Estudantes de escolas públicas realizam o sonho de entrar na Universidade

22 de janeiro de 2016

O Governo do Estado, por meio da Seduc, tem procurado dar condições necessárias para que estudantes de escolas públicas tenham igual oportunidade de acesso ao mundo do trabalho e à educação superior.

 

 

RSuperAção ENEM emItapipoca out15. Fotógrafo Bulan GraffitiOs apelos são inúmeros para que se desvie a atenção do foco. No caso dos estudos, frequentemente, tem-se notícias de pessoas que não seguem adiante na vida acadêmica por necessidade de trabalhar, ou por conviver em ambiente familiar conturbado, por exemplo. O sedutor mundo das redes sociais na internet, também, aparece como mais um forte opositor a quem procura concentração. Entretanto, com disciplina, força de vontade e acompanhamento pedagógico, estes e outros contratempos podem ser superados, na busca pela conquista dos sonhos.

Entrar no ensino superior público, no curso desejado, é a aspiração de muitos. Contudo, só aqueles que fazem por onde e persistem no objetivo conseguem o ingresso. Nesta condição encontram-se inúmeros estudantes da rede estadual cearense, que prestaram o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) no ano passado e estão a um passo de dar sequência aos estudos na universidade.

É o caso de Diana Maria da Silva, de 17 anos, que mora na zona rural do município de Tianguá e conseguiu o primeiro lugar em Medicina na Universidade Federal do Ceará (UFC), em Sobral, pelo sistema de cotas para escolas públicas.

“Estou muito ansiosa. Sei que a UFC é uma universidade reconhecida por sua capacidade de formar bons profissionais, então a responsabilidade é muito grande. Espero suprir as expectativas e me tornar uma profissional que faça a diferença, afinal, Medicina é um curso maravilhoso e com muitas oportunidades para fazer a diferença em minha região”, considera a estudante.

Tempo bem aproveitado

Diana concluiu o Ensino Médio na Escola Estadual de Educação Profissional (EEEP) Professor Sebastião Vasconcelos Sobrinho, onde também fazia o curso técnico em Contabilidade. Ela lembra que o fato de morar distante da escola (cerca de 20 Km) foi um empecilho para manter o ritmo de estudo.

“Às vezes ficava difícil separar um tempo para alguma disciplina que tinha dificuldade, ou para fazer revisões. Mas, sempre contei com pessoas que me apoiaram, como minha família, professores e amigos. Com estes últimos formei um grupo de estudos (no qual todos foram aprovados em universidades federais neste ano) para trocar dicas e livros, o que me ajudou muito”, ressalta Diana.

A estudante reconhece o papel fundamental exercido pela escola, de motivar e instruir seus alunos para que obtivessem sucesso. “Tenho orgulho de ter feito parte dessa família e de ter essa equipe de profissionais ao meu lado, que sempre buscou potencializar minhas capacidades e tirar minhas dúvidas. A escola tem todo um planejamento para que se possa aliar o curso técnico à preparação para o Enem. Além disso, há projetos extracurriculares, como o Projeto Padrinhos da Redação, que me ajudou a subir cerca de 200 pontos na nota de redação, comparado ao Enem 2014”, conclui Diana.

Escolha certa

TS2811 webRodrigo Bandeira, de 18 anos, estudou a vida inteira em escola pública. Dentro de alguns dias, será um dos calouros no curso de Psicologia da UFC. O jovem concluiu em 2015 o Ensino Médio na EEEP Professor Walquer Cavalcante Maia, na cidade de Russas. Desde a primeira série ele vinha participando do Enem, por estímulo da escola, como exercício de domínio do tempo de provas. Assim, com a prática, pôde ficar mais familiarizado com a sistemática do Exame.

“Sempre tive vontade de ajudar as pessoas, trabalhar com elas e por elas. E foi na psicologia que me encaixei mais, curso em que vou poder exercer uma profissão que ajude as pessoas a encontrarem o melhor de si”, aspira o estudante.

Rodrigo também se dispôs a encarar uma rotina desafiadora, para que em seguida pudesse comemorar. “Passava das 7h20 da manhã às 17h na escola, além de estudar à noite para provas, trabalhos e seminários. Mas, na 3ª série meu empenho foi maior, minha rotina de estudos aumentou e, além de estudar o dia todo no colégio, revisava e assistia a aulas na internet dos assuntos que mais caíam no Enem”, explica.

Além disso, ressalta o estudante, no começo de 2015 ele e mais alguns amigos da escola criaram o UniEnem (Unidos pelo Enem), grupo de estudos noturno que se reunia às terças e quintas-feiras à noite, em que os próprios membros davam aula de acordo com suas matérias afins. “Foi com o UniEnem que aprendi muito, pois obtive muito conhecimento e também transferi o meu para meus amigos”, frisa Rodrigo. Mais uma vez, a experiência com grupos de estudos mostra que a cooperação pode trazer bons resultados, com ganhos para todos.

“Agradeço muito à escola pelo apoio dado, por todos os professores que sempre foram ótimos profissionais e amigos, por todo funcionário de lá que sempre fez seu trabalho com amor por mim e por todos os alunos. Tenho um carinho especial por essa escola e acredito, sim, que a preparação que eles me ofereceram foi mais do que satisfatória”, finaliza o futuro psicólogo.

Gosto pelo saber

“Nasci em Quixadá, minha família é grande, somos 10 irmãos. Viemos para Fortaleza e fomos morar em Maracanaú. Eu sabia que teria dificuldades, mas, quando cheguei a essa escola (Escola de Ensino Fundamental e Médio Almirante Tamandaré, no bairro Jangurussu), senti mais vontade de estudar e passei a me dedicar e a estudar em casa, também”, relembra João Heládio Duarte, de 18 anos, recém-aprovado em Engenharia Metalúrgica na UFC.

De acordo com ele, as orientações recebidas em sala de aula foram primordiais para a classificação. Treinos constantes de escrita, além do contato frequente com questões temáticas de diversas disciplinas, contribuíram para que o estudante se sentisse seguro nas avaliações do Enem. “Quando soube que fui aprovado achei muito bom, porque a gente lembra do que passou para chegar até esse momento”, comemora João Heládio.

Ele e outros três colegas da escola foram aprovados em universidades públicas pelo Enem 2015: Marcos Vinicus dos Santos Sombra (Ciências da Computação), Alan Sousa de Moura (Engenharia Civil/UFC) e Alex Sousa de Moura (Administração/Uece), sendo estes dois últimos, gêmeos.

Evolução

O Governo do Estado, por meio da Secretaria da Educação (Seduc), tem intensificado sua política de valorização do protagonismo juvenil, fornecendo as condições necessárias para que os jovens estudantes das escolas públicas cearenses tenham igual oportunidade de acesso ao mundo do trabalho e à educação superior. Para tanto, tem sido decisiva a colaboração dos municípios.

Em 2015, os resultados desse esforço ficaram bem mais claros, com a inscrição de 166 mil estudantes de 2ª e 3ª séries do Ensino Médio no Exame, o que corresponde a 80,5% das matrículas nestas duas séries. A participação válida, ou seja, a presença nos dois dias de prova, correspondeu a 124 mil alunos.

Conjunto de ações

A força-tarefa da Seduc, tendo em vista o sucesso dos participantes no Enem, envolve, entre outros aspectos, a emissão de documentos de identidade e CPF para os candidatos, a preparação de professores e estudantes para as provas e as condições de hospedagem e transporte para os locais de exame.

Além disso, no ano de 2015, milhares de alunos puderam assistir a um ciclo de palestras motivacionais nos dias que antecediam as provas, o MotivAção Enem. A programação incluiu show de talentos com jovens das escolas públicas e apresentação do rapper e educador social Felipe Rima e da empreendedora social e artista plástica Pâmela Gaino, contribuindo para o fortalecimento do aspecto emocional e da autoconfiança dos candidatos.

A crescente participação dos estudantes das escolas estaduais no Enem, para o estado do Ceará, vem representando o grande aumento nas expectativas de sucesso acadêmico e profissional, e expressam o valor que o povo cearense atribui à melhoria da qualidade de vida pela educação.

O projeto Enem Chego Junto, Chego Bem, de responsabilidade da Seduc, tem como finalidade mobilizar e preparar os alunos da rede estadual para que possam fazer o Exame com segurança e perspectiva de ingresso na universidade. É possível verificar que houve evolução na entrada de estudantes no Ensino Superior, por meio do Sisu. Em 2007, 707 alunos foram aprovados para faculdades públicas. Esse número passou para 3.105 em 2014. Já a entrada na universidade pública ou particular mediante vestibular ou Prouni saiu de 4.787 naquele ano e alcançou, em 2014, 11.403 alunos. Os números relativos ao Enem 2015 ainda serão divulgados pelo Ministério da Educação (MEC).

22.01.2016


Fotos: Tiago Stille/Casa Civil e Bulan Graffiti (Batique do Coração).

Bruno Mota
Jornalista/Assessoria de Imprensa da Secretaria da Educação
bruno.mota@seduc.ce.gov.br

Caroline Avendaño
Assessora de Imprensa da Secretaria da Educação
carol.avendano@seduc.ce.gov.br
(85) 3101-3972 / (85) 98893-6983

Sabrina Lima
Gestora de Célula/Secretarias

Coordenadoria de Imprensa do Governo do Estado Ceará
Casa Civil / 85 3466.4898