Iniciativas comunitárias são exemplos de combate ao mosquito

12 de fevereiro de 2016

As iniciativas da sociedade que se somam às ações de governo para o combate ao Aedes aegypti são fundamentais para o controle da transmissão da dengue, da febre chikungunya e da zika. A luta contra o mosquito transmissor amplia sua abrangência no Ceará e já envolve empresas, organizações não-governamentais e de classe, clubes de serviço, organismos multilaterais, igrejas, escolas e até famílias que se dispõem a dedicar tempo e trabalho para sustentar a mobilização de todos contra o mosquito. Diariamente, a Secretaria da Saúde do Estado recebe solicitações de apoio para as iniciativas das mais diversas instituições e organizações, entre essas a Base Aérea de Fortaleza, Sindiônibus, Unimed, Hospital Cura Dars, Coelce, Ambev, Metrofor, Ceará Portos e organizações comunitárias.

Nesta sexta-feira, 12 de fevereiro, às 8 horas, cerca de 150 alunos da Escola de Ensino Fundamental Luís de França, no bairro Bom Jardim, sairão às ruas do entorno, a partir da Rua Oscar Araripe, acompanhados dos pais e professores, para executar o projeto pedagógico de mobilização casa a casa para o combate ao Aedes aegypti. No outro lado da cidade, no Cambeba, a dona de casa Jaqueline dos Santos e a sobrinha Patrícia Florêncio, auxiliar administrativa, já preparam o material para visitar as casas de cinco quarteirões do bairro, no sábado, 20 de fevereiro, como reforço ao trabalho de prevenção no sábado da faxina, como orientam as campanhas de controle do mosquito. A família de Jaqueline dos Santos vai distribuir panfletos, orientar as donas de casa e pregar cartazes em locais como as paradas de ônibus do bairro para mobilizar os moradores.

 

Controle do mosquito no Selo Unicef

No combate ao Aedes aegypti, as iniciativas comunitárias têm tanta importância e efetividade quanto as grandes estratégias de mobilização, como que fará o escritório regional do Unicef, o Fundo das Nações Unidas para a Infância, que reunirá 140 municípios na quarta e quinta-feira, dias 17 e 18 de fevereiro, para o lançamento do Selo Unicef 2016, que nesta edição incluirá o controle do mosquito como um dos critérios de avaliação. O Selo Unicef é uma iniciativa baseada na mobilização social pela garantia dos direitos da infância e adolescência. Os municípios inscritos no programa comprometem-se a planejar e desenvolver ações pelo alcance de objetivos nas áreas de educação, saúde, proteção e participação social de crianças e adolescentes.

No Ceará, no período de novembro de 2015 até o dia 4 de fevereiro, há oito casos de microcefalia confirmados no Estado, sendo um confirmado de relação com a Zika, que é o do óbito de uma criança em Tejuçuoca. Os outros são relacionados a infecção perinatal. Em relação à dengue, foram confirmados este ano, até o dia 6 de fevereiro, 216 casos. Sobre a febre chikungunya, também transmitida pelo mosquito Aedes, nos 14 casos registrados no Ceará a transmissão ocorreu fora do Estado. Em 11 casos, os pacientes estiveram visitando países com transmissão da doença, como Haiti, República Dominicana e Suriname. Portanto, casos importados. Nos outros três casos os pacientes contraíram a doença em Pernambuco.

12.03.2016

Assessoria de Comunicação da Sesa
Selma Oliveira / Marcus Sá / Helga Rackel (  selma.oliveira@saude.ce.gov.br/ 85 3101.5221 / 3101.5220)
Twitter: @SaudeCeara
www.facebook.com/SaudeCeara

Giselle Dutra
Gestora de Célula / Secretarias

Coordenadoria de imprensa do Governo do Estado
Casa Civil
comunicacao@casacivil.ce.gov.br / 85 3466.4898