Sistema de Verificação de Óbito (SVO) atende em domicílio de domingo a domingo

27 de janeiro de 2016

O SVO Móvel, em pouco mais de um ano de funcionamento, fez 1.899 atendimentos em domicílio na capital. O serviço, pioneiro no Brasil em liberar o atestado de óbito em casa para a família, foi iniciado em setembro de 2014, e atende pelo telefone 190. “É um serviço social especializado e humanizado que traz comodidade para a família já que não há necessidade de deslocamento para se ter atestado como era antigamente num momento difícil da perda de um parente”, afirma Francisco Simão, coordenador do Serviço de Verificação de Óbitos, da rede pública do Governo do Estado.

Francisco Simão informa que o serviço é rápido. O tempo de atendimento, a partir do momento em que o serviço é acionado pela população, varia entre 40 minutos a uma hora, conforme a localização da residência da pessoa falecida. O SVO Móvel funciona com quatro equipes com médicos, assistentes sociais e técnicos. As equipes ficam em postos de apoio na sede do SVO, do Instituto Médico Legal (IML), da Polícia Rodoviária Estadual (PRE) e da Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (CIOPS). O serviço funciona das 7 às 19 horas, de domingo a domingo, inclusive feriados.

Em 2015, o SVO liberou 6.772 corpos para sepultamento, sendo 53,81% do sexo masculino e 46,19% do sexo feminino. Desse total, 1.852 necrópsias foram realizadas. O SVO funciona 24 horas, inclusive nos fins de semana, para recebimento dos corpos, acolhimento de familiares e responsáveis pelas autorizações das necrópsias e a emissão de declarações de óbitos. O tempo médio entre o acionamento e a liberação do corpo é de 2 horas.

Mortes naturais

O Serviço de Verificação de Óbito esclarece a causa mortis em casos de morte natural sem assistência médica ou quando não houver uma definição da causa, mesmo quando o caso é acompanhado por equipe de saúde. O esclarecimento de causas dos óbitos é importante para a família e para a comunidade. Fornece informações para a obtenção de benefícios sociais, como auxílio-funeral, seguros, pensões, entre outros. Alerta, também, para medidas de saúde visando o combate e controle de doenças que ameaçam a vida das pessoas, especialmente dos familiares em contato com o falecido, no caso de doenças contagiosas. Esclarece se a morte foi por causa natural ou externa.

O SVO deve ser procurado nos casos de morte natural, por doença sem assistência médica, em que o óbito acontece em casa ou em via pública. Do interior do Estado devem ser encaminhados ao SVO especialmente os casos de interesse da vigilância em saúde, como dengue, meningite, leptospirose e outras doenças infecciosas. Os hospitais enviam ao SVO casos de óbitos de causa natural, nas primeiras horas de internação, em que a necrópsia é a única forma de esclarecer o diagnóstico.

27.01.2016

Assessoria de Comunicação da Sesa
Selma Oliveira / Marcus Sá / Helga Rackel ( selma.oliveira@saude.ce.gov.br/ 85 3101.5221 / 3101.5220)
Twitter: @SaudeCeara
www.facebook.com/SaudeCeara

Giselle Dutra
Gestora de Célula/ Secretarias

Coordenadoria de  Imprensa do Governo do Estado do Ceará
Casa Civil / 85 3466.4898