, do do programa de rádio “Brasileirinho”. Setembro também foi marcado pelos shows de David Valente, Waldonys e Misael da Hora (“Baião Instrumental”) e Ednardo, com o lançamento do DVD gravado ao vivo pelo referencial cantor e compositor cearense na Praça Verde do Centro Dragão do Mar.

Escola no Cinema, Criolo, Cassia Eller e Rosa Passos

Em outubro teve início no Cineteatro São Luiz o projeto “A Escola no Cinema”, que em dois meses levou mais de 10 mil estudantes da rede pública para vivenciar momentos inesquecíveis, em contato com a magia da sétima arte e com o patrimônio cultural cearense. No mesmo mês, Tom Cavalcante lotou o São Luiz com seu espetáculo de humor, enquanto o rapper Criolo e o cantor e compositor Pingo de Fortaleza, entre outros artistas reunidos, também tiveram ingressos esgotados para o show “Por Todos os Campos”, na abertura do II Encontro Brasileiro de Futebol e Cultura.

Outubro foi também mês da Bienal Internacional de Dança do Ceará, que desta vez trouxe ao São Luiz espetáculos como “Work Within Work / Indigo Rose / Sechs Tänze”, da São Paulo Cia de Dança (São Paulo). A programação da Bienal seguiu no São Luiz em novembro, mês que teve entre outros destaques o show do cantor e compositor mineiro Paulinho Pedra Azul e o musical “Cassia Eller”, sempre com grandes públicos e muitos aplausos para Tacy de Almeida revivendo a grande intérprete brasileira. O mês teve ainda a estreia do filme “Tudo que aprendemos juntos”, com Lázaro Ramos, e o show da cantora e violonista Rosa Passos, ao lado de músicos como o pianista Fábio Torres e o contrabaixista Paulo Paulelli, vencedores do Grammy.

Selvagens, Manifesta, Bom Jardim e Cidadão

Em dezembro o São Luiz recebeu novamente grandes produções, com plateias numerosas para espetáculos como “Par – Um musical apaixonante”, do grupo Ponto de Partida, de Minas Gerais, e o show do grupo cearense Selvagens à Procura de Lei. Em dezembro o São Luiz também acolheu a Mostra das Artes do Grande Bom Jardim, marcando a primeira vez em que mais de 100 artistas dos bairros se apresentaram em um mesmo evento de grande porte em um equipamento cultural do Centro de Fortaleza.

A exibição do filme “Defensorxs”, do Coletivo Nigéria, na Semana Internacional de Direitos Humanos, o Manifesta! Festival das Artes e os shows do Cidadão Instigado e de vários intérpretes e instrumentistas cearenses reunidos no espetáculo “Um canto de paz”, com a presença de Sri Prem Baba, fecharam um ano de grandes plateias no Cineteatro São Luiz. A programação 2016 começa na primeira semana de janeiro. Todos convidados desde já!

 

 

28.12.2015

Assessoria de Imprensa da Secult
Dalwton Moura, Clovis Holanda, Lucas Benedecti, Paula Candice
(85) 3101-6761 / secultmkt@gmail.com

Giselle Dutra
Gestora de Célula/ Secretarias

Coordenadoria de  Imprensa do Governo do Estado do Ceará
Casa Civil / 85 3466.4898