Atacadistas da Ceasa esperam boa safra de feijão de corda

2 de março de 2016

O feijão de corda está entre os preferidos pelos cearenses, principalmente por ser matéria prima do famoso baião de dois. Contudo, diante da falta de chuvas, no fim do ano passado, a produção do cereal no Estado durante os meses de janeiro e fevereiro foi bem reduzida, em alguns plantios nada foi colhido. No entanto, as chuvas do início do ano trouxeram esperança para os produtores e atacadistas que esperam boa safra. Mas, o preço do produto só deve baixar significativamente no mês de abril.

Na Ceasa, diante da falta de chuvas no final de 2015, o feijão de corda ainda apresenta preços altos. Em dezembro, ele era comercializado, em média, por R$ 4,30 o quilo, em janeiro o produto subiu para R$ 4,80, um aumento de 11,6%. Em fevereiro, o preço continuou em alta, fechando a última semana do mês com uma média de R$ 5,60 o quilo, o que representa um aumento de 16,7%.

Neste início de março, o feijão de corda já apresenta uma queda, passando de R$5,60 para R$ 4,80, uma redução de 14%. A baixa no preço se explica pela entrada na Ceasa de carregamentos da Bahia.

No entanto, segundo Odálio Girão, analista de mercado da Ceasa, as precipitações em quase todos os municípios do Ceará possibilitaram uma melhora no plantio do feijão de corda no Estado, o produto deve ser colhido ainda este mês. Portanto, a partir de abril os preços tenderão a declinar ainda mais, podendo chegar até R$3,00 o quilo.

O produtor e comerciante de cereal Cledilton Teixeira do Nascimento, que trabalha há 17 anos na Ceasa, explica que devido a falta de chuvas no ano passado, não foi possível produzir feijão de corda ainda este ano, mas as precipitações de janeiro e fevereiro ajudaram no plantio e a expectativa é de uma boa colheita no mês de março.

O produtor ressalta que para evitar a falta de feijão de corda no mercado ele construiu no seu comércio três câmaras frias capazes de armazenar até 18 mil sacas do produto. “Diante da falta de feijão de corda no Estado compramos o produto da Bahia. No entanto, com as chuvas esperamos ter uma boa colheita próximo mês, o que certamente, irá reduzir o valor do produto”, frisa.

Cledilton Teixeira ressalta que espera colher cerca de 1.300 sacas durante o mês de março, produção que ainda não supre a demanda, mas tende a reduzir o valor do produto em abril.

Conforme Odálio Girão, os municípios produtores de feijão de corda no Ceará são: Limoeiro do Norte, Morada Nova, Russas, Capistrano, Barreira, Brejo Santo, Várzea Alegre, Juazeiro do Norte, Cascavel, Pindoretama e São Gonçalo do Amarante.

02.03.2016

Karla Camila Sousa
Assessora de Comunicação da Ceasa Ceará
imprensa@ceasa-ce.com.br

Sabrina Lima
Gestora de Célula/Secretarias

Coordenadoria de Imprensa do Governo do Estado do Ceará
Casa Civil / 85 3466.4898