Mobilização contra o Aedes aegypti recebe reforço do governador e prefeito em Fortaleza

28 de dezembro de 2015

Camilo Santana e Roberto Cláudio atuaram ao lado de agentes de endemias e militares nos bairros José Walter e Meireles na manhã desta segunda-feira (28)

A casa do motorista Cláudio Belisário, de 49 anos, foi uma das 10 mil moradias que participaram, nesta segunda-feira (28), do mutirão contra o mosquito Aedes aegypti, no bairro José Walter, em Fortaleza. Atuando como “agentes”, o governador Camilo Santana, o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, e o general Freire Gomes, comandante da 10ª Região Militar, juntaram-se aos 610 agentes de endemias e 120 militares, que realizaram a inspeção e prevenção do mosquito com as famílias da região.

“O mais importante é estarmos aqui para conscientizar as famílias da importância de fazerem a sua parte em suas residências. Nós estamos neste dia fazendo um chamado de alerta para toda a população do Ceará. Reunimos as autoridades executivas, parlamentares e militares para mostrar a importância desta grande mobilização. Todos unidos contra o mosquito da dengue”, destacou o governador Camilo Santana.

151228 CONTRA DENGUE JOSE WALTER MG 7058-webAtendendo de pronto ao chamado dos “agentes” na sua porta, Cláudio Belisário ressaltou que essa ação inédita agrega e conscientiza ainda mais as pessoas do bairro. “Moro no José Walter há 35 anos e nunca tinha vista uma ação nessas proporções. Ver essa iniciativa do governador e do prefeito em visitar e participar de perto, é muito incentivador. Fico satisfeito com o gesto de vir em nossas casas intensificar as ações dos agentes de endemias, conscientizando as pessoas a abrirem suas portas e combaterem o mosquito da dengue”, comentou o morador.

Para o prefeito Roberto Cláudio, a mobilização de vários órgãos públicos com o intuito de eliminar os casos de dengue é mais que um compromisso, mas uma ação de utilidade pública. “Temos uma grande equipe que foi construída em uma parceria institucional entre o Governo do Estado, Prefeitura Municipal de Fortaleza e Exército Brasileiro. Com isso, temos como garantir a visita de várias residências e conscientizar um maior número de pessoas. Isso nos dá mais autonomia para chegarmos ao número mínimo 151228 CONTRA DENGUE JOSE WALTER MG 7182-webde casos. O importante é não deixar que esse seja um problema do outro. Todos temos a responsabilidade no que diz respeito a saúde pública.

A ação integra o Plano Estadual de Enfrentamento ao Aedes aegypti, lançado no último dia 21 de dezembro. Na ocasião, foi anunciada, entre outras ações, a formação de uma brigada para dizimar o mosquito e o Comitê Gestor Estadual de Políticas de Enfrentamento a dengue, chikungunya e zika, com a finalidade de propor, articular, coordenar e avaliar ações destinadas ao controle do vetor, reduzir a incidência das doenças e seus efeitos.

151228 CONTRA DENGUE MEIRELES MG 7380-webIniciando também as ações em mil residências do bairro Meireles, Camilo Santana ressaltou as medidas que o Estado tem feito para que as ações dos agentes possam ser mais efetivas. “Estou enviando para a Assembleia Legislativa uma lei permitindo a entrada nas residências e em imóveis abandonados, autorizando que os agentes ou qualquer servidor público possam entrar nesses locais. Não adianta fazer toda uma ação no bairro e rua, faltando apenas um local em que não foi autorizada sua entrada”, afirmou o governador.

Plano Estadual de Enfrentamento

Conforme anunciou o governador Camilo Santana no lançamento do Plano, além do efetivo militar, quatro mil agentes de endemias e 18 mil agentes de saúde em todo o estado intensificarão as ações de visita casa a casa para o combate ao Aedes aegypti. Três toneladas de larvicida, já distribuídas aos 184 municípios, estão sendo utilizadas na eliminação dos focos de infestação domésticos. O Governo do Estado garantiu 250 pulverizadores portáteis para aspersão de inseticida e 33 carros fumacê no combate ao mosquito. Estão disponíveis 1.366 litros de inseticida e 25 mil litros de óleo de soja (solvente), suficientes para pulverizar 17 mil quarteirões.

O Aedes aegypti é o mosquito transmissor da dengue, febre chikungunya e do vírus Zika. A única maneira de evitar essas doenças é não deixar o mosquito nascer. Para isso, é necessário acabar com os criadouros, lugares de nascimento e desenvolvimento do mosquito. A ação preventiva tornou-se mais urgente depois que o Zika teve relação confirmada pelo Ministério da Saúde com a microcefalia, malformação cerebral que influência o desenvolvimento dos bebês.

image

Fotos: Carlos Gibaja

28.12.2015

Wilame Januário
Repórter / Célula de Reportagem

Giselle Dutra
Gestora de Célula /Secretarias

Coordenadoria de  Imprensa do Governo do Estado do Ceará
Casa Civil / 85 3466.4898